A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Engenheiro Brito Conde
Azurita
Mateus Leme
...
Saída para o Ramal de Paracatu: Pará de Minas
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Oeste de Minas (1911-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
AZURITA
(antiga SOLEDADE DO PARÁ e SERRA AZUL)
Município de Mateus Leme, MG
Linha Belo Horizonte-Garças - km   MG-1487
Altitude: 794 m   Inauguração: 01.07.1911
Uso atual: escritório e dormitório da FCA (2011)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Belo Horizonte-Garças de Minas foi aberta entre 1911 e 1916 pela E. F. Oeste de Minas, ligando a capital a Garças, na época parte da E. F. Goiaz e situada na zona de mineração mineira, próxima a Goiás. Somente em 1920 foi construída a estação prórpia da EFOM na capital. A linha funciona até hoje para cargueiros, tendo sido na década de 1970 o seu início na capital fundido com a Linha do Paraopeba, da Central do Brasil. O seu trecho na região metropolitana de Belo Horizonte recebeu trens de subúrbio por muitos anos, e a partir dos anos 1990 passou a ter a linha do metrô acompanhando de perto a sua linha, que ficou somente para movimento dos trens cargueiros.
 

A ESTAÇÃO: A estação de Azurita foi inaugurada em 1911 com o nome de Soledade do Pará.

Depois teve o nome de Serra Azul, para finalmente receber o nome atual, Azurita. Daqui, entre 1927 e 1994, saía o ramal de Paracatu, antiga E. F. Paracatu.

"A estação por fora está depredada, pichada, suja e por dentro está intacta, novinha; ela foi reformada só por dentro e lá é escritório e dormitório do pessoal da FCA e um morador me informou que umas casas antigas que existem em frente a estação era uma vila ferroviária. A estação é enorme, bonita, porém por fora está toda suja" (Jonathan Sobral, 02/2006).

"Após a erradicação de postos de controle da FCA, ocorrida neste ano (2007), Azurita ficou entregue à própria sorte. Embora ainda inteira, a estação está fechada e já são visíveis os sinais de falta de manutenção. Por quanto tempo permanecerá assim, sem a rapinagem que conhecemos, é algo impossível de prever. Aparecer um mecenas que gaste dinheiro na conservação do prédio me parece utopia. O certo é que os trens da FCA agora passam diretos, mal usam o desvio paralelo à linha principal. Quanto aos desvios do pátio estão todos sem uso há muito tempo, os trilhos estão completamente oxidados" (Gutierrez L. Coelho, 29/10/2007).

Em 2012, estava bem maltratada.

ACIMA: O trem da EFOM parado na estação de Soledade do Pará em 1914, com os convidados para a inauguração do Grupo Escolar Torquato de Almeida, na cidade do Pará (Pará de Minas). ABAIXO: Em
2007, os trilhos de saída do ramal de Paracatu ainda existiam, embora com bastante mato )Foto Gutierrez L. Coelho).



ABAIXO: A estação de Azurita em maio de 2012 (Foto Selmo Victor Miranda).

(Fontes: Selmo Victor Miranda; Pedro Paulo Rezende; Jonathan Sobral; Alexandre Almeida; Gutierrez Lhamas Coelho; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)

     

A estação de Azurita ainda operacional em 2003. Foto Gutierrez Lhamas Coelho

A estação em 17/02/2006. Foto Jonathan Sobral

A estação em 04/2009. Foto Alexandre Almeida

A estação em 23/4/2011. Foto Pedro Paulo Rezende
   
     
Atualização: 07.07.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.