A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
RMV - Linha-tronco
...
Linha-tronco da RMV:
Carvão
Rutilo
Arantina
...
Linha da Barra:
Meio do Mundo
Rutilo
Bom Jardim de Minas
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
tronco RUTILO linha barra
Município de Liberdade, MG
Linha-Tronco - km 202,335 (1960)   MG-0861
Altitude: 1.084 m   Inauguração: 10.06.1931
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da RMV foi construída originalmente pela E. F. Oeste de Minas a partir da estação de Ribeirão Vermelho, onde a linha de bitola de 0,76 chegou em 1888. A partir daí, a EFOM iniciou seu projeto de ligar o sul de Goiás a Angra dos Reis, passando por Barra Mansa por bitola métrica: construída em trechos, somente em 1928 a EFOM chegou a Angra dos Reis, na ponta sul, e no início dos anos 1940 a Goiandira, em Goiás, na ponta norte, e já agora como Rede Mineira de Viação. A linha chegou a ser eletrificada entre Barra Mansa e Ribeirão Vermelho, e transportou passageiros até o início dos anos 1990. Nos anos 1970, o trecho final norte entre Monte Carmelo e Goiandira foi erradicado devido à construção de uma represa no rio Paranaíba, e a linha foi desviada para oeste encontrando Araguari. Hoje (2003) a linha, já não mais eletrificada, é operada pela concessionária FCA.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Rutilo foi aberta em 1931. Aqui se cruzavam, entre 1931 e o início dos anos 1980, a linha-tronco e a Linha da Barra (Soledade-Barra do Piraí), a primeira originalmente da EFOM, a segunda da E. F. Sapucaí e ambas posteriormente da RMV. Pelo que entendi, até 1931 a linha-tronco descia de Lavras para Bom Jardim de Minas, fazendo ali a junção de trens de uma linha para outra quando necessário,enquanto o cruzamento direto das linhas era na região de Rutilo, onde até então não existia uma estação. Segundo o livro "As ferrovias em Minas Gerais" (Pimenta, Eleutério e Caramuru, SESC, 2003), a estação de Rutilo tinha duas partes que se cruzavam. Na linha superior, a linha-tronco da antiga EFOM com plataforma e agência, hoje tudo demolido. Na linha de baixo, que ficava em baixo da ponte da linha-tronco da EFOM, depois da RMV, havia uma plataforma com a linha da antiga E. F. Sapucaí. Hoje a plataforma é tudo o que resta; a linha foi erradicada há mais de vinte anos. O curioso é que, pelas fotos, quem fazia a baldeação de linhas nessa estação tinha de andar um bocado, no meio do nada. "Eu me lembro, quando fiz a viagem de Barra Mansa ate Lavras, quando ele chegava em Rutilo, eu não entendia muito bem o movimento desta estação, pois não via uma cidade por perto. Depois entendi que ela servia tanto a Bom Jardim, que fica a uns 8 km, como ao município de Liberdade. Havia um ônibus que ia até Liberdade e também táxi para Bom Jardim. Bons tempos" (Decio Marques, 08/2006). "Minha avó

ACIMA: Ponte da linha da Barra que passava sobre o Rio Grande e fica no antigo leito entre Rutilo e Liberdade, próximo de onde ficaria a estação Meio do Mundo (Autor desconhecido). ABAIXO: Ponte sobre o rio Grande, próxima também a Rutilo (Foto Jorge A. Ferreira).

comentou sobre isso, ela morava em Liberdade e para embarcar no trem para Barra Mansa os passageiros tinham de subir até a outra estação, muitos achavam ruim fazer tal coisa mas nem imaginavam que o pior estava por vir... com a desativação da linha para Barra do Piraí, os passageiros de Liberdade passaram a utilizar a estação de Augusto Pestana, só que não havia condução da cidade até a estação e os passageiros tinham de completar a viagem até Liberdade a bordo de caminhões de leite, jipes ou carroças depois de esperar algumas horas até que alguma dessas conduções aparecessem na estação...
" (Margo Giffoni, 12/2006). "A estação fica a uns oito quilômetros do município de Bom Jardim de Minas e é alcançada pelo antigo leito da linha da Barra há muitos anos erradicada. No local se vê uma pequena plataforma, que segundo consta nunca foi coberta, da linha da Barra, abaixo

ACIMA: Linha de união com a linha da barra ainda sobrevive próxima à ponte sobre o rio Grande em Rutilo (Foto Jorge A. Ferreira). ABAIXO: Trem de passageiros passa pela estação de Rutilo (da linha-tronco), vista ao fundo ao lado esquerdo. Atrás dela, a subestação elétrica (Foto Paulino de Moraes).
do pontilhão da linha-tronco que é emendado ao pontilhão sobre o rio Grande. A estação da linha-tronco não existe mais, já nos últimos anos do trem entre Ribeirão Vermelho e Barra Mansa que circulou até 1996 ele não parava no local e a estação estava já em ruínas. Pouco além da estação no sentido de Barra Mansa está ainda de pé a subestação eletrica idêntica à existente em Andrelandia, cujo interior encontra-se depredado. Segundo relatos passageiros provenientes das estações da linha-tronco desciam na estação e iam para a linha da Barra esperar a Maria Fumaça que fazia o transporte nesta última; muitos subiam no trem no meio do terreno mesmo pois a plataforma era muito acanhada e em dias de festas não comportava todos
" (Andreaza Costa, 06/2004). Trilhos ligavam as duas linhas. Aliás, ainda existia em 2007, abandonada, parte dessa linha de união. "Saudades da baldeação que fazíamos em minha infância no Rutilo para chegarmos à Arantina, terra de meu pai... Saíamos de Itajubá, baldeávamos em Soledade, pegando o trem que ia para Barra do Piraí e descíamos no Rutilo para esperar o trem Barra Mansa-Ribeirão Vermelho e chegarmos a Arantina. No retorno embarcava-se num vagão já reservado, no trem que vinha de madrugada para Barra Mansa, sendo que chegando ao Rutilo, era feita a manobra e esse vagão se incorporava ao trem da linha da Barra até Soledade" (Antonio Marcelino Rodrigues, 26/2/2014).
(Fontes: Jorge A. Ferreira; Paulimo de Moraes; Antonio Marcelino Rodrigues; Francisco José Seixas de Cerqueira; Andreaza Costa; Decio Marques; Marco Giffoni; Pimenta, Eleutério e Caramuru: As ferrovias em Minas Gerais, SESC, 2003; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1932-80)
     

Locomotiva elétrica no pátio de Rutilo, em 1950. Foto enviada por Francisco José Seixas de Cerqueira

A estação de Rutilo nos anos 1990. Foto Paulino de Moraes

A plataforma da antiga linha da Barra, abandonada...

...enquanto a da linha-tronco aparece ali ao fundo, depois da subestação também abandonada...

...e aqui, a plataforma, vista mais de perto...

...perto da subestação...

...e ao longe uma antiga ponte da linha da Barra. Fotos Andreaza Costa, em 06/2004
     
Atualização: 01.03.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.