A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Estações de Minas Gerais
...
RMV - Linha do Sapucaí
...
Itajubá
Piranguinho
Olegário Maciel
...
Saída para o ramal de Paraisópolis:
Dias
...

Ramal de Sapucaí - 1931
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...
 
V. F. Sapucaí (1892-1910)
Rede Sul-Mineira (1910-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1986)
PIRANGUINHO
Município de Piranguinho, MG
Ramal de Sapucaí - km 186,334 (1957)   MG-2012
Altitude: 836 m   Inauguração: 19.04.1892
Uso atual: moradia (2010)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Viação Férrea do Sapucaí, aberta como E. F. do Sapucaí em 1887, inaugurou o primeiro trecho de linha até Itajubá em 1891, partindo de Soledade, na E. F. Minas e Rio. Em 1897 chegou a Sapucaí, na divisa com São Paulo, tendo cedido o trecho que chegava a Itapira à Mogiana bem antes disso. Incorporada pela Rede Sul-Mineira em 1910, daí à RMV em 1931, VFCO em 1965 e finalmente à RFFSA em 1975, os trens de passageiros deixaram de circular no final dos anos 1970 e os trilhos foram retirados a partir de 1986.
 
A ESTAÇÃO: A velha estação de Piranguinho, inaugurada em 1892, hoje serve de moradia para a família de Odilon Sobrinho. O prédio da antiga estação está descaracterizado, mas bem cuidado, já sem as portas e as janelas originais. Em uma velha foto dá para ver que

ACIMA: Notícia da inauguração da estação de Piranguinho (Gazeta de Notícias, abril de 1892).
o leito tinha duas linhas - uma principal e um desvio. Até cerca de 1991, quando retiraram a linha, ainda passavam alguns cargueiros por ali. O leito virou avenida asfaltada. Os fundos da estação dão para o lado da rodovia que liga Piranguinho a Itajubá. Segundo Odilon, a cobertura da plataforma foi destruída por um comboio alto demais que não conseguiu passar e derrubou as mãos francesas e a cobertura, segundo ele, nos anos 1970. A família já mora lá há 37 anos. "A origem dos famosos pés-de-moleque de Piranguinho, era que uma senhora esposa de um funcionário da rede fazia para vendê-los na estação do trem aos passageiros pelos moleques", (Demétrio Mota, 06/2005).
(Fontes: Ralph Mennucci Giesbrecht, pesquisa local; Daniel Iozzi Sperandelli; Demétrio Mota; Odilon Sobrinho; Gazeta de Notícias, 1892; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação, lado da plataforma, e as duas linhas, juntamente com as crianças e a moça que até hoje mora na casa. Foto cedida por Odilon Sobrinho

A estação em 24/10/2004. Onde está o carro estacionado era o leito com os trilhos. Foto Ralph Mennucci Giesbrecht.

A estação em 24/10/2004. Foto Ralph Mennucci Giesbrecht.

A estação em 2/2010. Foto Daniel Iozzi Sperandelli
   
     
Atualização: 10.11.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.