A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Irapuru
Junqueirópolis
Dracena
...

Tronco oeste CP-1970

IBGE-1973
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 1977
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1959-1971)
FEPASA (1971-1998)
JUNQUEIRÓPOLIS
Município de Junqueirópolis, SP
Linha-tronco oeste - km 660,251   SP-0973
Altitude: 415,435 m   Inauguração: 29.09.1959
Uso atual: Museu e telecentro   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1959
 
 
HISTORICO DA LINHA: O chamado tronco oeste da Paulista, um enorme ramal que parte de Itirapina até o rio Paraná, foi constituído em 1941 a partir da retificação das linhas de três ramais já existentes: os ramais de Jaú (originalmente construído pela Cia. Rio-clarense e depois por pouco tempo de propriedade da Rio Claro Railway, comprada pela Paulista em 1892), de Agudos e de Bauru. A partir desse ano, a linha, que chegava somente até Tupã, foi prolongada progressivamente até Panorama, na beira do rio Paraná, onde chegou em 1962. A substituição da bitola métrica pela larga também foi feita progressivamente, bem como a eletrificação da linha, que alcançou seu ponto máximo em 1952, em Cabrália Paulista. Em 1976, já com a linha sob administração da FEPASA, o trecho entre Bauru e Garça que passava pelo sul da serra das Esmeraldas, foi retificado, suprimindo-se uma série de estações e deixando-se a eletrificação até Bauru somente. Trens de passageiros, a partir de novembro de 1998 operados pela Ferroban, seguiram trafegando pela linha precariamente até 15 de março de 2001, quando foram suprimidos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Junqueirópolis foi inaugurada em 1959, permanecendo durante três meses como ponta de linha, até a inauguração da estação de Dracena, em dezembro. A linha foi trazida à cidade, nela passando no seu trajeto até o rio Paraná

ACIMA: Estação de Junqueirópolis em 29 de março de 1963: Chegada do Governador Carvalho Pinto à cidade - ele, um dos destruidores da Companhia Paulista, feita dois anos antes por pressão sindicalista e por demagogia. Outra foto do evento ao pé da página (Acervo Antonio Carlos Belviso).

graças aos esforços de Alvaro de Oliveira Junqueira, também fundador da cidade. "A estação está em estado razoável, apesar de abandonada. Razoável

AO LADO: Anúncio publicado no O Estado de S. Paulo em 20/9/1959 anunciando a inauguração do novo trecho.
externamente, porque por dentro está tudo destruído e para variar, tinha mendigos na gare da estação" (Fabio Vasconcelos, 12/10/2001). Ao lado da estação, um bar e a estação rodoviária da cidade. Em 2004, a estação foi reformada pela Prefeitura, e estava em bom estado, segundo Marcelo Galativicius. Em 2007, depois de pelo menos 5 anos sem ver os

ACIMA e ABAIXO: festa na estação de Junqueirópolis em 13 de junho de 2007: parece que a velha Fepasa estava de volta depois de muitos anos sem por ali passar - o último trem de passageiros passou por ali em fins de 2000 e o de cargas não muito depois. Era um trem de capina química, para limpeza de mato, e se dirigia para o final da linha, em Panorama, tendo na composição um antigo carro Budd. Sinal de reativação da linha? (Fotos Cristiano Luizão, 2007).
trens passarem, eis que passa por ali, no dia 13 de junho, um pequeno comboio com uma locomotiva ainda nas velhas cores da defunta Fepasa, um velho carro Budd, um vagão aberto, um vagão-tanque para a capina química e um carro de linha, no sentido de Panorama. Sinal de reativação da linha? Houve até festa dos incrédulos transeuntes. Em outubro de 2008, um prédio de estação já com portas e janelas lacradas (teria ela sido mesmo restaurada em 2004?) teve iniciada uma reforma com a construção de um anexo (meu Deus!) para que ali seja instalado um museu. Descaracterizar um prédio que faz parte da história da cidade é simplesmente imperdoável. Em 26 junho de 2009 a estação foi reaberta como museu e telecentro. Com descaracterizações lamentáveis, como já mostrado acima.
(Fontes: Cristiano Luizão; Antonio Carlos Belviso; Lygia Beatriz Junqueira; Alberto del Bianco; Hermes Hinuy; Lauro Tenca; Fabio Vasconcelos; Marcelo Galativicius; Relatórios da Cia. Paulista, 1940-69; IBGE, 1973; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 29/03/1963, recebendo o Governador Carvalho Pinto. Notar que a cobertura da plataforma mais extensa que existe hoje não existia naquela época. Foto Lauro Tenca, acervo Cristiano Luizão

A estação ao fundo, vista do trem da Fepasa, anos 1970. A cobertura atual da plataforma já existia. Foto Alberto del Bianco

Plataforma de Junqueirópolis, 21/12/1993. Foto Hermes Hinuy

A estação em 12/10/2001. Foto Fabio Vasconcelos

A estação em 30/12/2001. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação em 30/12/2001. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação em 2001. Foto Kenzo Sasaoka

A estação em 01/2004. Foto Marcelo Galativicius

A estação em 01/2004. Foto Marcelo Galativicius

A estação em 01/2004. Foto Marcelo Galativicius

A estação em 06/2006. Foto Cristiano Luizão

A estação em 03/2008. Foto Cristiano Luizão

Em 1/11/2008, de um lado, a estação mostrada com portas e janelas lacradas...

... e de outro, com um anexo sendo construido e descaracterizando a pobre coitada! Fotos Cristiano Luizão

A estação reformada, em maio de 2009. Foto Cristiano Luizão

A estação reformada, em maio de 2009. Foto Cristiano Luizão
   
     
Atualização: 09.10.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.