A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Mandiú
Restinga
Franca
...

Linha do Rio Grande-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2007
...
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1897-1971)
FEPASA (1971)
RESTINGA
Município de Restinga, SP
Linha do Rio Grande - km 404,567 (1938)   SP-1430
Altitude: 887 m   Inauguração: 24.06.1897
Uso atual: Secretaria da Cultura do município (2008)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Linha do Rio Grande foi inaugurada em seu primeiro trecho em 1886, e em dois anos (1888), já chegava a Rifaina, onde cruzava o rio Grande e mudava o nome para Linha do Catalão, que por sua vez chegou a Uberaba já no ano seguinte. Em 1970, as duas linhas foram seccionadas, com a construção da barragem de Jaguara. O trecho a partir de Pedregulho foi extinto, e logo depois, o trecho a partir de Franca também o foi. Em 1977, os trens de passageiros deixaram de circular, e em 1980, passou o último trem de carga. Em 1988, seus trilhos foram arrancados. Em 1990, foram recolocados os trilhos no trecho entre Pedregulho e Rifaina, constituindo-se a E. F. Vale do Bom Jesus, com fins turísticos.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Restinga foi aberta em 1897, dando origem à cidade que mais tarde se tornou município, em terras da Fazenda Monte Belo,de propriedade do Coronel Isaac Vilela de Andrade, à qual denominou Restinga em lembrança à vizinha fazenda com o mesmo nome, de propriedade de João Alexande Dias. "Nessa ocasião, o Coronel Isaac doou uma área e construiu uma capela, em torno da qual estabeleceu um loteamento em "datas", vendendo-as a fazendeiros e seus colonos. Foram os primeiros moradores os fazendeiros Joaquim Barbosa de Sales Pinto, Coronel Amélio Canto Rosa, Antônio de Oliveira Carvalho e ainda João simão, comerciante e fornecedor de dornentes à ferrovia, João Anselmo, José Marcelino de Agnelo, Santo Spadoni, Silverio Campaneli e Francisco Vilela. O major Joaquim Firmino de Andrade foi quem construiu as duas primeiras casas que deram início ao povoado e também instalou uma beneficiadora de café. Com a crise cafeicultura em 1929, a economia de Restinga sofreu grave revés, mas superou-se com a cultura de cereais em suas férteis terras e a criação de gado. Em agosto de 1912, foi criado o Distrito de paz e o Município, em fevereiro de 1964, instalado no ano seguinte" (http://biblioteca.ibge.gov.br). Os trens de passageiros passaram até fevereiro de 1977, mas a estação havia sido fechada em 1971, impedindo até que a população, na época de 5.400 habitantes, tivesse acesso ao telégrafo (parece que ainda precisavam, mesmo nessa época) (OESP, 11/8/1976). A linha ainda foi usada como cargueira até 1980 e teve os trilhos retirados por volta de 1988. Em 1986, ainda com os trilhos, mas sem movimento algum no ramal, a ex-estação já estava funcionando como terminal rodoviário da cidade. Em 2008, abrigava a Secretaria da Cultura do município.

ACIMA: Esquema do pátio de Restinga em novembro de 1968 (Clique sobre a figura para ter maiores informações) (Acervo Museu da Companhia Paulista, Jundiaí, SP - Reprodução Caio Bourg).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Cesar Café Barreto; Antonio C. Belviso; Hermes Y. Hinuy; http://biblioteca.ibge.gov.br; O Estado de S. Paulo, 1976; FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1986; Cia. Mogiana: Listagem oficial de estações, 1938)
     

Estação de Restinga, c. 1910. Foto do álbum da Mogiana, cedida por
A. C. Belviso

A estação de Restinga como rodoviária, em 1986. Foto do relatório da Fepasa desse ano

A antiga estação sendo reformada em 29/12/1999. Tapumes dificultaram as fotos. Foto Ralph M. Giesbrecht

A antiga estação, em 10/2003. Foto Cesar Café Barreto

A antiga estação, em 10/2003. Foto Cesar Café Barreto

A antiga estação, em 10/2003. Foto Cesar Café Barreto

A estação em 07/2004. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação em 07/2004. Foto Hermes Y. Hinuy

A estação em 30/12/2006. Foto Ralph M. Giesbrecht
     
Atualização: 22.07.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.