A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Altinópolis
Pio Alves
Cobiça
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. São Paulo-Minas (1909-1971)
FEPASA (1971-1998)
PIO ALVES (antiga CONGONHAL)
Município de Altinópolis, SP
Linha-tronco - km 86 (1938)   SP-2718
Altitude: 789 m   Inauguração: 1909
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: As origens da E.F. São Paulo-Minas remontam a 1891, quando um médico da cidade de São Simão resolveu construir uma linha (Cia. Melhoramentos São Simão) que seguisse do centro até a fazenda Santa Maria. A empresa fechou em 1895, mas foi sucedida pela V. F. São Simão, em 1897. Esta se tornou em 1902 a E.F. São Paulo-Minas, quando passou a sair da estação de Bento Quirino e não mais do centro, sendo abandonada a linha que ligava este a Santa Maria, muito mais longa. A linha atingiu seu ponto máximo em 1911, quando alcançou São Sebastião do Paraíso, em Minas. A empresa mudou de donos mais vezes, até que em 1930, em dificuldades financeiras e dois anos após implantar um ramal de Serrinha (Ipaúna) a Ribeirão Preto, foi encampada pelo Estado. Em 1968, passou a ser administrada pela Mogiana, que fechou o trecho entre São Simão e Ipaúna. Em 1971, a SPM foi uma das cinco empresas fundidas para formar a Fepasa. Trens de passageiros correram até 1976. Atualmente a linha, de Ribeirão Preto até São Sebastião do Paraízo, está abandonada em quase toda a sua extensão.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pio Alves foi aberta em 1909, com o nome de Congonhal. Mudou de nome nos anos 1940. Em 1969, houve uma grande seca no município de Altinópolis. Alguns córregos viraram filetes minúsculos de água., outros secaram. Na estação de Pio Alves, a estação não podia mais abastecer suas locomotivas (ainda a vapor em 1969?) porque o córrego que a servia estava sendo desviado para irrigar uma plantação de tomates... (O Estado

ACIMA: A estação de Pio Alves desapareceu, sem traços. Ela ficava aqui. O mato cobra os trilhos, os trens não passam mais desde os anos 1990 (Foto Mauro Theodoro de Souza, 2007). ABAIXO: A escola de Pio Alves em janeiro de 2008: "Estudei nessa escola em 1973. Se nao me engano essa escola funcionou até 1977. Estudavam ali entre 30 e 40 crianças por horário. Era uma grande sala com piso de ladrilhos vermelhos, com amplas janelas e varanda em ambos os lados.Também tinha duas salas pequenas para guardar os materias escolares e dois banheiros. A sala era compartilhada. De manha a professora, Dona Clara, que morava em Altinópolis vinha dar aulas para a 1ª e 2ª série. À tarde vinha a Dona Carmelita de Batatais dar aulas para as 3ª e 4ª séries. As duas professoras se cotizavam para pagarem à minha mãe, uma pequena quantia, para que ela fizesse a merenda, que era sempre sopa de macarrão, e também fazer a limpeza da sala, tarefa que às vezes ficava a cargo de mim e meus irmãos" (Texro e fotografia de Mauro Theodoro de Souza).
de S. Paulo, 13/9/1969). Em 1986, o prédio já estava abandonado, e o relatório da Fepasa recomendava sua demolição. E ela foi realmente demolida. CLIQUE AQUI PARA VER O ÍNDICE DAS ESTAÇÕES DA SPM EM VÁRIAS ÉPOCAS
(Fontes: Mauro Theodoro de Souza; O Estado de S. Paulo, 1969). Em 1986, FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1986; Revista Frateschi, 1990; E. F. São Paulo-Minas: relação oficial de estações, 1937)
     

Estação de Pio Alves, sem data. Foto da Revista Frateschi, 1990

A estação em 1985. Acervo Mauro Theodoro de Souza

A estação em 1985. Acervo Mauro Theodoro de Souza

Estação de Pio Alves, totalmente abandonada, em 1986. Relatório de Instalações Fixas da Fepasa, 1986

Estação de Pio Alves, totalmente abandonada, em 1986. Relatório de Instalações Fixas da Fepasa, 1986
 
     
Atualização: 02.02.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.