A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Engenheiro Cardoso
Itapevi
Santa Rita
...

Tronco EFS-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2011
...

 
E. F. Sorocabana (1888-1892)
Cia. Sorocabana e Ytuana (1892-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1995)
CPTM (1995-)
ITAPEVI (antiga COTIA)
Município de Cotia (1875-1959);
Itapevi, SP (1959-)
Linha-tronco - km 36,114 (1931)   SP-2124
Altitude: 735 m   Inauguração: 1888
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1983
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. Parte da linha (Mairinque a Rubião Jr) ainda estava ativa até 2020, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: Se houve algum ponto de parada como mostra a foto ao pé da página (apenas uma plataforma com cobertura), entre a abertura da linha em 1875 e a construção da estação em 1888, era apenas algum ponto de embarque e desembarque ocasional, como tantos outros que existiram nas linhas do Estado e do Brasil.

Esse ponto, bem como a estação construíida em 1888, estava localizado no município de Cotia, porém distante do centro, no bairro que mais tarde seria desmembrado como o município de Itapevi a partir de 1959.

Nos primeiros horários fornecidos pela Sorocabana aos jornais, ainda em 1875, não consta a parada. O Almanaque para a Provincia de São Paulo de 1887 também ainda não mostra Cotia em seus horários de trens.

As primeiras referências encontradas com relação à parada são de 1888: o prédio foi construido neste ano, pois o relatório da Sorocabana referente a esse ano incluía no orçamento (custeio) o custo da estação de Cotia.

Enfim: não encontrei nenhuma menção de uma estação ou mesmo uma parada em Cotia antes de 1888 e acredito que a menção da estação no Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil de 1960 tendo a data de inauguração como sendo em 1875 não passe mesmo de um engano.

Aos poucos, em volta da parada, formou-se o núcleo que deu origem a Itapevi. A partir de 1889, já existem malas postais para a estação de Cotia.

Em 1926 e 1927, com a duplicação e retificação da linha, foi construído um novo prédio (veja caixa abaixo). Em 1927 o nome atual da cidade (Itapevy) já existia, mas à estação ele somente foi dado em 1945. Já o município somente se desmembrou de Cotia em 1959.

O prédio de 1926 foi substituído por um outro, provavelmente em fins dos anos 1950.

Mais uma vez ele foi substituído por um moderno em 1983, que atende hoje aos trens da CPTM, projeto da ENGEVIX.

Nesta estação, os passageiros dos subúrbios que seguem para as estações seguintes, até Amador Bueno, têm de tomar um novo trem. De 1985 a 2011, ele era menor e mais antigo - Toshibas de 1957. "Itapevi é a única estação da linha B que possui 2 bilheterias, sendo uma exclusiva para os usuários do trem japonês, e outra para quem acessa o sistema vindo de fora, separadas por patamares e ângulos diferentes, aliás, não há ligação entre uma e outra" (Ricardo Koracsony, 02/2005). O "trem japonês" citado por Ricardo era a composição Toshiba comprada pela Sorocabana em 1957 e que fazia o percurso Itapevi-Amador Bueno (e durante um bom tempo, até Mairinque), até o ano de 2011, quando foi desativado para reforma total da linha. Em maio de 2014 voltou a operar com trens novos (reformados, na verdade) e apenas duas estações: Santa Rita e Amador Bueno, ambas reconstruídas.

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE

ACIMA: Os horários, quase um mês após a inauguração da linha, não assinalavam paradas em Cotia no horário de 1° de agosto de 1875 (A Provincia de S. Paulo, 1/8/1875).

1875
AO LADO: Críticas de leitores do jornal ao fato de a construção da estação de Passa-Três ter sido prometida pela diretoria e não ter sido feito (só seria aberta 24 anos depois, em 1899). Por nesta reclamação, depreende-se que havia sido prometido um ramal para a cideade de Cotia, que nunca foi feito (A Provincia de S. Paulo, 15/12/1875).

1888
AO LADO:
Em 2 de fevereiro já existia a estação, como diz a matéria, que é a prikmeira que cita o fato - CLIQUE SOBRE O TEXTO PARA LER O TEXTO TODO) (A Provincia de São Paulo, 16/2/1898).

1898
AO LADO:
O bairro onde estava a estação era longe da cidade e, pelo visto, perigoso (O Estado de São Paulo, 1/7/1898).

1898
AO LADO:
A estrada que liga a cidade e a estação do mesmo nome precisa de reparos (O Estado de São Paulo, 9/10/1898).

1899
AO LADO:
A estrada que liga cidade e a estação continuava em mau estado (O Estado de São Paulo, 7/2/1899).

1917
AO LADO:
A demora de uma encomenda de Cotia para São Paulo pela EFS (O Estado de São Paulo, 1/8/1917).

1920
AO LADO:
Descaso da Sorocabana em Cotia (O Estado de São Paulo, 3/6/1920).

1921
AO LADO:
Susto entre Cotia (Itapevi) e Barueri (O Estado de São Paulo, 29/3/1921).

1923
AO LADO:
Festas na cidade. A EFS colocou trens para a estação, que era bem longe da cidade e de acesso montanhoso por estradas ruins (O Estado de São Paulo, 8/9/1917).

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1926 - Extensão dos desvios para 500 m

1927
AO LADO:
Em 1927 a estação de Cotia fechou para cargas devido à execução de obras no prédio (O Estado de São Paulo, 31/1/1927).


ACIMA: Desastre nas inediações de Itapevi em 1936 - CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA VÊ-LA EM TAMAANHO MAIOR (Correio de S. Paulo, 24/9/1936).

ACIMA: Trem de suburbio se acidenta na estação de Cotia e mata o chefe do trem em 1939 - CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VÊ-LA MAIOR (O Estado de S. Paulo, 27/12/1939).

ACIMA: O então bairro de Itapevi, pertencente a Cotia na época, em 1939. A linha cruza o centro da foto, a estação está no centro. Para a direita, Amador Bueno, para a esquerda, Jandira - CLIQUE NA FOTO PARA VÊ-LA MAIOR (Foto E. N. F. A.).

1940
AO LADO:
Atropelamento na estação (O Estado de São Paulo, 2/7/1940).


ACIMA: O prédio da estação construído em 1926 não era o que foi desenhado nesta propaganda de 1944... veja como o prédio de 1926 era realmente na foto ao pé da página (A Gazeta, 7/2/1944).

ACIMA: Acidente feio em 1955: o trem Ouro Verde tomba entre as estações de Itapevi e de Amador Bueno (A Gazeta, 02/03/1955).

ACIMA: Problemas nos trens de subúrbio da Sorocabana partindo de Itapevi quase causam a destruição das estações a que o trem atendia em 1959 - CLIQUE PARA VER A NOTÍCIA INTEIRA (Folha da Manhã, 2/4/1959).
ACIMA: Trem Toshiba da Sorocabana passando por Itapevi (Autor desconhecido, provavelmente anos 1960).

ACIMA: A estação de Itapevi (Autor desconhecido, provavelmente anos 1960).

ACIMA: A estação de Itapevi (ao fundo) e a praça em frente, provavelmente anos 1960. Com a construção da nova estação em 1985, a aparência desse local mudou radicalmente (acervo Osmar de Souza, e recuperação/tratamento e acervo atual Nilton Ramos).

ACIMA: Trem Toshiba em Itapevi, talvez anos 1970 (Foto Ricardo Tromel).

ACIMA: Trem PS-1 da FEPASA iniciando ultrapassagem do UJ (Toshiba, ao fundo) na saída da estação de Itapevi em 1995 (Foto Carlos Roberto de Almeida, 1/5/1995).
ACIMA: Estações e empresas alcançadas por desvios no passado, em Itapevi - CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA VER EM TAMANHO MAIOR - (Google Maps, 2016 - esquema traçado por Carlos Roberto de Almeida).

ACIMA: Mapa de 2018 mostra a distância entre Itapevi e Cotia - aproximadamente 9 km por estrada (Google Maps).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Carlos Roberto de Almeida; Ricardo Tromel; William Gimenez; Ricardo Koracsony;
Nilton Ramos; Osmar de Souza; E. N. F. A.; Folha da Manhã, 1959; O Estado de S. Paulo, 1927 e 1939; E. F. Sorocabana: Guia Oficial, 2o semestre 1953; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1872-1969; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A primitiva e deserta estação de Cotia, em 1875. Do livro dos 90 anos da EFS, atribuída a Julio W. Durski

A estação de Itapevi em 1960. Foto cedida pelo museu local

A estação de 1926 de Itapevi, provavelmente sendo demolida, no início dos anos 1980. Foto Nilton Ramos

Em 18/08/1998, a estação da CPTM. Foto Ralph M. Giesbrecht

Plataforma da estação atual da CPTM, anos 1990. Foto cedida por William Gimenez

Trens da CPTM na estação de Itapevi, em 08/2002. Foto Ricardo Koracsony

Plataforma da estação de Itapevi em 2016. Foto Carlos R. Almeida
   
     
Atualização: 25.02.2021
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.