A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Serra D'Água
Paula Souza
Miranda Azevedo
...

Tronco EFS - 1935

IGGSP - 1928
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2001
...
 
Cia. União Sorocabana e Ytuana (1895-1907)
Sorocabana Railway (1907-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1953)
PAULA SOUZA (antiga MORRINHOS)
Município de Botucatu, SP
Linha-tronco original - km 320,506 (1924); km 332,520 (1931) (*)   SP-2676
Altitude: 766 m   Inauguração: 07.11.1895
Uso atual: demolida em 2015   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1918
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi inaugurada em 1895, com o nome de Morrinhos, nome da fazenda em cujos terrenos ela foi construída. Em 01/12/1918, recebeu o nome de Paula Souza. Nesse mesmo ano, ela foi reconstruída, substituindo a de Morrinhos, provavelmente o prédio original. Saía dessa estação um dos ramais lenheiros da Sorocabana. Em 2 de abril de 1931, o Príncipe de Gales, o futuro Eduardo VIII, e seu irmão Jorge, o futuro Jorge VI da Inglaterra, estiveram na estação de Paula Souza. Os príncipes, de acordo com o correspondente da revista Nossa Estrada, Benvindo Lobo, vieram "fazer uma visita e realizar uma caçada de perdizes na fazenda Morrinhos, de propriedade do Sr. Lineu de Paula Machado. Às 8 horas dava entrada nessa estação (Paula Souza) o grande especial de Suas Altezas, que era composto de 9 carros e conduzido pela locomotiva 809, tendo como maquinista João Antonio e chefe de trem Filenno Bucci. O desembarque da comitiva se deu às 13 horas, estando SS. AA. acompanhados pelas seguintes pessoas, (entre outras) (...) Dr. Lineu de Paula Machado, Dr. João Teixeira Soares, (...) Carlos Chagas, (...) e Dr. Gaspar Ricardo Junior, chefe da 4ª divisão, que representava a Sorocabana. Logo após o desembarque, dirigiram-se todos ao "Haras Expedictus" da fazenda Morrinhos, onde visitaram suas principais instalações. O pavilhão de caça, destinado exclusivamente a SS. AA., foi transformado em acomodações, decoradas finamente. (...) A excursão terminou às 23 horas e (...) Às 23:27, partiu desta Estação o Especial de SS. AA., com destino a São Paulo (...)" (Revista Nossa Estrada nro. 27, 1931). A estação foi desativada em 1953, quando da entrada em operação da variante Rubião Junior-Juca Novais. "Faltando uns 7 km para chegar em Paula Souza-velha cruza-se o rio Pardo. Há uma ponte que acredito que seja da época da estrada de ferro e a 30 metros antes há uma caixa d'agua de concreto bem no leito da estrada. Enfim cheguei a Paula Souza-velha. No local há o prédio da estação, logo a frente uma pequena igreja e ao lado uma casa que acredito que tenha sido de funcionários da estrada de ferro. Fiquei parado naquele local por uns minutos e imaginando a locomotiva e sua fumaça, com seus vagões, chegando para pegar os passageiros e seguir viagem" (Adriano Martins, 09/2001). O leito da linha, hoje estrada de rodagem não pavimentada desde pouco depois da antiga estação de Serra D'água até Paula Souza, não pode ser percorrido além de Paula Souza, entrando em propriedade particular pouco depois desta vila, que, aliás, é um dos mais belos lugares de nosso interior. Porém, com toda essa história e beleza do local, a estação foi demolida em junho de 2015.

AO LADO: Da Folha de S. Paulo, anos 1960
AO LADO E ACIMA: A caçada às perdizes e a visita dos príncipes (foto: site* e reportagem: Folha da Manhã, 5/4/1931)

ACIMA: Armazém de Paula Souza, possivelmente anos 1950 (Autor desconhecido - acervo Antonio Fernando Pereira). ABAIXO: Ponte da linha velha, próxima a Paula Souza, sobre o rio Pardo: desativada em 1954 (Foto Flavio da Silva, 11/10/2015).



ACIMA: Mapa mostrando a linha nova e a velha da Sorocabana na região de Botucatu e de Avaré. Por ele dá para se ter uma idéia de como Paula Souza e outras saíram da linha e ficaram isoladas. A linha nova (estilizada, pois não mostra todas suas curvas) é a que está com barras (Acervo Ralph M. Giesbrecht). ABAIXO: Vista aérea da Fazenda Morrinhos; a linha pode ser vista na parte de baixo da fotografia (Cessão Antonio Fernando Pereira. Sem data).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1895 a 1953. Alguns horários registrados: (1948) 11:39, 17:10 e 3:19 vindos de Botucatu; 14:03, 22:40 e 9:31 vindos de Presidente Epitácio (Guia Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Fernando Castro Uze; Adriano Martins; Flavio da Silva; Antonio Fernando Pereira; Revista Nossa Estrada nro. 27, 1931; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1875-1960; Folha da Manhã, 5/4/1931; Folha de S. Paulo, 6/12/1961; *http://br.geocities.com/historiadebotucatu; Guias Levi, 1932-54; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A velha estação, em 16/09/2001. Nela desceu o Principe de Gales da Inglaterra em 1931. Foto Adriano Martins

A velha estação, em 16/09/2001. Ao fundo, a igrejinha, que aparentemente foi adaptada em um armazém da ferrovia. Foto Adriano Martins

Caixa d'água antes da ponte sobre o rio Pardo, entre as estações de Serra D'Água e Paula Souza. Foto Adriano Martins

Ponte sobre o rio Pardo, entre as estações de Serra D'Água e Paula Souza. Foto Adriano Martins

A estação, em 02/11/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

Cerca de dois quilômetros antes da estação, vindo de Serra D'água, casas de turma à beira do antigo leito (02/11/2001). Foto Ralph M. Giesbrecht
     
Atualização: 28.05.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.