...
Barigüi
Araucária
Passaúna
...

IBGE - 1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...
 
E. F. Paraná (1891-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)

RFFSA (1975-1977)
ARAUCÁRIA
Município de Araucária, PR
linha Curitiba-Ponta Grossa - km 134,828 (1936)   PR-1168
Altitude: 918,000 m   Inauguração: 18.11.1891
Uso atual: demolida em 1978   sem trilhos
Data de abertura do prédio atual: 1962 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Curitiba a Ponta Grossa teve o seu primeiro trecho aberto em 1891, chegando a Ponta Grossa em 1894. Mais ou menos na metade do caminho, a estação de Serrinha, na margem direita do rio Iguassu, dava saída ao ramal de Rio Negro, que seguia para o sul, enquanto a linha de Ponta Grossa seguia para noroeste. Nos anos 1930 e 40, houve algumas modificações no traçado na região de Serrinha, e o entroncamento passou a ser feito na estação de Engenheiro Bley, próximo a Serrinha mas na margem esquerda do rio. No final dos anos 1969, uma variante ligando esta última a Ponta Grossa tirou várias estações da linha; em 1977, a variante Pinhais-Engenheiro Bley tirou mais outras, modificando totalmente o curso do ramal original. No início dos anos 1990, já não sobrava mais nada da antiga linha em seu leito original.
 
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: A estação de Araucária foi aberta em 1891, com a linha que ligava Curitiba à estação de Serrinha.

"O bairro Estação teve seu nome originado na localização da estação ferroviária de Araucária, que ali ficava. Meu bisavô Antoni Zagesky emigrou do Império Austrohúngaro para o Brasil iniciando suas atividades profissionais então E. F. São Paulo-Rio Grande como mestre de linha. Ele se aposentou em 1935 com 33 anos de serviço. Meu tio-avô Teophilo Zagesky era telegrafista, meu avô Pedro Zageski era carpinteiro, o irmão de minha avó pelo lado paterno era guarda-chaves e a sua casa era na margem do leito da estrada de ferro; ela ainda existe. Eu moro nas margens da PR423, rodovia que liga Araucária ao vizinho município de Campo Largo, a aproximadamente 400 m de onde era a estação. Aliás, a PR-423 está sobre o leito da extinta ferrovia. Fui testemunha ocular da demolição da Estação e da retirada dos trilhos. Eu ia a pé para a escola e passava em frente à casa do chefe da estação. Por muito tempo vi passar ao lado de minha casa comboios de vagões carregando gado e também tanques militares do batalhão do Exército vindos de Ponta Grossa e do norte do Paraná, além dos trens de subúrbio, que eram composições mistas de carga e passageiros que na época era nosso único meio de transporte até a capital. A primeira estação de Araucária era de madeira e foi destruída por um incêndio, e de acordo pelo que minha mãe, que o presenciou, conta, ela ouviu os estalos das telhas e foi ver o que estava acontecendo ao cair da tarde, em outubro de 1961. A estação era conjugada à casa do chefe da estação, Sr. Ladir, que tinha três filhos, um pequeno de berço, um mais velho e outro de idade intermediária, e a versão corrente da história foi que sua esposa ao sair para Curitiba teria deixado acesa uma vela. Esta causou o incêndio, queimando primeiro a cortina e aí se alastrando. As crianças estavam em casa e, ao verem o principio de incêndio, o filho mais velho tirou o irmão do berço e orientou o seu mais novo para sair pelo portão dos fundos, enquanto o chefe da estação, afoito para tentar salvar os filhos, não percebeu que eles haviam se abrigado na casa dos vizinhos, os Jacomel; ele entrou na casa em chamas e a parede lateral desabou sobre ele tirando-lhe a vida. Mais tarde foi construído um novo prédio para a estação, agora de alvenaria; esta foi a que foi demolida por volta de 1978. O relatório da Polícia Técnica, transcrito no relatório da RVPSC de 1962, entretanto, concluiu que a real causa do incêndio foi um curto-circuito" (Paulo Sérgio Zageski, Araucária, PR).

A estação de madeira incendiou-se em 1962. Foi substituída por uma de alvenaria, esta demolida em 1978. "Em 1962 concluiu-se a nova estação e casa do agente em alvenaria em Araucária*" (*Relatório da RVPSC para 1962). Foi desativada com o fim do trem de passageiros para Curitiba, em 1977. Chegou a atender trens de subúrbio no trecho Curitiba-Passaúna dos anos 1950 até o ano de 1977. A estação de Araucária ficava junto a um trevo da avenida que tem em seu centro hoje em dia um monumento apelidado de "Parafuso". Uma praça ao lado desse monumento era onde estava a estação. Nada restou. No leito da antiga linha, uma avenida.

Nesse ano de 1977, a linha foi substituída pela variante Pinhais-Engenheiro Bley, passando bem mais ao sul de Curitiba, e teve os trilhos retirados no início dos anos 1990. Nessa variante, uma estação com o mesmo nome foi aberta, Araucária-nova.

(Veja também ARAUCÁRIA-NOVA)

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Paulo Sergio Zageski; RVPSC: Relatórios anuais, 1920-60; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1926. Autor desconhecido

Ao fundo, à direita, a velha estação de Araucária, em 1935. O local era mesmo rural, totalmente diferente de hoje... Foto cedida por Paulo Sérgio Zageski

A primeira estação de Araucária, em 1950. Foto enviada por Paulo Sérgio Zageski

A segunda estação de Araucaria, construída para substituir a incendiada em 1962. Autor desconhecido. Provavelmente anos 1960

A praça, em 25/09/2002, não a que está em primeiro plano, mas atrás, do outro lado da rua, que era onde passava a linha, era onde ficava a estação. Ao fundo, casas da época. Foto Ralph M. Giesbrecht
 
     
     
Atualização: 08.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.