A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Lídice
Rio Claro
Getulândia
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Oeste de Minas (1897-1931)
Rede Mineira de Viação (1931-1965)
V. F. Centro-Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
RIO CLARO (antiga ITAVERÁ)
Município de Rio Claro, RJ
Linha-Tronco - km 65,584 (1960)   RJ-0123
Altitude: 431 m   Inauguração: 15.05.1897
Uso atual: desconhecido; em pé (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da RMV foi construída originalmente pela E. F. Oeste de Minas a partir da estação de Ribeirão Vermelho, onde a linha de bitola de 0,76 chegou em 1888. A partir daí, a EFOM iniciou seu projeto de ligar o sul de Goiás a Angra dos Reis, passando por Barra Mansa por bitola métrica: construída em trechos, somente em 1928 a EFOM chegou a Angra dos Reis, na ponta sul, e no início dos anos 1940 a Goiandira, em Goiás, na ponta norte, e já agora como Rede Mineira de Viação. A linha chegou a ser eletrificada entre Barra Mansa e Ribeirão Vermelho, e transportou passageiros até o início dos anos 1990. Nos anos 1970, o trecho final norte entre Monte Carmelo e Goiandira foi erradicado devido à construção de uma represa no rio Paranaíba, e a linha foi desviada para oeste encontrando Araguari. Hoje (2003) a linha, já não mais eletrificada, é operada pela concessionária FCA.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Rio Claro foi inaugurada em 1897, tendo sido ponta de linha por muitos anos, até a inauguração da estação de Lídice, treze anos depois.

Chamou-se, por um tempo, Itaverá.

O prédio atual não é o original de 1897. O original era de madeira e, em 1909 (ver abaixo), estava em péssimo estado. Um novo prédio, que é o que ainda existia em 2003, foi construído mais tarde, em data não determinada e posterior a 1922.

Em fevereiro de 1957, foi aberta a linha com eletrificação entre as estações de Barra Mansa e de Rio Claro. Foi o último trecho a receber esse melhoramento na linha Angra-Goiandira. Na época, o trecho Barra Mansa-Andrelândia já havia-a recebido. Não durou muito: nos anos 1980, já havia sido erradicada a eletrificação.

O tráfego de passageiros naquele trecho, descendo e subindo a serra, foi extinto entre 1979 e 1980 (ref.: Guia Levi). Mas alguns trens turísticos foram implantados depois disso. Enquanto a RFFSA era a dona da linha, até 1996, eles funcionaram. Com a entrada das concessionárias, eles foram suprimidos. É, foi uma pena. A subida da serra, descrita por passageiros desses últimos trens, era muito bonita. O trem subia a partir da saída do pátio de Angra dos Reis até a estação do Alto da Serra. Daí descia até Lídice, onde esses trens geralmente paravam por um tempo e voltavam.

O prédio da velha estação estava abandonado em 2003. Em 2016, não parecia abandonado, mas não soube o uso.


ACIMA: O estado da estação era bastante precário em 1909 (A Imprensa, 5/9/1909).

(Fontes: Gutierrez Lhamas Coelho; Bruno N. Campos; J. C. E. Alves; A Imprensa, 1909; Revista Ferroviaria, março/1957; Mucio Jansen Vaz: Estrada de Ferro Oeste de Minas - Trabalho Historico-Descriptivo ,1922)
     

A estação antiga, supostamente no dia da inauguração, em 1897. Foto de arquivo

A estação antiga, em 1922. Foto do livro "Estrada de Ferro Oeste de Minas - Trabalho Historico-Descriptivo" de Mucio Jansen Vaz (1922), cedida por Bruno N. Campos

A estação em 2003. Foto Gutierrez Lhamas Coelho

A estação em 2003. Foto Gutierrez Lhamas Coelho

A estação em 1/4/2016. Foto J. C. E. Alves
 
     
Atualização: 15.06.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.