Estações Ferroviárias do Estado do Rio Grande do Sul

Neste Estado, a partir de 1905, as ferrovias foram unficadas sob o nome de VFRGS - Viação Férrea do Rio Grande do Sul. Na época algumas linhas já pertenciam à Cie. Auxiliaire, outras ao Governo; A VFRGS foi entregue à administração desta última, que, por sua vez, passou a fazer parte da Brazil Railways em 1911. Em 1920, a VFRGS passou a ser uma empresa estatal. Em 1957, foi encampada pela RFFSA - Rede Ferroviária Federal, que, em 1969, a transformou em uma de suas Divisões. Hoje, toda a malha ferroviária do Estado (com exceção da Trensurb) está, desde 1996, nas maõs da concessionária ALL - América Latina Logística. Nas páginas das estações, os nomes que aparecem são, ou o concessionário da empresa, ou a própria empresa, quando assumida pelo Estado ou União. É apenas um critério.

Linha Livramento-Cacequi (1910-2004)
Linha Livramento-São Sebastião (1923/45-2004)
Linha Cacequi-Bagé-Marítima (1884/1900-2004)
Ramal de Jaguarão
Ramal de Cangussu
Ramal do Cassino (1897-c.1962)

HISTÓRICO DAS LINHAS:

LINHA CACEQUI-BAGÉ-MARÍTIMA: A linha foi construída em partes: pela Southern Brazilian Rio Grande do Sul Railway Company Limited, sucessora de uma série de concessões anteriores, a Bagé-Marítima, em 1884. De Cacequi a São Gabriel, em meados de 1896 e de São Sebastião a Bagé, no final do mesmo ano, ambos pela pela E. F. Porto Alegre-Uruguaiana. Em 1900, a união São Sebastião-São Gabriel completaria o trecho Bagé-Rio Grande. Era uma linha de grande utilidade pois transportava gado e charque para o porto do Rio Grande, apesar de, no final do século 19, ter baixo movimento por causa dos altos preços do frete, dos maus serviços e da interrupção do serviço dos trens pela Revolução Federalista. Os trens de passageiros partiam de Livramento, em outra linha, chegavam a Cacequi e dali até Bagé. Em Bagé, havia que se trocar de trem para chegar a Rio Grande. Uma série de variantes foi entregue entre 1968 e os anos 1980 - Pedras Altas, Três Estradas, Pedro Osório, Pelotas - que encurtaram e melhoraram seu traçado, eliminando diversas das estações originais. Até 1982 as linhas ainda transportavam passageiros, quando o serviço foi interrompido devido ao desabamento de uma ponte em Pedro Osorio; uma nova linha foi construída logo depois. O transporte de passageiros retornou algum tempo depois mas com trens mistos, que duraram até meados dos anos 1990.

VARIANTE DE PEDRAS ALTAS: A variante de Pedras Altas foi entregue depois de mais de vinte anos de projeto e construção, em 04/04/1968, entre as estações de Hulha Negra e de Herval, deixando a linha original entre elas desativada definitivamente. Novas estações foram construídas na variante, até hoje em atividade para cargueiros.

RAMAL DE DOM PEDRITO: A linha entre São Sebastião, na Cacequi-Maritima, e Dom Pedrito foi aberta em 1923 (1925?), sendo que somente por volta de 1946 ela foi esticada até Livramento, onde se encontrava com o início de outra linha, Livramento-Cacequi. Entre 1963 e 1971, não são acusados trens dee passageiros no trecho mais novo (Dom Pedrito-Livramento), voltando eles em 1972 para serem extintos por volta de 1979. O ramal foi totalmente erradicado.

RAMAL DO CASSINO: A linha do ramal de Cassino foi construída pela Cia. de Carris Urbanos de Rio Grande e inaugurada em 1890, para ligar o elegante Balneário Cassino com a cidade do Rio Grande. Em 1891 foi incorporada pela Viação Rio-Grandense e em1900 pela Southern Brasilian Railway. A linha original, que saía da estação de Junção, na E. F. Rio Grande-Bagé, passava pela rua principal que ligava a costa a Rio Grande e servia para levar matriais de construção e alimentos, além de passageiros, para a construção do balneário, aberto somente em 1898. Em 1905 a Cie. Auxiliaire ficou com a linha, e em 1920 a VFRGS incorporou a estação. A linha funcionou até a primeira metade dos anos 1960.

Livramento-Cacequi Livramento-São Sebastião Cacequi-Bagé Bagé-Marítima
Santana do Livramento Cacequi (ligação com a linha Livramento-Cacequi e com a PA-Uruguaiana) Bagé
Armour Guilherme Resin Brete de Bagé (1972)
Bagé-nova (1975)
Santa Teresa
Palomas Carolina Alcides Chagas Industrial
Cerros Verdes Retiro Quebracho
Pampeiro Quilômetro 140 Leônidas Brasil Experimental
Concórdia Fiorentina Azevedo Sodré Santo Antonio
Eng. Álvaro Crespo Eng. A. Madureira Três Divisas Hulha Negra
Santa Rita Vacaiquá Bela União Augusto Duprat Variante de Hulha Negra (a pt. 1968)
Guará Upacaraí Inhatinhum Seival Hulha Negra-nova
Seivalzinho
Rosário do Sul Encruzilhada Tiaraju Tiaraju-nova Dario Lassance Engenheiro Guimarães
Corte Dom Pedrito-velha (1923) Dom Pedrito (1943) São Gabriel São Gabriel-nova Candiota Engenheiro Afif
São Simão Leões Santa Brígida Bomba Candiota
Entroncamento (ligação com a linha PA-Uruguaiana) Vacacaí Biboca Serra do Veleda
Cacequi
(ligação com a
linha Bagé-Cacequi
)
Passo do Rocha Estância do Céu José Sartori Passo dos Pires
  Lindolfo Waick Maquinista Mezzati
  Vauthier Suspiro Pedras Altas
  Von Bock Miguel Carreira
  Cel. Linhares Nascente
  Quadros Ibaré Alegrias Casemiro Vieweger
  João Cancio Lageado
  Três Estradas Brete de Cerro Chato
  Saibro Cerro Chato Cerro Chato-nova
  São Sebastião ^v Alfredo Ávila Alfredo Ávila-nova
    Pons Herval
    José Otávio

 

 

Basílio

 

 

>>

Basílio-nova >> Ramal de Jaguarão:
Carvalho Freitas
Airosa Galvão
Visconde de Mauá
Ponte sobre o Arroio Grande
Herculano de Freitas
Joaquim Caetano
Pres. Barbosa
Souza e Silva
Jaguarão
>> Polinício
    São Domingos Cruz
    São Martim Olímpio
    Bagé Cerrito
      Pedro Osório
      Engenheiro Chaves
      Agente Gomes
      Capão do Leão
      Teodósio
      Pelotas >> >> Ramal de Cangussu:
Inspetor Moises
Monte Bonito
Eng. Barbosa Gonçalves
Cadeia
Colonia Maciel
Insp. Virgilio
Cangussu
      Capão Seco
      Povo Novo
      Domingos Petrolini
      Quinta >> >> Ramal do Porto
Rio Grande-nova
      Aprendizado Agrícola
      Junção >> >> Ramal de Cassino (Vila Siqueira)

O trem do Casino, anos 1950
Vieira
Senandes
Bolaxa
Vila Siqueira
Beira Mar
      Rio Grande
      Marítima
 
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.