A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Pimenta
Itaici
Francisco Quirino
...
Saída para o ramal de Piracicaba-EFS: Indaiatuba
...

ramal de Campinas-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
Cia. Ytuana (1873-1892)
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1892-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-c.1988)
ITAICI
Município de Indaiatuba, SP
Ramal de Campinas - km 146,500 (1934)   SP-2132
Altitude: 556 m   Inauguração: 1873
Uso atual: em restauro (2014)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em 1873, foi entregue pela Ituana a sua linha-tronco ligando a estação de Jundiaí da SPR a Itu, com bitola de 96 cm. A anexação da Ituana pela Sorocabana em 1892 alterou todo a história. O trecho foi prolongado até Mairinque, a bitola foi ampliada para 1 metro e o trecho entre Mairinque e Francisco Quirino foi prolongado até Campinas, dando origem ao ramal de Campinas. Em 1924, o ramal foi unido à partida da ex-Funilense, na nova estação da Sorocabana em Campinas. O ramal transportou passageiros até 1976. O ramal transportou passageiros até 1976. O ramal foi abandonado e entre 1991 e 1995 nele funcionou (na parte urbana de Campinas) o VLT, hoje extinto. Os trilhos foram arrancados na primeira década dos anos 2000. Já os do trecho além da área urbana de Campinas sumiram bem antes.
 
A ESTAÇÃO: Embora haja fontes que dão a inauguração da estação de Itaici em 11/12/1879, tudo leva a crer que ela já existia desde 1873, antes mesmo de ser um entroncamento, visto que o ramal da Ituana para São Pedro somente começaria a funcionar com a inauguração do seu tráfego até a primeira estação entregue, Indaiatuba, em 1873.

A partir daí, foi sempre foi uma estação de entroncamento. Como Itu, Salto e Pimenta, serviu originalmente à linha-tronco da Ituana (Itu-Jundiaí). A partir de 1914, passou a servir ao ramal de Campinas.

Em 1948, o prédio passou por uma ampla reforma. "O cruzamento na estação Itaici... já pensou? Quatro trens cruzando três vezes ao dia? Até 1972 era assim. De 1972 a 1977, duas vezes ao dia" (Carlos Almeida, 12/1/2010). "Melhor ainda nos tempos EFS. Em Itaici: o cruzamento dos 4 passageiros (Jundiaí-Piracicaba & Piracicaba-Jundiaí + Campinas-Mairinque & Mairinque-Campinas), todos com locos a vapor e depois a Cooper (diesel) e de quebra o trem pagador, onde eu às vezes ia com meu pai... Que pena a gente ser apenas pobre e não ter uma máquina fotográfica sequer. Ainda existiam os trens cargueiros, mas normalmente não faziam esse cruzamento. Era planejado para cruzamento em outros pátios: meu pai foi chefe de movimento" (J. David de Castro, 12/1/2010).

Desativada em 1986, com a construção da variante Boa Vista-Guaianã, ela, nessa época, servia apenas ao ramal de Campinas, visto que a linha para Jundiaí havia sido desativada por volta de 1975. O ramal de Piracicaba passou então a sair da variante pela estação de Pimenta.

O prédio serviu como escola por algum tempo, mas por um bom tempo depois esteve fechado e abandonado. Ele fica à direita da estrada de rodagem que liga o centro de Indaiatuba com o distrito de Itaici, à beira do rio Jundiaí e próxima à ponte sobre ele. Aliás, a linha que ia para Itu e Mairinque cruzava o mesmo rio logo depois dessa estação. "Pegamos um caminho de terra que praticamente ia seguindo o trajeto da ferrovia, no ramal que saia de Itaici e ia para Piracicaba e ao chegarmos na antiga estação, abandonada e com pessoas morando, foi muito triste. Nada mais existe. No local do pátio, um campo de futebol. Lembrei-me então que logo após a estação, no tronco da antiga Ytuana, havia uma ponte sobre o rio Jundiaí. Uma pessoa que estava morando, imaginem só, em baixo da antiga caixa d'água da Ytuana (a caixa de ferro foi vendida como sucata e ele construiu três cômodos embaixo do que restou dos suportes da mesma) nos acompanhou até a ponte. Lá chegando, eu vi que ela deveria ter, pelos meus cálculos, uns 80 m, dividida em duas partes: uma sobre o rio e outra sobre a margem com um pilar no meio. A parte sobre o rio foi destruída por um pessoal que, por solicitação dos padres do mosteiro, a retirou para evitar a invasão do povo. Segundo continuou nos relatando o senhor, os pedaços de aço cairam no rio, sendo retirados e vendidos como sucata" (Denílson, 08/06/2002).

Em 2004, a estação estava sendo utilizada pela comunidade da paróquia Santa Terezinha, do padre Artur Sampaio, como um centro comunitário para jovens de 07 a 14 anos. Em 2010, estava invadida. Em setembro de 2014, estava sendo restaurada pela FCBA Construtora, vencedora da licitação da Prefeitura.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de uma casa; pintura da casa de turma


ACIMA: Venda que existiu junto à estação de Itaici. Por ser um entroncamento, a estação, o bairro e os arredores de Itaici eram considerados lugares nobres e elitizados. Essa venda foi, durante algum tempo, o único local em que o refrigerante Coca-Cola era vendido por ali. Veja a propaganda na parede, e também fotos de dois ilustres personagens da história brasileira. Sem nenhuma dúvida, a foto é de 1945. Nessa época, a molecada de Indaiatuba guardava moedinhas para ir, no final de semana, a Itaici, a pé, tomar o já sedutor refrigerante, uma vez que na cidadezinha só tinha tubaína - e olhe lá! (Acervo Eliana Belo Silva, Arquivo Público da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba). ABAIXO: Durante alguns anos, antes que a variante Helvetia-Guaianã estivesse pronta, existiu uma pequena estação, ou sede de pátio de manobras, no antigo ramal Campinas-Mairinque. Era chamada de Itaici-nova. O comboio está passando na linha que já estava pronta desde 1979 e que ligava o ramal citado a Boa Vista e a Replan; a linha baixa é a do antigo ramal para Piracicaba. A estaçãozinha aparece à direita, ao fundo (Autor desconhecido - ano 1986).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; José Pinto Siqueira Jr.; André Kenji de Moura; Carlos Almeida; J. David de Castro; Denilson ___; Julio Florez; Carl Heinz Hahmann; Eliana Belo Silva; Ricardo Koracsony; Arquivo Público da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba; Cia. Ytuana, relatórios oficiais, 1872-91; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1892-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Itaici, sem data. Autor desconhecido

Estação de Itaici, 1946. Foto Carl Heinz Hahmann

Estação de Itaici, 1946. Foto Carl Heinz Hahmann

A estação em 1980. Foto José Pinto Siqueira Jr.

A estação em 1980. Foto José Pinto Siqueira Jr.

Plataforma de embarque em 1980. Foto José Pinto Siqueira Jr.

Pátio de manobras da estação em 1980. Foto José Pinto Siqueira Jr.

Plataforma da estação de Itaici, em 7/3/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação, cercada, em 7/3/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 11/2002. Foto Ricardo Koracsony

A estação, reformada em 2015. Foto André Kenji de Moura
 
     
Atualização: 30.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.