A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Entroncamento-tronco CM
Jardinópolis
Cresciúma
...

Ramal de Igarapava-1935

IBGE-1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2007
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1899-1971)
FEPASA (1971-1979)
JARDINÓPOLIS
Município de Jardinópolis, SP
Ramal de Igarapava - km 8,556   SP-2177
Altitude: 585 m   Inauguração: 01.08.1899
Uso atual: em reforma (2011)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Igarapava foi aberto em seu primeiro trecho, em 1899, até Jardinópolis, a partir do local em que seria construída a estação de Entroncamento, um ano depois. Em 1905, chegou a Igarapava, então ainda Santa Rita do Paraizo. Em 1914, atingiria a linha do Catalão, já em Minas Gerais, pouco antes de Uberaba. O ramal atravessava as melhore terras de café do norte do Estado. Em fevereiro de 1979 foi fechado para cargas, e em 10/05/1979 para os trens de passageiros, e substituído pela variante Entroncamento-Amoroso Costa, que correria mais a oeste da linha velha e se tornaria então a continuação do tronco retificado da ex-Mogiana. Os trilhos foram retirados por volta de 1986, sobrando apenas as velhas estações, abandonadas ou com outras funções.
 
A ESTAÇÃO: Aberta em 1899, já com o nome de Jardinópolis, município criado três anos antes. O nome original da vila era Ilha Grande, mudando de nome em homenagem ao jornalista Silva Jardim, morto pouco tempo antes no vulcão Vesúvio, na Itália. A estação era a primeira do ramal de Igarapava, mas em 1979, com a abertura da variante Entroncamen-to-Amoroso Costa, ficou fora dos trilhos: em 9/5/1979, o último trem de passageiros passou por
ela. Foi aberta na variante uma estação de Jardinópo-lis-nova, à beira da via Anhangüera. O prédio do extinto ramal
de Igarapava funcionou depois do fechamento em 1979 como estação rodoviária. Em 2011, está ocupado pela Câmara Municipal, que o está descaracterizando. Em fevereiro de 2011, a má notícia: Notícia de : "Jardinópolis: Obra esconde fachada com 111 anos de história. Prédio que pertencia à Mogiana e onde funciona a Câmara passa por transformação polêmica para ganhar espaço. Moradores se mobilizam e levam caso ao Ministério Público" (A Cidade, Ribeirão Preto, 26/2/2011). "Inacreditável! Estão fazendo um "puxado" em toda a fachada da estação que dá para a praça, de ponta a ponta. Um paredão de tijolos baianos sem janelas, horrível sob todos os aspectos. Nem pensar em respeito, estilo, sensibilidade, etc. A desculpa dos responsáveis: esse prédio não é nem tombado pelo patrimônio histórico!" (Cássio Ruas de Moraes, 27/2/2011). (Veja também JARDINÓPOLIS-NOVA)
ACIMA: Sentina? De acordo com o dicionário, vaso sanitário. Pelo visto, exalava cheiro pelo pátio da estação e até fora dela (Folha da Manhã, 2/3/1916).

AO LADO: A trágica morte de Silva Jardim - homenageado no nome da cidade (Folha de S. Paulo)


ACIMA: Esquema do pátio de Jardinópolis em novembro de 1968 (Clique sobre a figura para ter maiores informações) (Acervo Museu da Companhia Paulista, Jundiaí, SP - Reprodução Caio Bourg).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Rodrigo Flores; Cássio Ruas de Moraes; José Carlos de Oliveira; Caio Bourg; Folha a Manhã; Folha de S. Paulo; Cia. Mogiana: Relatórios anuais; Cia. Mogiana: Listagem oficial de estações, 1938; Cia. Mogiana: Album, c. 1910; Museu da Cia. Paulista, Jundiaí, SP; IBGE, 1970; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Jardinópolis, no dia da última viagem do trem: 9/5/1979. Foto José Carlos de Oliveira

Em 18/11/1998, a antiga estação de Jardinópolis. Foto Ralph M. Giesbrecht

A velha estação com o anexo horroroso, em 25/7/2011. Foto Rodrigo Flores
     
     
Atualização: 28.03.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.