A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Tapir
Ipoméia
S.Sebastião do Paraíso-CM
...

ramal de Passos - 1950

Guia Levi - 1941
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 1998
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1914-1971)
Fepasa (1971-c.1990)
IPOMÉIA
Município de São Sebastião do Paraíso, MG
Ramal de Passos - km 82,878 (1938)   MG-1426
    Inauguração: 07.09.1914
Uso atual: abandonado   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1914
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Passos foi inaugurado em seu primeiro trecho de 15 quilômetros ligando Guaxupé a Guaranésia, em 1912. Foi sendo prolongado aos poucos, chegando a Passos, onde terminava, somente em 1921. Em 1976, o tráfego de passageiros foi eliminado, sobrando os cargueiros, que, com o tempo, passaram a atender somente ao carregamento de cimento da fábrica de Itaú de Minas, e vindo não por Guaxupé, mas por São Sebastião do Paraíso, ali chegando pela antiga linha da São Paulo-Minas. Com isso, o trecho entre Guaxupé e S. S. Paraíso foi abandonado, e teve os trilhos retirados por volta de 1990. O trecho entre Paraíso e Itaú de Minas ainda tem seus trilhos, mas as cargas de cimento deixaram de circular já há anos e o abandono da linha é total. O trecho final até Passos teve também os trilhos retirados.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Ipoméia foi inaugurada em 1914 no trecho que ligava Posses (Itamogi) a São Sebastião do Paraíso. Ficava próxima à pedreira da Fepasa que ali existia. Durante a sua construção a estação era chamada de Leôncio - o nome foi oficialmente adotado como Ipoméia em 5/9/1914, portanto dois dias antes de a estação ser inaugurada oficialmente. Aliás, a estação foi autorizada a funcionar de forma provisoria já em 26/8/1914 - o decreto desse dia autorizava a estação de Leôncio - com esse nome - , junto com outras do ramal, a funcionarem (relatório da Mogiana de 1914).
Em junho de 1959, foi instalado na estação um equipamento para britagrem de pedras.
Em 1986, o prédio já estava abandonado. "Seguimos as instruções conseguidas na estação de Tapir para chegar até Ipoméia, que ficava dentro da fazenda do mesmo nome, mas chegamos apenas até metade do caminho. Um grande portão e uma cerca bloqueavam a estrada. Pedimos informações a alguns agricultores junto aos cafezais, mas ninguém sabia sobre a estação ou sobre a continuação da estrada, de modo que não sei nem mesmo se o prédio ainda está lá" (Rossana Romualdo, 07/2001). Sim, estava, em 2008, abandonado.
(Fontes: O Estado de S. Paulo, 28/6/1959)
     

A estação de Ipoméia, em 1986. Foto do relatório da Fepasa, desse ano

A estação de Ipoméia, em 1986. Foto do relatório da Fepasa, desse ano

A estação de Ipoméia, em 1997. Foto Marcelo Mathias, Ribeirão Preto, SP

A estação de Ipoméia, em 1997. Foto Marcelo Mathias, Ribeirão Preto, SP

A estação em dezembro de 2007. Foto Alexandre Di Secco

A estação em dezembro de 2007. Foto Alexandre Di Secco
     
Atualização: 27.06.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.