A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Campo Vicente
Parobé
Taquara
...

Linha de Canela - 1940
...
 
 
João Correa & Irmão (1903-1905)
Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1905-1920)
V. F. Rio Grande do Sul (1920-1964)
PAROBÉ
Município de Parobé, RS
Linha de Canela - km 83 (1960)   RS-2700
  Inauguração: 15.08.1903
Uso atual: museu   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1903
 
HISTORICO DA LINHA: A linha de Canela foi aberta no trecho entre Neustadt (Rio dos Sinos) e Novo Hamburgo em 1876, sendo, na verdade, na época, um prolongamento da Porto Alegre-São Leopoldo. Em 1903, foi prolongada até Taquara. A linha chegou em Canela, seu ponto terminal, somente em 1922, de onde passou a se trazer a madeira abundante na região. A demora deveu-se à dificuldade de construção do trecho de serra, onde em 48 km de linha se elevava de 30 m em Taquara até 830 em Canela. Em 11/03/1963, foi fechado o tráfego entre Taquara e Canela. No ano seguinte, a 16/11, fechou o trecho Novo Hamburgo-Taquara. Em 31/12/1966, o tráfego foi fechado no trecho restante, Rio dos Sinos-Novo Hamburgo. Em julho de 1967, já não existia mais nenhum sinal da velha linha de Canela.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Parobé foi aberta em 1903 em terrenos de João Mosmann, desmembrados da Fazenda Pires. O nome foi dado em homenagem ao secretário de Obras Públicas do Estado na época da construção da linha. Na época a casa mais próxima à novíssima estação era a de João Mosmann, dono das terras , desmembradas da Fazenda Pires. distante 500 metros. A vila e depois cidade e município de Parobé se formou em volta da deserta estação. Cinco anos depois já era um dos distritos de Taquara. Os trens foram desativados com a estação e o trecho em 1964. O prédio esteve desocupado e abandonado até cerca de 2005, tendo sido muito descaracterizado durante os anos. Atualmente (2006), nele funciona um museu. "Estive lá no último final de semana e descobri que o atual museu está em reformas novamente, inclusive colocaram novamente janelas de madeira como as originais" (Jorge Luis Stocker Jr, 10/06/2006). (Fontes: Jorge Luis Stocker Jr, 06/2006; Guias Levi, 1940-1981; Revista Ferroviária, 08/2000; Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, 2002Germano Oscar Moehlecke, São Leopoldo, RS)
     

A estação, no início do século, logo após sua inauguração. Foto do livro Estrada de Ferro - Contribuição para a história da primeira ferrovia do Rio Grande do Sul, de Germano Oscar Moehlecke.

A estação de Parobé, c. 2002. Foto do livro Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, p. 246
 
     
     
Atualização: 11.06.2006
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.