A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Bernardino de Campos
Luiz Pinto
Ipaussu
...

Tronco EFS - 1935
...

IBGE - 1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...
 
E. F. Sorocabana (1913-1971)
FEPASA (1971-1998)
LUIZ PINTO
Município de Ipaussu, SP (veja o local)
Linha-tronco original - km 475,415 (1924); km 462,606 (1934) (*); km 414,673 (1960) (**)   SP-2296
Altitude: 612 m   Inauguração: 01.03.1913
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1913 (já demolida)
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Luiz Pinto foi aberta em 1913. "Vão ser abertas ao tráfego mais duas estações novas: 'Luiz Pinto' (...) respectivamente nos kilômetros 472 (...) dos ramais de Tibagy (...). Ficou estabelecida a parada de um minuto para os trens, em cada uma dessas estações" (*Revista Brazil Ferro-Carril, 31/05/1913). Note, pela data da revista, que ou a notícia saiu tarde, ou a estação foi inaugurada depois da data que consta nos relatórios da Sorocabana, que é 1o de março. O nome derivava do nome do proprietário da fazenda Palmeiras, Luiz Augusto Pinto (Itu, 1858 - São Paulo, 1920), que doora as terras para a construção da linha e da estação, a partir de sua fazenda.

Em 1986, o prédio estava depredado e abandonado, mas era um prédio grande, com a mesma bonita arquitetura da estação de Piapara, na região de Botucatu, como se vê pelas fotos (más) de 1986. A fazenda Palmeiras é uma bela fazenda cafeeira com um quilômetro de corredor de enormes palmeiras. Ao lado, um enorme terreiro onde secavam o café. No fundo da fazenda, várias casas de funcionários e a linha férrea cruzando. Ainda há no local uma caixa d'água. A estação foi demolida.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Reparação e pintura da estação; pintura da casa do telegrafista; reparação e pintura da casa do portador


(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Adriano Martins; João Batista Lago; E. F. Sorocabana: relatórios oficiais, 1875-1969; Brazil Ferro-Carril, 1913; FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1968; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação abandonada de Luiz Pinto, lado da plataforma, 1986. Foto do relatório da Fepasa, 1986

Fachada da estação abandonada de Luiz Pinto. Foto do relatório da Fepasa, 1986

O passageiro aguarda para entrar no trem, nos anos 1980, na abandonada estação de Luiz Pinto. Foto João Batista Lago

Os restos da plataforma continuam por ali, em 28/09/2002. Foto Adriano Martins
   
     
Atualização: 08.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.