A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Itaici
Indaiatuba
Bela Vista
...

seção Ituana - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2015
...
 
Cia. Ytuana (1873-1892)
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1892-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-c. 1991)
INDAIATUBA
Município de Indaiatuba, SP
Ramal de Piracicaba - km 151,943   SP-2103
Altitude: 598 m   Inauguração: 1873
Uso atual: museu ferroviário (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1911
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Piracicaba foi construído pela Cia. Ituana a partir de 1873, partindo da estação de Itaici, na linha, também da Ituana, entre Jundiaí e Itu. Em 1892, houve a fusão com a Sorocabana, formando a Cia. União Sorocabana e Ytuana (CUSY). Em 1893 o ramal chegou a São Pedro, ponto terminal, 58 km à frente de Piracicaba, onde havia chegado em 1877. A Ituana foi definitivamente incorporada pela Sorocabana em 1905, com a compra da CUSY pelo grupo americano de Percival Farquar. O ramal - algumas vezes chamado também de ramal de São Pedro - teve o trecho final, entre Piracicaba e São Pedro, suprimido para trens de passageiros em 1966 e seus trilhos foram retirados em 1980. Até esta época, ainda seguiam cargas para a Usina Costa Pinto. O tráfego de passageiros entre Itaici e Piracicaba acabou em 1976, enquanto trens de carga continuaram trafegando cada vez menos até meados dos anos 1980. Por volta de 1990, os trilhos, já abandonados, foram retirados pela agora FEPASA.
 
A ESTAÇÃO: A estação original de Indaiatuba, inaugurada em 1873, foi uma das mais antigas estações da Ituana e do Estado, tendo sido a primeira a ser construída no ramal que levaria a Piracicaba e, depois, a São Pedro. Essa estação primitiva de Indaiatuba não fora erguida pela Ituana: a Câmara Municipal fez uma arrecadação publica de fundos e construiu por conta própria a primeira estação, doando-a para a ferrovia. Essa primeira estação, inaugurada em 1880 (antes deveria haver alguma construção ou parada provisória?) existe até hoje, à esquerda da estação posterior, servindo como oficina-escola de liuteria, mas que foi, em 1911, quando deixou de funcionar como estação, transformada em armazém da ferrovia.

O prédio atual da estação foi entregue em 1911, dois anos depois de a Prefeitura ter enviado "uma representação ao exmo. Dr. John Egan, pedindo a construção de um novo prédio para a estação da Sorocabana Railway" (OESP, 17/02/1909). O prédio foi construído na mesma tipologia das estações que estavam ou seriam construídas nessa época pela Sorocabana, com as de Angatuba, Itararé (esta, bem maior), Luiz Pinto, Vitoriana e Bom Jardim.

Depois de desativada em janeiro de 1977 para passageiros, serviu por um bom tempo, até por volta de 2003, como delegacia de polícia da cidade, situada na praça Newton Prado, na esquina das ruas Pedro de Toledo e Augusto Camargo, com o leito da antiga linha do trem fazendo o limite da cidade original. Pela estação de Indaiatuba passaram trens de passageiros até fevereiro de 1977 e raros trens de carga até por volta de 1990, quando o antigo ramal foi definitivamente arrancado pela FEPASA.

Em 07/12/2002, a volta dos trilhos é descrita por Denilson, de Indaiatuba: "Gostaria de aqui poder descrever a emoção que sentimos com a chegada da locomotiva No.1 da Ituana e 10 da Sorocabana em Indaiatuba, uma Baldwin 4-4-0, de 1874, totalmente restaurada pelo sr. Lincoln Palaia. Ela chegou na sexta passada e desfilou pela cidade no sábado (dia 7) de manhã onde pudemos novamente ouvir seu apito e sino. Estava aquecida, e apesar de romper alguns fios telefônicos, desfilou pela cidade apitando e arrancando aplausos e mesmo prantos de muitos que a viam. Hoje, aniversário da cidade, tivemos uma cerimônia com a presença do prefeito e políticos que prometem conseguir recursos para assentar os trilhos até Cardeal, a 13km, e podermos vê-la novamente percorrendo os caminhos que fazia já há mais de um século. Também será implementado na antiga estação da Sorocabana de Indaiatuba um museu ferroviário, depois de restaurada para readquirir suas características originais". Olhando a foto de 2008 (acima), as saudades: "Do lado direito da foto, logo após as árvores, há o 'buraco da estação'. Um declive bem profundo, onde há várias nascentes de um pequeno córrego. Quando eu era menina, na minha casa não tinha água encanada e eu ia buscar água nas bicas dali, com dois garrafões (snif). No fim do século XIX e início do XX os tropeiros que iam e vinham de Itu para Campinas paravam ali para dar água para os muares. Competiam com as mulheres, que ali iam lavar suas roupas. Daquele tempo que eu pegava água nas bicas (década de 1970) para cá, sempre ficou um local feio e úmido. Mas agora está sendo urbanizado" (Eliana Belo Silva, 30/01/2008). O antigo prédio da estação funcionava como museu ferroviário em 2016. VEJA MAIS SOBRE A ANTIGA ESTAÇÃO DE INDAIATUBA; - CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE (gentileza Adriano Martins)

ACIMA: Ao fundo, o hospital; em primeiro plano, os trilhos e desvios da estação de Indaiatuba, cujas plataformas estão à direita - vejam a porteira. No meio dos dois, o "buraco da estação", visto na época da inauguração do hospital (1933) (Cessão Eliana Belo Silva). Abaixo, em janeiro de 2008, as plataformas da estação, já de novo com trilhos, para que a máquina a vapor ao fundo possa dar uma volta de vez em quando. Ao fundo, à direita, o "buraco da estação" não pode ser visto, mas ainda existe (Foto Carlos R. Almeida).


ACIMA: Na revolução de 1932, a cidade assiste seus revolucionários embarcando no trem que os levará à frente de batalha. "No meio desta multidão deve estar João Pereira dos Santos, 21 anos, natural de Beltrão, MG, que morava em Indaiatuba. O jovem negro tinha o apelido de João Bomba e entre vários serviços que fazia, um deles era levar marmitas para os trabalhadores que construíram o Hospital Augusto de Oliveira Camargo. Na praça central de Indaiatuba existe um busto em homenagem ao jovem soldado que tombou morto, tendo sido baleado no dia 10/09/32 ao compor a linha de resistência para a retirada do pelotão das margens do rio das Almas, em Capão Bonito, sul de São Paulo" (Acervo e texto: Eliana Belo Silva).

ACIMA (esquerda): Movimento da estação ferroviária de Indaiatuba no ano de 1953 (Folha da Manhã, 1/4/1953). (direita): Os atrasos do trem da Sorocabana causavam problemas nas entregas do correio (Folha da Manhã, 1/4/1953)

(Fontes: Ralph Giesbrecht, pesquisa local; Adriano Martins; Eliana Belo Silva; Carlos R. Almeida; Alberto del Bianco; Ricardo Koracsony; José Pinto Siqueira Jr.; Kelso Medici; Adriana Carvalho Koyama; Folha da Manhã, 1953; Arquivo Público Municipal de Indaiatuba, 2009; O Estado de S. Paulo, coluna Há Um Século, 2009; Cia. Ytuana: Relatórios anuais, 1872-91; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1892-1969; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação. Autor e data desconhecidos. Cessão Eliana Belo Silva

A estação, ainda ativa, nos anos 1960. Foto cedida por Alberto del Bianco

A estação, ainda ativa, nos anos 1970. Foto cedida por Alberto del Bianco

Estação de Indaiatuba em 1980. Foto José Pinto Siqueira Jr.

Estação de Indaiatuba em 1980. Foto José Pinto Siqueira Jr.

Lado da plataforma da estação, vista ao longe (07/03/1998). Foto Ralph M. Giesbrecht

Fachada da antiga estação, em 07/03/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 11/2002. Foto Ricardo Koracsony

A estação, já com trilhos à sua frente e a locomotiva posando, em 05/2003. Foto Adriano Martins

A estação antiga de Indaiatuba, aquela, desativada em 1911, ainda está por ali, com outros usos. Nunca foi derrubada. Foto Kelso Medici em 03/2005
   
     
Atualização: 02.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.