A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Rosário
Monte Azul
Marcondésia
...

ram. Nova Granada-1950

IGG-SP-1945
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2000
...
 
Cia. E. F. São Paulo-Goiaz (1910-1916)
Cia. Ferroviária São Paulo-Goiaz (1916-1950)
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1950-1969)
MONTE AZUL
Município de Monte Azul Paulista, SP
Linha-tronco SPG - km 31,169   SP-2492
Altitude: 596 m   Inauguração: 05.03.1910
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1917 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Companhia Estrada de Ferro São Paulo-Goiaz começou a operar em 1910 ou 1911, dependendo da fonte, com a intenção de levar os trilhos até Goiás, partindo da estação de Bebedouro. As linhas também seguiriam dessa estação da Paulista até a estação de Passagem nos anos seguintes. Em 1914, a empresa faliu e em 1916 foi constituída a partir da massa falida, que continuava operando, a Cia. Ferroviária São Paulo-Goiaz. Nessa altura, a linha seguia de Passagem a Villa Olímpia (Olímpia), passando por Bebedouro, com um ramal saindo de Ibitiúva a Terra Roxa. Em 1927, a Paulista comprou todo o trecho entre Passagem e Bebedouro, incluindo o pequeno ramal; a CFSPG passou a operar apenas o trecho Bebedouro-Olímpia, que em 1931 foi esticado até Nova Granada. A ferrovia, de bitola métrica, que deveria cruzar a fronteira próximo a Icem, na Cachoeira do Marimbondo, nunca passou de Nova Granada nem chegou a Goiás. Em 1950, a Cia. Paulista a adquiriu e a transformou no ramal de Nova Granada. Este, depois de receber pesados investimentos durante os dez anos seguintes, acabou por ter o trecho final (Olímpia-Nova Granada) suprimido pela Paulista já estatal, em 1966, e em 2/1/1969, todo a linha restante também foi extinta. Os trilhos e as propriedades foram arrancados e vendidas pouco tempo depois. Dela pouca coisa restou, tendo a grande maioria das estações sido demolida.
 
A ESTAÇÃO: Descendo na estação ferroviária de Bebedouro, vinham os primeiros habitantes de Monte Azul para a vila nos troleis de Jacob Witzel, dono da empresa dos carrinhos puxados por tração animal. Em 1908, o coronel João Baptista de Oliveira Cardoso iniciou um movimento junto à população e autoridades para fazer chegar a ferrovia até a cidade. Esse movimento ganhou força e finalmente em 06/04/1909 começou a abertura dos locais por onde passariam os trilhos entre Bebedouro e Monte Azul. Para marcar o início das obras foi cortado simbolicamente o primeiro galho de árvore por Joaquim da Costa Penha. O trabalho de
"Estão assentados doze kilometros de trilhos da Estrada de Ferro S. Paulo a Goyaz, tendo sido iniciada a construcão da estação de Monte Azul" (O Estado de S. Paulo, 22/11/1909).
"picada", ou seja, o de abertura dos locais para o assentamento dos trilhos, terminou no dia 20/07/1909 e nove meses depois de iniciado, a linha da

ACIMA: Acidente entre o trem da São Paulo-Goiaz e o ônibus-jardineira que seguia para Olímpia, no km 33 da ferrovia, dois quilômetros após a estação de Montte Azul, em 1948 (Folha da Manhã, 13/10/1948). ABAIXO: Problemas na estação de Monte Azul em 1917 (O Estado de S. Paulo, 18/9/1917).
CEFSPG chegou à cidade, em 04/01/1910. No dia 5 de março, menos de um ano após o início da obra, o primeiro trem chega na cidade. Porém, nem tudo foi euforia com relação a estrada de ferro. Houve protestos de grande parte da população que não concordava com a passagem dos trilhos no meio da cidade; queriam-nos, eles e a estação, fora dela. Numa das fotos abaixo, que mostra a parte central da fachada da estação, a data no frontispício parece indicar 1917 como data da construção do prédio, o que mostra que existia ali antes alguma estação provisória. Os relatórios da Cia. Paulista - que comprou a E. F. São Paulo-Goiaz, sucessora da original, em 1950 - dos anos 1950 dão a inauguração da estação como tendo sido no mês de março de 1911, um ano após o citado acima, que parece mais confiável, visto ter como fonte jornais da época, enquanto a Paulista herdou informações da extinta Cia. E. F. São Paulo-Goiaz. Porém, quando a ferrovia foi desativada, em 1968, a retirada dos trilhos provocou protestos da população. Os trilhos teriam sido retirados dias após a desativação, e, não muito tempo depois, a Prefeitura demoliu a estação, sendo que em seu lugar foi construída uma indústria.
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local, 1998; João Francisco Massoneto: Monte Azul Paulista-100 Anos; Folha da Manhã, 1948; O Estado de S. Paulo, 1909, 1917; Revista SPR: suplemento especial sobre a SPG, 1941; Cia. E. F. S. Paulo-Goiaz: relatórios oficiais, 1914-48; Cia. Paulista: relatórios oficiais, 1948-1969; IGG, 1945; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, sem data, no final da avenida central na foto. Foto do livro Monte Azul Paulista-100 Anos, de J. F. Massoneto

Fachada da estação em 1941, em "foto-colagem". Foto Revista SPR, suplemento especial sobre a SPG, 1941

Auto de linha na estação de Monte Azul, anos 1940. Foto Revista SPR, suplemento especial sobre a SPG, 1941

A estação de Monte Azul (sem data). Foto do livro Monte Azul Paulista-100 Anos, de J. F. Massoneto

Pessoas na plataforma da estação, no dia da partida do último trem (2/1/1969). Foto do livro Monte Azul Paulista-100 Anos, de J. F. Massoneto

Carro da última composição a deixar a cidade (2/1/1969). Foto do livro Monte Azul Paulista-100 Anos, de J. F. Massoneto
     
Atualização: 03.05.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.