A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Rutilo
Arantina
José Bieca
...
Saída para o ramal de Bom Jardim de Minas: Bom Jardim de Minas
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Oeste de Minas (1914-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
ARANTINA (antiga ARANTES)
Município de Arantina, MG
Linha-Tronco - km 217,090 (1960)   MG-1538
Altitude: 989 m   Inauguração: 21.06.1914
Uso atual: centro cultural (2011)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da RMV foi construída originalmente pela E. F. Oeste de Minas a partir da estação de Ribeirão Vermelho, onde a linha de bitola de 0,76 chegou em 1888. A partir daí, a EFOM iniciou seu projeto de ligar o sul de Goiás a Angra dos Reis, passando por Barra Mansa por bitola métrica: construída em trechos, somente em 1928 a EFOM chegou a Angra dos Reis, na ponta sul, e no início dos anos 1940 a Goiandira, em Goiás, na ponta norte, e já agora como Rede Mineira de Viação. A linha chegou a ser eletrificada entre Barra Mansa e Ribeirão Vermelho, e transportou passageiros até o início dos anos 1990, quando o último trecho que ainda o fazia, Barra Mansa a Lavras, teve o trem suprimido. Nos anos 1970, o trecho final norte entre Monte Carmelo e Goiandira foi erradicado devido à construção de uma represa no rio Paranaíba, e a linha foi desviada para oeste encontrando Araguari. Hoje (2003) a linha, já não mais eletrificada, é operada pela concessionária FCA.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Arantina foi inaugurada em 1914 com o nome de Arantes.

Daqui saía um curto ramal que a ligava à estação de Bom Jardim de Minas, na linha da Barra, também da RMV.

Arantina era o ponto de cruzamento do trem expresso. Tinha escala de maquinistas e foi um movimentado entroncamento quando existia a linha da Barra. Ali faz um frio siberiano. Até 1995
ainda recebeu trens de passageiros, o trem que fazia a linha Barra Mansa-Lavras e também chamado de Trem Mineiro.

"Saudades da baldeação que fazíamos em minha infância no Rutilo para chegarmos à Arantina, terra de meu pai... Saíamos de Itajubá, baldeávamos em Soledade, pegando o trem que ia para Barra do Piraí e descíamos no Rutilo para esperar o trem Barra Mansa-Ribeirão Vermelho e chegarmos a Arantina. No retorno embarcava-se num vagão já reservado, no trem que vinha de madrugada para Barra Mansa, sendo que chegando ao Rutilo, era feita a manobra e esse vagão se incorporava ao trem da linha da Barra até Soledade" (Antonio Marcelino Rodrigues, 26/2/2014).

ACIMA: Trens da linha-tronco da antiga RMV se cruzam em Arantina, provavelmente anos 1980. O trem do lado de cá da estação (no centro-direita da foto) seguia para Barra Mansa, enquanto o outro seguia para Ribeirão Vermelho (Fotografia e descrição de Ricardo Resende Coimbra). ABAIXO: Arantina, estação ainda ativa nos anos 1990 com o trem Barra Mansa-Ribeirão Vermelho (Trem Mineiro) (Autor desconhecido).



ACIMA: Chegada do trem a Arantina em 1995 (Foto Carlos Roberto de Almeida, 3m 13/2/1995).
À DIREITA: relato de Anderson Nascimento, em 18/10/2011.
A estação de Arantina era o local onde o Trem Mineiro cruzava, um saía de Barra Mansa e outro saía de Ribeirão Vermelho. Era comum ver as famílias saírem de um trem e passar para o outro, retornando assim às suas cidades de origem. Era um passeio diferente, seguro, atrativo e que unia as famílias, coisa rara nos dias atuais.
(Fontes: Carlos Roberto Almeida; Anderson Nascimento; Ricardo Resende Coimbra; Antonio Marcelino Rodrigues; Alberto del Bianco; José H. Bellorio; Ronan Pereira do Amaral;José Agenor de Siqueira; William Martins; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

Arantina nos bons tempos, anos 1980, com o trem de passageiros Barra Mansa-Lavras. Foto Alberto del Bianco

A estação em 2000. Foto José H. Bellorio

A estação em 2000. Foto Ronan Pereira do Amaral

Estação de Arantina, 2000. Foto Ronan Pereira do Amaral

Plataforma da estação de Arantina, 2000. foto Ronan Pereira do Amaral

A estação em 2002, repintada. Foto José Agenor de Siqueira

A estação em 2004. Foto William Martins

A estação em 3/9/2011. Foto Anderson Nascimento

A estação em 16/7/2015. Foto Anderson Nascimento
     
Atualização: 23.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.