...
(1891-1945/47):
Guajuvira
Balsa Nova
Serrinha
...
(1945/47-2003):
General Lucio
Balsa Nova
Afonso Moreira
...

IBGE - 1957
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2002
...

 
E. F. Paraná (1891-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)

RFFSA (1975-1977)
BALSA NOVA
(antiga JOÃO EUGÊNIO)
Município de Balsa Nova, PR
linha Curitiba-Ponta Grossa - km 168,941 (1936)
variante Curitiba-Engenheiro Bley - km 312,964 (1987)
  PR-1539
Altitude: 865 m   Inauguração: 18.11.1891
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de abertura do prédio atual: 1891 (o primeiro) e 1987 (o segundo), ambos já demolidos
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Curitiba a Ponta Grossa teve o seu primeiro trecho aberto em 1891, chegando a Ponta Grossa em 1894. Mais ou menos na metade do caminho, a estação de Serrinha, na margem direita do rio Iguassu, dava saída ao ramal de Rio Negro, que seguia para o sul, enquanto a linha de Ponta Grossa seguia para noroeste. Nos anos 1930 e 40, houve algumas modificações no traçado na região de Serrinha, e o entroncamento passou a ser feito na estação de Engenheiro Bley, próximo a Serrinha mas na margem esquerda do rio. No final dos anos 1969, uma variante ligando esta última a Ponta Grossa tirou várias estações da linha; em 1977, a variante Pinhais-Engenheiro Bley tirou mais outras, modificando totalmente o curso do ramal original. No início dos anos 1990, já não sobrava mais nada da antiga linha em seu leito original.
 
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: A estação de Balsa Nova foi inaugurada como uma estação de madeira, em 1891.

Em 1938, a cidade foi rebatizada como João Eugênio, embora a estação ainda tenha mantido o nome de Balsa Nova até 1945. Somente em maio de 1954 a estação e a vila retomaram o nome original.

"Na Balsa Nova, pequenos vendilhões pregam o clássico 'ói os ovos'. Pastéis, milho cozido e frutas da época do ano. Garotos labutando pela vida, se fazem homens" (Carlos Klug, "Viajando de Trem" - Correio dos Ferroviários, 01/1964).

A cidade, que se tornou município em 1961, é muito pequena e os trilhos passam junto à praça central.

O prédio permaneceu até 1977, quando foi desativado, devido à entrega da variante Pinhais-Engenheiro Bley. A velha estação, fora dos trilhos pois a linha antiga havia sido removida, poucos anos depois foi demolida. Segundo moradores, ficava próxima à estação que foi construída em seguida, em 1986, para atender ao trem turístico da RFFSA que corria durante os fins de semana de Curitiba até a Lapa. A desativação desse passeio, no início dos anos 1990, fez com que a segunda estação, também de madeira, fosse também abandonada e finalmente demolida por volta de 1999. Segundo Ismael Grecinsky, essa segunda estação teria sido a estação de Barigui, desmontada e remontada em Balsa Nova.

Porém, uma foto do jornal O Estado do Paraná de 1991 mostra uma estação que era bem diferente da estação de Barigui, na verdade num estilo simples mas mais moderno, embora, realmente, de madeira. Fica, portanto, a dúvida. Hoje em seu lugar existe apenas um aterrado junto à linha. Existe ainda uma casa, que era do guarda-chaves, construída no lado oposto ao qual ficavam as estações anteriores, e um armazém, hoje ambos devidamente abandonados. Alguns desvios ainda existiam no local em 2002, quando lá estive.

"Como Balsa Nova ainda hoje é um cruzamento, a rede construiu uma nova estação no local e o trem fazia uma breve parada, mesmo que não houvesse um cruzamento com um cargueiro, contando inclusive com um chefe de estação devidamente caracterizado (coisas de estatal brasileira) que tocava o sino para a partida do trem. Cheguei a presenciar a cena algumas vezes, quando visitava uma tia que morava em Balsa Nova" (Paulo Radtke, 2016).

ACIMA: Pátio de Balsa Nova em abril de 2009. Ao fundo, a casa do guarda-chaves, hoje em ruínas (em 2002 estava inteira). Para a esquerda, fora da foto, mais ou menos à esquerda do fotógrafo, o armazém ainda inteiro - deve estar sendo utilizado pela ALL. Para trás, saída para Curitiba (Foto J. C. Kuester, 04/2009).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; J. C. Kuester; Ismael Grecinsky; Roseane Franco; Paulo Radtke; O Estado do Paraná, 1991; Carlos Klug: "Viajando de Trem" - Correio dos Ferroviários, 01/1964; RVPSC: Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; RFFSA: Relação de estações, 1987; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1958)
     

A estação em 1991. Foto do jornal O Estado do Paraná, em 25/01/1991

Os trilhos e a igreja na praça...

... junto de onde esteve por uns dez anos a estação que atendia ao passeio Curitiba-Lapa nos anos 1980...

...local de onde se via o viaduto e, ao fundo, à esquerda...

... a casa do guarda-chaves, então abandonada...

... como também o armazém a seu lado...

...enquanto algumas vezes ainda param por ali alguns autos de linha.
Fotos tiradas em 07/08/2002 por Ralph M. Giesbrecht  
     
Atualização: 04.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.