A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Teodósio
Pelotas
Capão Seco
...
Saída para o ramal de Canguçu: Inspetor Moises
...

Mapa da linha - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Southern Brazilian R. G. do Sul Ry. Co. Ltd. (1884-1905)
Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1905-1920)
V. F. Rio Grande do Sul (1920-1975)
RFFSA (1975-1996)
PELOTAS
Município de Pelotas, RS
Linha Cacequi-Maritima - km 1.062,905 (1960)   RS-0448
Altitude: 3 m   Inauguração: 02.12.1884
Uso atual: em restauração (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1884
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha foi construída em partes: pela Southern Brazilian Rio Grande do Sul Railway Company Limited, sucessora de uma série de concessões anteriores, a Bagé-Marítima, em 1884. De Cacequi a São Gabriel, em meados de 1896 e de São Sebastião a Bagé, no final do mesmo ano, ambos pela pela E. F. Porto Alegre-Uruguaiana. Em 1900, a união São Sebastião-São Gabriel completaria o trecho Bagé-Rio Grande. Era uma linha de grande utilidade pois transportava gado e charque para o porto do Rio Grande, apesar de, no final do século 19, ter baixo movimento por causa dos altos preços do frete, dos maus serviços e da interrupção do serviço dos trens pela Revolução Federalista. Os trens de passageiros partiam de Livramento, em outra linha, chegavam a Cacequi e dali até Bagé. Em Bagé, havia que se trocar de trem para chegar a Rio Grande. Uma série de variantes foi entregue entre 1968 e os anos 1980 - Pedras Altas, Três Estradas, Pedro Osório, Pelotas - que encurtaram e melhoraram seu traçado, eliminando diversas das estações originais. Até 1982 as linhas ainda transportavam passageiros, quando o serviço foi interrompido devido ao desabamento de uma ponte em Pedro Osorio; uma nova linha foi construída logo depois. O transporte de passageiros retornou algum tempo depois mas com trens mistos, que duraram até meados dos anos 1990.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pelotas foi inaugurada em 1884. Dali saíam ramais para o porto da cidade.

A partir de 1950, também passou a sair dali um ramal para a cidade de Canguçu, ramal que estava programado para continuar até a cidade de Santa Maria. Em 1963, depois de se desistir dessa continuação, o ramal foi extinto.

Atualmente a estação está em pé, mas esteve abandonada por muitos anos, com portas lacradas, pixações, depredações, etc. e o lixo se espalhava pelo seu interior, até ser restaurada em 1914. Ainda é o mesmo prédio original.

Em 2003 estava assim: "Fotografei a estação antes que ela acabe. A linha é utilizada por trens que vão até Rio Grande. A situação do prédio gera incomodação, indignação e outros sentimentos em boa parte da população local. Uma parte foi incendiada como de costume" (Rodrigo Cabredo, 07/2003).

A estação continuava no mais completo abandono. Neste mesmo ano, foi iniciada uma restauração, que estava adiantada em agosto de 2014. Em 2016 estava restaurada.

ACIMA: Estação de Pelotas no início do século XX (Cartão postal de 1908).

ACIMA: (esquerda) O pátio da estação, com o prédio ao fundo, no centro, em 1985. (direita) A mesma cena em 2007. O abandono após 22 anos é claríssimo (Fotos Alfredo Rodrigues).

ACIMA: Ramais do porto de Pelotas, no início do século 20 (Cartão postal). ABAIXO: Passarela para se chegar à estação e o prédio ao fundo (Foto Marilia, 2012).
(Fontes: Carlos Latuff; Vitor Hugo Langaro; Alejandro Polvorines; Antonio A. Gorni; Marilia __; Rodrigo Cabredo; Alfredo Rodrigues; Carlos Cornejo; Wanderley Duck; Guias Levi, 1940-81; Revista Refesa, 1968; IPHAE: Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, 2002; Revista da Semana, 1922; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     


A estação de Pelotas, na época de sua inauguração, em 1884. Foto cedida por Wanderley Duck


A estação no início do século 20. Foto de cartão postal, acervo Carlos Cornejo

A estação em 1903. Autor desconhecido

A estação de Pelotas, lado da plataforma com os passageiros esperando o trem, em 1922. Foto da Revista da Semana

A estação em 1969, ainda com movimento de locomotivas a vapor. Foto cedida por Antonio A. Gorni

Na estação já caindo aos pedaços, nos anos 1990 uma G-26 da RFFSA posa na plataforma. Foto Alfredo Rodrigues

Plataforma da estação em 07/2003. Foto Rodrigo Cabredo

Interior da estação em 07/2003. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 07/2003. Foto Rodrigo Cabredo

Fachada da estação em 07/2003. Foto Rodrigo Cabredo

A estação em 01/2009 estava em petição de miséria. Foto Alfredo Rodrigues

A estação restaurada em 2014. Foto Vitor Hugo Langaro

A estação em 19/8/2015 - Foto Alfredo Rodrigues

A estação em 27/1/2016. Foto Alejandro Polvorines
 
     
Atualização: 06.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.