A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Alto da União
Ijuí
Itaí
...

Mapa da linha - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1911-1920)
V. F. Rio Grande do Sul (1920-1975)
RFFSA (1975-1996)
IJUÍ
Município de Ijuí, RS
Ramal de Santo Ângelo - km 426,719 (1960)   RS-2215
Altitude: 316 m   Inauguração: 23.03.1911
Uso atual: moradia (2014)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1911
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Santo Ângelo foi construído pelo Batalhão Ferroviário, e, embora aprovado desde 1895, somente em 1911 foi entregue seu primeiro trecho ligando Cruz Alta, na linha Marcelino Ramos-Santa Maria a Ijuí. Em 1915 chegou a Catuípe, depois a Santo Ângelo (1921), a Giruá (1928) e somente em 1940 atingiu sua extensão máxima, em Santa Rosa. Era chamado de "Ramal de Ouro" por causa da grande quantidade de mercadorias que transportava. Trens de passageiros trafegaram pelo ramal certamente até os anos 1980, e o ramal hoje (2004) está concessionado à ALL.
 
A ESTAÇÃO: "A colônia de Ijuí foi formada exclusivamente pelo território do mais tarde 5º Distrito de Cruz Alta e fundada oficialmente em 30 de maio de 1890 pelo engenheiro José Manoel da Siqueira Couto. Recebeu, em 19 de outubro do mesmo ano, a primeira leva de imigrantes europeus, encaminhados pelo Serviço de Terras e Colonização. É necessário considerar que muitos dos primeiros imigrantes não eram agricultores, o que dificultava a adaptação dos mesmos: 'em grande parte dos poloneses, os teuto-russos, os austríacos, os alemães e os suecos eram industriários que não possuíam a mínima idéia das lides agrícolas' (...)

O despovoamento e a discórdia começaram a afetar a colônia recém-criada 'pois surgiu nesse meio tempo um novo flagelo, pior que todos os outros: a discórdia. Discórdia aberta, provocada em parte pela mais triste situação econômica que criava nervosismo e desarmonia em toda a colônia'. As lideranças políticas do município de Ijuí, mesmo sendo republicanas, procuraram não se envolver diretamente na Revolução, mesmo assim, pendengas e rixas entre chimangos e maragatos foram constantes. Estudos demonstram que, por volta de 1909, estas divergências se acentuaram fazendo com que Augusto Pestana, líder político da colônia, convocasse os lados envolvidos para uma reunião, que se realizou à sombra de duas frondosas figueiras que existiam no alto da Coxilha Sudeste da Vila Ijuhy. Nesta ocasião, Pestana conclamou a todos para a união, para o desenvolvimento e progresso da região. Em 1917, o intendente Antônio Soares de Barros, recordando da reunião realizada no alto da coxilha, batizou o lugar com o nome de 'Alto da União
" (http://br.monografias.com /trabalhos915/capital-social-padroes).

A estação ferroviária de Ijuí somente foi inaugurada em 1911.

Até pelo menos 1981 ainda são reportados trens de passageiros até a estação.

"Nessa linha para Santo Angelo, no ramal Cruz Alta/Santa Rosa, os trens estão indo somente até Ijuí, não chegando mais a Santo Angelo. Mas os trilhos ainda permanecem. Estive há uns 40 dias em Giruá, entre S. Angelo e Sta. Rosa, e passei sobre a linha, mais ou menos limpa, mas bastante enferrujada. Nessa região de alta produção agrícola, a ALL está trabalhando na base das parcerias. Em Julio de Castilhos, Tupanciretã, Cruz Alta, foram construidos pelos "parceiros", terminais, com linhas e ramais próprios, depósitos, silos, equipamento para carga, etc...etc.... Quanto ao problema do trigo, eu não sei como está. E talvez, o trecho que vi sem trilhos, possa estar em obras, melhorias, etc.... e não erradicado definitivamente. O trigo é algo difícil, um ano dá, depois passa 3 ou 4 sem dar nada... é mais barato comprar da Argentina do que produzir aqui. Para Ijui, seguem principalmente combustíveis. Há um terminal de razoavel tamanho por lá. Se conseguir, proxima vez fotografarei. Os vagões sobem por Santa Maria", não vêm de Passo Fundo e da Ferrovia do Trigo, atualmente (Milton Amaral, 03/2008).

Em 2014 a estação estava em razoável estado de conservação e servindo como moradia.

AO LADO: Construção do ramal entre Ijuí e Santo Angelo em 1914 (O Estado de S. Paulo, 6/5/1914).

ACIMA: Inauguração da linha e do trem em Ijuí, em 1911 (Autor desconhecido). ABAIXO: Cena raríssima em Ijuí e no Brasil: a locomotiva a vapor chega ao pátio de Ijuí sob neve, em 1968 (Autor desconhecido).
(Fontes: Alfredo Rodrigues; Wanderley Duck; Victor Hugo Langaro; Milton Amaral; O Estado de S. Paulo, 1914; http://br.monografias.com; IPHAE: Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, 2002; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1940-1981; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Estação de Ijuí, em 1934, com o trem de passageiros e à frente, carros de aluguel. Foto cedida por Wanderley Duck

A estação, sem data. Acervo Alfredo Rodrigues

Estação de Ijuí em 15/2/1995. Foto Alfredo Rodrigues

A estação em 1996 com o vagão à frente. Foto Alfredo Rodrigues

A estação de Ijuí em 12/02/1996. Foto Alfredo Rodrigues

A estação, c. 2000. Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, p. 236

A estação em 2014. Foto Victor Hugo Langaro
   
     
Atualização: 29.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.