A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações de Minas Gerais
...
RMV-Cruzeiro-Juréia
...
Tacape
Américo Lobo
São Lourenço
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...

 
E. F. Minas e Rio (1884-1910)
Rede Sul-Mineira (1910-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
AMÉRICO LOBO (antiga CARMO)
Município de Carmo de Minas, MG
Linha Cruzeiro-Juréia - km 73,750 (1960)   MG-2745
Altitude: 869 m   Inauguração: 14.06.1884
Uso atual: moradia (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Cruzeiro-Tuiuti (depois Juréia) era originalmente parte da E.F. Muzambinho, que iniciou as atividades em 1887, entre Três Corações e Muzambinho, e parte da E. F. Minas e Rio, que operava o trecho Cruzeiro-Três Corações desde 1884, e que em 1908 incorporou a Muzambinho. Em 1910, esta foi uma das formadoras da Rede Sul-Mineira, que por sua vez formou a Rede Mineira de Viação, em 1931. Em 1965 esta formou a Viação Férrea Centro Oeste e foi finalmente transformada em divisão da Refesa em 1971. Na linha que unia a estação de Cruzeiro, no ramal de São Paulo da EFCB, a Juréia, terminal do ramal de Juréia, da Mogiana, o trecho final entre esta estação e Varginha já não tem mais seus trilhos. Os trens de passageiros foram suprimidos em 1966 entre Varginha e Juréia e em 1983 entre Cruzeiro e Três Corações. De 1997 ao fim de 2001, operaram trens turísticos da ABPF a vapor entre Cruzeiro e Passa-Quatro e hoje esses trens trafegam entre o túnel (Estação Cel. Fulgencio) e Soledade de Minas. Cargueiros da FCA utilizaram a linha Três Corações-Varginha até cerca de 2010.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Américo Lobo já teve grande movimento, na época em que a estação de São Lourenço era incipiente, no final do século 19. Chamava-se Carmo, pois ficava nesse município (hoje Carmo de Minas). Luiz Fernando Stockler encontrou, num cartório em Cristina, MG, o registro do terreno onde foi construída a estação do Carmo, na data de 24/12/1883: foi uma doação do Barão do Monte Verde para a Minas and Rio Railway.

Em 2014 ela ainda estava de pé, servindo como moradia de dona Vera, que mora ali desde o ano 2000. A estação estava em mau estado de conservação. O nome de Carmo ainda podia ser lido meio apagado debaixo do nome Américo Lobo.

ACIMA: Carro de linha da ABPF parado em frente à estação de Americo Lobo em fevereiro de 2014 (Foto Bruno Crivelari Sanches, 2014).

(Fontes: Bruno C. Sanches; Gutierrez L. Coelho; Cassio P. Fernandes; Ronald Colombini Junior; Fernando Stocler; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80)
     

A estação vista de um trem em 1983. Foto Cassio P. Fernandes

A estação, vista do alto, em 07/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação, em 07/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A bilheteria da estação, em 07/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação, em 07/2005. Foto Gutierrez L. Coelho

A estação em 2005. Foto Luiz Fernando Stockler
     
Atualização: 15.10.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.