A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Silva e Oliveira
Azurita
Mateus Leme
...
Saída para o Ramal de Paracatu: Pará de Minas
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Oeste de Minas (1911-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
AZURITA
(antiga SOLEDADE DO PARÁ)
Município de Mateus Leme, MG
Linha Belo Horizonte-Garças - km   MG-1487
Altitude: 794 m   Inauguração: 01.07.1911
Uso atual: escritório e dormitório da FCA (2011)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha Belo Horizonte-Garças de Minas foi aberta entre 1911 e 1916 pela E. F. Oeste de Minas, ligando a capital a Garças, na época parte da E. F. Goiaz e situada na zona de mineração mineira, próxima a Goiás. Somente em 1920 foi construída a estação prórpia da EFOM na capital. A linha funciona até hoje para cargueiros, tendo sido na década de 1970 o seu início na capital fundido com a Linha do Paraopeba, da Central do Brasil. O seu trecho na região metropolitana de Belo Horizonte recebeu trens de subúrbio por muitos anos, e a partir dos anos 1990 passou a ter a linha do metrô acompanhando de perto a sua linha, que ficou somente para movimento dos trens cargueiros.
 

A ESTAÇÃO: A estação de Azurita foi inaugurada em 1911 com o nome de Soledade do Pará.

Depois teve o nome de Serra Azul, para finalmente receber o nome atual, Azurita. Daqui, entre 1927 e 1994, saía o ramal de Paracatu, antiga E. F. Paracatu.

"A estação por fora está depredada, pichada, suja e por dentro está intacta, novinha; ela foi reformada só por dentro e lá é escritório e dormitório do pessoal da FCA e um morador me informou que umas casas antigas que existem em frente a estação era uma vila ferroviária. A estação é enorme, bonita, porém por fora está toda suja" (Jonathan Sobral, 02/2006).

"Após a erradicação de postos de controle da FCA, ocorrida neste ano (2007), Azurita ficou entregue à própria sorte. Embora ainda inteira, a estação está fechada e já são visíveis os sinais de falta de manutenção. Por quanto tempo permanecerá assim, sem a rapinagem que conhecemos, é algo impossível de prever. Aparecer um mecenas que gaste dinheiro na conservação do prédio me parece utopia. O certo é que os trens da FCA agora passam diretos, mal usam o desvio paralelo à linha principal. Quanto aos desvios do pátio estão todos sem uso há muito tempo, os trilhos estão completamente oxidados" (Gutierrez L. Coelho, 29/10/2007). Em 2012, está bem maltratada.
ACIMA: O trem da EFOM parado na estação de Soledade do Pará em 1914, com os convidados para a inauguração do Grupo Escolar Torquato de Almeida, na cidade do Pará (Pará de Minas). ABAIXO? Em 2007, os trilhos de saída do ramal de Paracatu ainda existiam, embora com bastante mato )Foto Gutierrez L. Coelho).



ABAIXO: A estação de Azurita em maio de 2012 (Foto Selmo Victor Miranda).

(Fontes: Selmo Victor Miranda; Pedro Paulo Rezende; Jonathan Sobral; Alexandre Almeida; Gutierrez Lhamas Coelho; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)

     

A estação de Azurita ainda operacional em 2003. Foto Gutierrez Lhamas Coelho

A estação em 17/02/2006. Foto Jonathan Sobral

A estação em 04/2009. Foto Alexandre Almeida

A estação em 23/4/2011. Foto Pedro Paulo Rezende
   
     
Atualização: 28.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.