A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mailaski
Parada Cinzano
Gabriel Piza
...

Tronco EFS-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Sorocabana (n/d-1971)
FEPASA (1971-1998)
PARADA CINZANO
Município de São Roque, SP
Tronco - km   SP-2064
    Inauguração: n/d
Uso atual: abandonada   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A parada Cinzano era uma das várias paradas que constavam de uma plataforma coberta com telhado de zinco apenas existentes ao lado da linha-tronco da EFS, principalmente no trecho entre Amador Bueno e Mairinque, onde o trem de subúrbio da EFS e depois da Fepasa trafegaram até o final dos anos 1990. Esta tinha este nome por ficar próxima à fábrica da Cinzano. Com a desativação desses trens, as paradas também foram desativadas e ainda resistem ao tempo e à depredação.
(Fontes: Reynaldo Marcondes, 2009; Ricardo Koracsony, 2002; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Parada Cinzano, em 09/2002. Foto Ricardo Koracsony

A parada resiste em 6/2009. Foto Reynaldo Marcondes
 
     
     
Atualização: 09.01.2011
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.