A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Indice do MS
...
Posto km 1250
Agente Inocêncio
Albuquerque
...
Saída para o ramal de Porto Esperança:
Porto Esperança
...

IBGE-1959
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Noroeste do Brasil (1941-1975)
RFFSA (1975-1996)
AGENTE INOCÊNCIO
Município de Corumbá, MS
Linha-tronco - km 1247,263 (1959)   MS-1608
    Inauguração: 10.04.1941
Uso atual: abandonada   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1941?
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Itapura a Corumbá foi aberta a partir de 1912, entre Jupiá e Agua Clara e entre Pedro Celestino e Porto Esperança, deixando um trecho de mais de 200 km entre as duas linhas esperando para ser terminado, o que ocorreu somente em outubro de 1914. A partir daí, a linha estava completa até o rio Paraguai, ao sul de Corumbá, em Porto Esperança; somente em 1952 a cidade de Corumbá seria alcançada pelos trilhos. Logo dedpois da entrega da linha, em 1917, a ferrovia foi fundida com a Noroeste do Brasil, que fazia o trecho inicial no Estado de São Paulo, entre Bauru e Itapura. E em 1975, incorporada como uma divisão da RFFSA, foi finalmente privatizada sendo entregue em concessão para a Novoeste, em 1996.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Agente Inocêncio foi, segundo dados da Noroeste, inaugurada em 1941. Como muitas das estações do trecho entre Campo Grande e Porto Esperança, por muito tempo a estação não dispôs de água potável, obrigando a NOB a deslocar semanalmente uma composição de vagões pipa para abastecimento do pátio. Daqui, a partir de 1952, passou a sair o ramal para Porto
ACIMA: A estação (direita, no entroncamento) e as duas linhas (tronco e ramal) ilhadas em 1992. Mas nem sempre foi assim... segundo Pedro Cimó, quando a Noroeste foi construída o leito acompanhava o nível do chão e no período de cheia vários trechos ficavam debaixo d'água durante as cheias. A NOB teve que esperar o levantamento da grade da linha para ficar "impermeável". (Foto Haroldo Palo Junior, 1992). ABAIXO: Na estação de Agente Inocêncio, nota-se a saída para o ramal de Porto Esperança, à esquerda, com plataforma exclusiva. O trem que aparece junto a essa plataforma ia somente dessa estação até Porto Esperança, a 5 quilômetros. A linha na plataforma a direita é a linha-tronco da Noroeste. (Foto Luiz Moraes, 30/12/1994).

Esperança, com pouco mais de 4 quilômetros. Não se encontra menção de parada nessa estação nos guias entre 1941 e 1952. "Agente Inocêncio é uma estação literalmente no meio do nada. Além do entroncamento, existe um único desvio, na linha que vai para Porto Esperança. No "V" formado pelas linhas de Porto Esperança e a de Corumbá, existem duas plataformas. Quando o trem de Corumbá chegava, havia um pequeno trem (locomotiva e um só carro), esperando na outra plataforma, para Porto Esperança e vice versa. Até onde a vista alcança, só se vê mangue, não há casa por perto, nem na estação, que só tem a agência e os funcionários moram em Porto Esperança. Existe sim, um enxame inacreditável de pernilongos" (Coaraci Camargo, 10/2004).
(Fontes: Waldeir Nogueira; Nicholas Burman; José H. Bellorio; Coaraci Camargo; Luiz Moraes; Ricardo Frontera; Guia Geral de Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Museu da UNESP - Bauru; IBGE, 1959)
     

A estação de Agente Inocêncio, em 1976. Foto José H. Bellorio

Pátio da estação com o terreno alagadiço em volta em 1982. Museu da UNESP em Bauru, cessão Ricardo Frontera

A estação em 1/2011. Foto Waldeir Nogueira

A estação em 1/2011. Foto Waldeir Nogueira
   
     
Atualização: 17.01.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.