A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Garça
Jafa
Vera Cruz
...

Tronco oeste CP-1970

IBGE-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1928-1971)
FEPASA (1971-1998)
JAFA
Município de Garça, SP
Linha-tronco oeste - km 442,140   SP-2160
Altitude: 659,120   Inauguração: 30.12.1928
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: s/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O chamado tronco oeste da Paulista, um enorme ramal que parte de Itirapina até o rio Paraná, foi constituído em 1941 a partir da retificação das linhas de três ramais já existentes: os ramais de Jaú (originalmente construído pela Cia. Rio-clarense e depois por pouco tempo de propriedade da Rio Claro Railway, comprada pela Paulista em 1892), de Agudos e de Bauru. A partir desse ano, a linha, que chegava somente até Tupã, foi prolongada progressivamente até Panorama, na beira do rio Paraná, onde chegou em 1962. A substituição da bitola métrica pela larga também foi feita progressivamente, bem como a eletrificação da linha, que alcançou seu ponto máximo em 1952, em Cabrália Paulista. Em 1976, já com a linha sob administração da FEPASA, o trecho entre Bauru e Garça que passava pelo sul da serra das Esmeraldas, foi retificado, suprimindo-se uma série de estações e deixando-se a eletrificação até Bauru somente. Trens de passageiros, a partir de novembro de 1998 operados pela Ferroban, seguiram trafegando pela linha precariamente até 15 de março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Jafa foi inaugurada com o trecho Garça-Marília, em 1928. Em 1986, estava já abandonada e depredada, e a própria Fepasa recomendava sua demolição (relatório de instalações fixas). "Quando passei pelo tronco oeste, há pouco tempo, estavam fechando as estações, mas elas ainda estavam de pé. Ouvi uma informação há algum tempo que demoliram uma

ACIMA: A linha entre Duartina e Marília em 1948 (IGC - Instituto Geografico e Cartografico de São Paulo).
cacetada de estações por aquelas bandas. Algumas estavam em estado deplorável e outras só tinham a plataforma com a placa com o nome da ex-estação, como é o caso de Atlântida (...), etc. Lácio, Vera Cruz e Jafa, por sua vez, estavam deploráveis". (relato de Rodrigo Cabredo, abril de 1999)
. A estação ficava à beira da rodovia que liga Garça a Marília.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Frontera; Rodrigo Cabredo; FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1982; FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1986; Cia. Paulista: relatórios anuais, 1920-69; IGC - Instituto Geografico e Cartografico de São Paulo; IBGE, 1970; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação ainda inteira em 1982. Foto FEPASA

A estação ainda de pé mas já depredada, em 1986. Foto do relatório da Fepasa, 1986

O armazém em ruínas, em 1986. Foto do relatório da Fepasa, 1986

Somente sobrou a plataforma e a placa da estação, em 09/10/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

O armazém da estação ainda está por lá, reformado, embora mais longe dos trilhos. Foto Ricardo Frontera em 11/2007
 
     
Atualização: 04.01.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.