A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Timbiras
Motuca
Joá
...

ramal de Jaboticabal-1950

IBGE-1956
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1893-1969)
MOTUCA
Município de Motuca, SP
Ramal de Jaboticabal - km 16,715(1959)   SP-2093
Linha-tronco métrica - 603,521 m   Inauguração: 01.02.1893
Uso atual: centro cultural (2008)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: Projetado pela Rio Claro Railway, o primeiro trecho da linha foi aberto pela Cia. Paulista, em 06/06/1892, de Rincão a Guariba, como um prolongamento da linha de bitola métrica da Paulista adquirida à RCR, e que partia de Rio Claro. Em 1893, ele chegava a Jaboticabal, e em 1902 atingiu Bebedouro. A ampliação do tronco da Paulista para a bitola larga, entre Rio Claro e Rincão, feito entre 1916 e 1922, acabou por seguir pela margem direita do rio Mogi-Guaçu e não pela linha de Jaboticabal, fazendo um arco que alcançaria Bebedouro em 1929. O trecho entre Rincão e Bebedouro, que passava por Jaboticabal, passou a ser chamado de Ramal de Jaboticabal e permaneceu com a bitola métrica até sua extinção, em 23/12/1966, entre Jaboticabal e Bebedouro, e em 02/01/1969, do trecho restante. Os trilhos começaram a ser arrancados no dia seguinte.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Motuca foi aberta em 1893, e fazia parte da então linha-tronco de bitola métrica da Paulista; a estação deu origem à cidade.

No relatório de 30/4/1893, a Cia. Paulista publicou, nas págs. 265 e 266, um relatório sobre a construção de um ramal de 9,8 km, unindo a estação de Motuca às barrancas do rio Mogi-Guaçu, em frente às corredeiras da Boa Vista. As obras foram contratadas com os empreiteiros Ricci e Andreuccetti: todo o leito, obras de arte, duas casas para turmas de conserva e uma caixa d'água. Os dormentes foram comprados de Salvador Basílio.

Para se verificar a conveniência de prolongar o ramal para além do rio Mogi, reconheceu-se vários trechos em diversas fazendas, incluindo a de São Martinho, consideradas fora da zona privilegiada da Mogiana e de algumas dentro dessa zona. Chegou-se à fazenda Guatapará, num reconhecimento feito para o sul, e a fazenda Pirajá. A construção até a fazenda São Martinho levaria o ramal para 17 km.

Já a ponte sobre o Mogi, no caso de se prolongar a linha, seria "dispendiosa", pois teria de ter pelo menos 130 metros de vão livre, segundo os cálculos dos engenheiros da ferrovia. Tal ramal jamais foi construído; se o foi, durou pouco tempo e foi logo desativado. Não se encontraram outras referências em relatórios seguintes.

Em fins de 1900, um leitor do Jornal do Sertão, jornal da região, indagava porque a Paulista resolvera construir "às pressas um ramal de Rincão às fazendas Guatapará e São Martinho" em vez de antes prolongar a linha de Motuca à "esperançosa zona de Bebedouro" (OESP, 29/11/1900). A resposta não sabemos, mas o fato é que tanto um ramal quanto o outro (que seguiria para Jaboticabal e Bebedouro) acabaram ficando prontos na mesma época (1903).

A partir de 1929, passou a ser parte do ramal de Jaboticabal, com a linha-tronco passando a correr, com bitola métrica, na margem direita do rio Mogi.

Em 1969, o ramal e a estação foram desativados.

Motuca
foi elevada a município em 1991, e a estação em 2017fica no centro de uma praça, bem conservada, mas descaracterizada, no que se refere à pintura, portas e janelas. Era um centro cultural em 2008, mas já foi até discoteca.





AO LADO: Uma das fazendas que existia nos primórdio, próxima à estação (cerca de 6km) (O Estado de S. Paulo, 18/1/1898).

ACIMA: Parte da linha métrica da Companhia Paulista em 1893 (Rio Claro-Jaboticabal), e a seu lado a sua linha fluvial, que ligava Porto Ferreira a Porto Pontal. Notar um ramal entre Motuca e Boa Vista, ramal este projetado mas jamais construído. Serviria para carregar café da região diretamente para a linha fluvial e dali diretamente para a bitola larga, em Porto Ferreira (Mapa da Companhia Paulista, 1893, acervo Ralph M. Giesbrecht).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Igor Reis; O Estado de S. Paulo, 1898 e 1900; Cia. Paulista: relatórios anuais; Mapas - acervo Ralph M. Giesbrecht).
     

Estação de Motuca, remodelada, em 24/06/1999, no centro de uma praça na entrada da cidade. Foto Ralph M. Giesbrecht

Estação de Motuca, remodelada, em 24/06/1999, no centro de uma praça na entrada da cidade. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 4/6/2017. Foto Igor Reis
     
     
Atualização: 08.06.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.