...
Morretes
Porto de Cima
Engenheiro Lange
...
(A partir de 1987):
Eng. Roberto Costa
Porto de Cima
Engenheiro Lange
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2007
...
 
E. F. Paraná (1885-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
PORTO DE CIMA
Município de Morretes, PR
linha Curitiba-Paranaguá - km 50,600 (1936)   PR-2432
Altitude: 233 m   Inauguração: 05.02.1885
Uso atual: abandonada (2007)   com trilhos
Data de abertura do prédio atual: anos 1940
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Curitiba a Paranaguá, a mais antiga do Estado, foi aberta pela E. F. Paraná de Paranaguá a Morretes em 1883, chegando a Curitiba em fevereiro ded 1885. Durante seus 120 anos de existência ela pouco mudou, apenas dentro de Curitiba e na mudança de um ou outro túnel na serra. É considerada um dos marcos da engenharia ferroviária nacional, projetada por André Rebouças e construída por Teixeira Soares, depois de firmas estrangeiras recusarem a obra devido à dificuldade do trecho da serra, entre Morretes e Roça Nova. É também uma das poucas linhas que continua ter trens de passageiros, embora de forma turística apenas, desde os anos 1990, hoje explorado por uma concessionária privada, a Serra Verde. Em 1942, a E. F. Paraná foi englobada pela R. V. Paraná-Santa Catarina, e esta, em 1975, transformada em uma divisão da RFFSA. Em 1996, o trecho passou a ser operado pela ALL, que obteve a concessão da antiga RVPSC.
 
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: Antigo pouso de tropeiros, localizada na estrada da Graciosa, Porto de Cima ganhou uma estação da ferrovia em 1885, colocada a cerca de três quilômetros do centro urbano. A primitiva estação não passava em seu início de uma parada de serviço, com um pequeno edifício de madeira de imbuia, do lado esquerdo da linha, no Km 50 + 600 m na cota 233,40 m acima do nível do mar, acima da cota da vila do mesmo nome, que apenas se enxergava de longe. Durante os trabalhos de construção, esta vila, então unidade política autônoma, serviu de concentração das frentes avançadas de suprimento e fiscalização dos serviços na serra. O próprio engenheiro, João Teixeira Soares tinha casa no lugar denominado Prainha.

Nos anos 1940, a velha estação foi substituída pela atual, que em 2007 estava abandonada.









AO LADO: Modificações nos pátios das estações da linha em 1913 (O Estado de S. Paulo, 8/6/1913).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ricardo Pinto da Rocha; Dirceu Cavalcanti; Nilson Rodrigues; J C Kuester; RVPSC: Horáio dos trens de passageiros e cargas, 1936; O Estado de S. Paulo, 1913; ALL: Listagem de estações, 2000; RVPSC: relatórios, 1920-60)
     

A estação em 1947. Autor desconhecido

Antiga estação de Porto de Cima, sem data. Foto cedida por Ricardo Pinto da Rocha

A estação, sem data. Foto do acervo de Nilson Rodrigues

A estação, provavelmente anos 1980. Autor desconhecidoRVPSC:


Estação de Porto de Cima, em 30/05/2002. Foto tirada do trem, por Ralph M. Giesbrecht


A estação em 12/2007. Foto J C Kuester
     
     
Atualização: 07.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.