...
Morretes
Porto de Cima
Engenheiro Lange
...
(A partir de 1987):
Eng. Roberto Costa
Porto de Cima
Engenheiro Lange
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2007
...
 
E. F. Paraná (1885-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
PORTO DE CIMA
Município de Morretes, PR
linha Curitiba-Paranaguá - km 50,600 (1936)   PR-2432
Altitude: 233 m   Inauguração: 05.02.1885
Uso atual: abandonada (2007)   com trilhos
Data de abertura do prédio atual: anos 1940
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Curitiba a Paranaguá, a mais antiga do Estado, foi aberta pela E. F. Paraná de Paranaguá a Morretes em 1883, chegando a Curitiba em fevereiro ded 1885. Durante seus 120 anos de existência ela pouco mudou, apenas dentro de Curitiba e na mudança de um ou outro túnel na serra. É considerada um dos marcos da engenharia ferroviária nacional, projetada por André Rebouças e construída por Teixeira Soares, depois de firmas estrangeiras recusarem a obra devido à dificuldade do trecho da serra, entre Morretes e Roça Nova. É também uma das poucas linhas que continua ter trens de passageiros, embora de forma turística apenas, desde os anos 1990, hoje explorado por uma concessionária privada, a Serra Verde. Em 1942, a E. F. Paraná foi englobada pela R. V. Paraná-Santa Catarina, e esta, em 1975, transformada em uma divisão da RFFSA. Em 1996, o trecho passou a ser operado pela ALL, que obteve a concessão da antiga RVPSC.
 
A ESTAÇÃO: Antigo pouso de tropeiros, localizada na estrada da Graciosa, Porto de Cima ganhou uma estação da ferrovia em 1885, colocada a cerca de três quilômetros do centro urbano.

A primitiva estação não passava em seu início de uma parada de serviço, com um pequeno edifício de madeira de imbuia, do lado esquerdo da linha, no Km 50 + 600 m na cota 233,40 m acima do nível do mar, acima da cota da vila do mesmo nome, que apenas se enxergava de longe (cf. artigo de A Gazetra do Povo de 23/11/1991). Durante os trabalhos de
construção, esta vila, então unidade política autônoma, serviu de concentração das frentes avançadas de suprimento e fiscalização dos serviços na serra. O próprio engenheiro João Teixeira Soares tinha casa no lugar denominado Prainha.

Nos anos 1940, a velha estação foi substituída pela atual, que em 2007 estava abandonada.








1913
AO LADO: Modificações nos pátios das estações da linha em 1913 (O Estado de S. Paulo, 8/6/1913).

ACIMA: Planta da estação de Porto de Cima, feita em 2002 - CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA AUMENTÁ-LA (Estação ferroviária de Porto de Cima, ABPF, 04/2002).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Pinto da Rocha; Dirceu Cavalcanti; Nilson Rodrigues; J C Kuester; RVPSC: Horáio dos trens de passageiros e cargas, 1936; O Estado de S. Paulo, 1913; ALL: Listagem de estações, 2000; RVPSC: relatórios, 1920-60)
     

A estação em 1947. Autor desconhecido

Antiga estação de Porto de Cima, sem data. Foto cedida por Ricardo Pinto da Rocha

A estação, sem data. Foto do acervo de Nilson Rodrigues

A estação, provavelmente anos 1980. Autor desconhecidoRVPSC:


Estação de Porto de Cima, em 30/05/2002. Foto tirada do trem, por Ralph M. Giesbrecht


A estação em 12/2007. Foto J C Kuester
     
     
Atualização: 17.07.2019
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.