A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Índice de estações
...
Mogeiro
Lauro Müller
Itabaiana
...

Ramal de C. Grande-1958
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
 
Great Western do Brasil (1907-1950)
Rede Ferroviária do Nordeste (1950-1975)
RFFSA (1975-1997)
LAURO MÜLLER
Município de Itabaiana, PB
Ramal de Campina Grande - km 149 (1960)   PB-3704
    Inauguração: 02.10.1907
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Campina Grande teve seu primeiro trecho entregue em 2 de outubro de 1907, entre a estação de Itabaiana, na linha da Great Western que ligava Recife a Natal, e a cidade paraibana de Campina Grande. Do outro lado do Estado da Paraíba, entre 1923 e 1926, a Rede de Viação Cearense alcançava a cidade de Souza, partindo de sua linha-tronco que ligava Fortaleza a Crato, no Ceará, a partir da estação de Arrojado. De Souza, a RVC avançou até Pombal (1932) e depois a Patos (1944). O trecho de 164 km entre Patos e Campina Grande somente seria entregue ao tráfego em 1958, e era justamente esta a linha que ligava o Nordete Ocidental ao Oriental, ou seja, o Ceará ao resto do Brasil. Hoje este ramal é um dos mais movimentados, em termos de cargueiros, do Nordeste, ligando Recife a Fortaleza e dali a São Luiz do Maranhão. O tráfego de passageiros no ramal foi desativado nos anos 1980.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Lauro Müller foi inaugurada em 1907

ACIMA: Ponte sobre o Rio Paraíba, no municipio de Itabaiana. Chama-se "Ponte de Guarita", por ficar próximo ao distrito de Guarita, e pouco antes da antiga estação de Lauro Muller, que foi demolida há alguns anos. A ponte tem cerca de 150 metros de vão (Foto e texto Jonatas Rodrigues, 2008).

pela Great Western, no trecho Itabaiana-Campina Grande. O nome foi uma homenagem ao ministro da Viação e Obras Públicas que aprovou e contratou o prolongamento da ferrovia de Pilar até Timbaúba, no estado de Pernambuco, no final do século XIX. Já foi demolida.

Em 1907... o trem apitava entrando na plataforma de Lauro Müller. É um ponto de parada, destinado mais a provisão d'agua às locomotivas. A companhia mandou construir ali uma elegante estação, que na parada do trem se apinhava de populares, na ânsia de contemplar o seu movimento. Eram moradores do povoado de Guarita, disseram-nos, os quaes ali foram assistir à chegada do comboio. Lauro Müller não tem casario; duas ou três casinhas completam com o pequeno chalet da estação, o seu todo... A Great Western, talvez por conveniência de serviços, resolveu fazer ali uma parada. Como affirmamos, a estação é elegante, regularmente subdividida, servindo como chefe o sr. Honório Lemos, que ao mesmo tempo exerce as funcções de telegraphista. Eram 3 horas e 40 minutos quando, ao signal convencionado, na balburdia alegre daquella centena de populares em contemplação ao movimento do trem, deixamos esse ponto de parada. O comboio marchava agora com alguma rapidez; naturalmente descambava numa descida. Sempre o sublime espetáculo já ligeiramente descripto. Seriam 3 horas e 53 minutos quando entravamos na gare de Mogeiro (Retalhos Históricos de Campina Grande: http://cgretalhos. blogspot.com).
(Fontes: Jônatas Rodrigues, 05/2006; http://cgretalhos. blogspot.com; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-1984; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     
     
     
Atualização: 06.09.2010
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.