A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações da linha
...
Casa de Pedra
Chagas Doria
São João Del Rey
...
Saída do ramal de Águas Santas (1910-1966):
Várzea do Marçal
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Oeste de Minas (1908-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
Ferrovia Centro-Atlântica (1996-2014)
CHAGAS DÓRIA
(antiga MATOSINHOS)

Município de São João del Rey, MG
Linha do Paraopeba - km 96,432 (1960)   MG-0091
Altitude: 856 m   Inauguração: 25.05.1908
Uso atual: vestiário da FCA (2009)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1911
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) foi aberta em 1880, ligando com bitola de 0,76 cm as estações de Sitio (Antonio Carlos) e Barroso. Mais tarde foi prolongada até São João Del Rey (1881), atingindo Aureliano Mourão em 1887, onde havia uma bifurcação, com uma linha chegando a Lavras em 1888 e a principal seguindo para o norte atingindo finalmente Barra do Paraopeba em 1894. Dela saíam diversos e pequenos ramais. A linha foi extinta em pedaços, tendo sido o primeiro em 1960 (Pompeu-Barra) e o último, em 1984 (Antonio Carlos-Aureliano), com exceção do trecho S.J. Del Rey-Tiradentes que e conserva em atividade até hoje. Também se conserva o trecho Aureliano-Divinópolis, ampliado para bitola métrica em 1960, ligando hoje Lavras a Belo Horizonte.
 
A ESTAÇÃO: A parada Matosinhos foi inaugurada em 25/05/1908. Ou dia 24, de acordo com uma notícia do dia 25 de maio de 1908 publicada no jornal O Estado de S. Paulo. A linha primitiva entre São João del-Rei e Tiradentes passava pela rua Amaral Gurgel, que ainda mantém o traçado da ferrovia. Há fontes que dizem que ela não tinha cobertura para movimentação de passageiros e cargas na época, mas, como o prédio ainda existe, a informação não parece correta. Afinal, havia um prédio funcionando como parada. "Este prédio, recentemente demolido, podia até ter relação com a ferrovia, mas acabei descobrindo que a primitiva estação Chagas Dória era de frente para a atual, existindo ainda um pedaço da sua plataforma. Esta estação foi ponta do Ramal de Matosinhos, que possuía cerca de 200 metros, até 1910 quando foi inaugurado o ramal das Águas Santas. Em 1911 a estação passou a estar na linha de centro devido à retificação do trecho primitivo entre São João del-Rei e Sítio" (Bruno Nascimento Campos, 2007). No mesmo ano, em agosto, a Câmara Municipal de São João solicitou ao então diretor da EFOM, o engenheiro Francisco Manoel Chagas Dória, a construção de um ramal que partisse de Matosinhos até o balneário de Águas Santas. Quando inaugurado o ramal, em 21.03.1910, a parada já havia sido desativada pouco antes, pois, para a

ACIMA: As coberturas das plataformas em 2014. (Foto Jonas Rodrigues).
construção do ramal, retificou-se a linha. Com isso, a parada, que já tinha o nome de Chagas Dória desde 2/6/1908, ficou fora da linha. Um novo prédio com o mesmo nome da parada original foi construído na linha nova, porque houve um grande aumento de demanda que acabou por culminar na construção de um prédio maior para a estação, inaugurado em 15.04.1911, e, por causa disto, há fontes que citam a data de inauguração da estação como sendo esta. Este ramal, que partia da estação de Chagas Dória, funcionou até 1966, também em bitola de 0,76m, e era um verdadeiro trem de subúrbio para a cidade de Tiradentes, embora a composição partisse de São João del Rey. Em 1984, com a erradicação de todo o trecho de bitola estreita da linha da Barra do Paraopeba, o trecho entre São João del Rey e Tiradentes, passando por Chagas Dória, foi mantido: até hoje, rodam as composições a vapor entre as duas estações, com fins turísticos. O passeio é operado pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). A estação sofreu várias intervenções, foi bastante descaracterizada e depois de ser abandonada por muito tempo, em 2004 estava em processo de reforma, terminada em 2005. A estação em 2009 servia de vestiário para os funcionários da FCA. Em 2014 ainda está bem conservada. (Veja também A POLÊMICA EM TORNO DA DATA DE INAUGURAÇÃO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE CHAGAS DÓRIA)
(Fontes: Carlos Migues; Jonas Rodrigues; Bruno Nascimento Campos; João Pires Barbosa Filho; Tarcísio José de Souza; Impressões do Brazil no século 20, 1913; José Claudio Henriques: Bairro de Matosinhos-Berço da Cidade de São João del-Rei; O Estado de S. Paulo: seção "Há cem anos", 25/5/2008; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação em 1912. Foto do livro Impressões do Brazil no século 20

A estação nos anos 1960. Foto cedida por Bruno N. Campos

A estação de Chagas Doria em 2003. Foto Tarcísio José de Souza

A estação em 2003. Foto Bruno N. Campos

A primitiva estação de Matosinhos, que somente durou de 1908 a 1910, ainda existe...

...e a rua é a Amaral Gurgel, antigo leito da ferrovia. A plataforma de embarque era aqui...

...e nesta foto pode-se ver uma visão mais ampla da rua e da antiga estação. Fotos Bruno Nascimento Campos

A estação em 2009. Foto Carlos Miguez

A estação, com as coberturas das plataformas ao fundo, em 2014. Foto Jonas Rodrigues
     
Atualização: 18.10.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.