A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Filipson
Pinhal
Vila Etelvina
...
Mapa da linha - 1940
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
Cie. des Chemins de Fer Sud-Ouest Brésilien (1894-1907)
Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1907-1920)
V. F. Rio Grande do Sul (1920-1975)
RFFSA (1975-1996)
ALL (1996-2006)
PINHAL
Município de Itaara, RS
Linha Marcelino Ramos-Santa Maria - km 498,869 (1960)   RS-2210
Altitude: 462 m   Inauguração: 20.11.1894
Uso atual: abandonada (2015)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1884
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha unindo Marcelino Ramos e Santa Maria foi idealizada em 1889 juntamente com todo o trecho entrte Itararé, SP, e Santa Maria, RS, pelo engenheiro Teixeira Soares, visando a ligação ferroviária do Rio de Janeiro e São Paulo com o sul do País e também a colonização de boa parte do percurso, locais ainda virgens. A parte correspondente ao Estado do Rio Grande do Sul acabou sendo construída separadamente do restante do trecho (que seria chamado de linha Itararé-Uruguai) e entregue em 1894 à Cie. Sud Ouest Brésilien, e em 1907 cedida à Cie. Auxiliaire au Brésil. Em 1920, passou para o Governo, formando-se a Viação Férrea do Rio Grande do Sul, que, em 1969, teve as operações absorvidas pela RFFSA. Com parte do trecho desativada em meados dos anos 1990, em 1996 a ALL recebeu a concessão da linha, bem como de todas as outras ainda existentes no Estado. Trens de passageiros circularam até os anos 1980 pela linha.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pinhal foi inaugurada em 1894 pela Sud-Ouest. É um prédio de madeira. A cidade (hoje Pinhal Velho) já existia desde 1857, fundada por imigrante alemães, e a estação tomou seu nome, mas, distante da vila, e ao redor da estação se formou o núcleo de Pinhal Novo, que mudou seu nome para Itaara, tornando-se depois município autônomo. O nome da estação, no entanto, permaneceu o mesmo.

Em 2006 ela servia como estação de apoio para a ALL. "A estação Pinhal foi, pelo menos até 2006, uma espécie de dormitório de funcionários da ALL, pois nesta há um pátio bastante movimentado onde carregam-se vagões com pedras para uso nas linhas e também onde são desconectadas as locomotivas que auxiliam os cargueiros (helpers) na subida da serra, vindos de Santa Maria" (Daniel Taschetto, 04/2006).

Em 2015 estava abandonada.


1926
AO LADO: Aberta variante estre as estações de Pinhal e de Filipson (O Estado de S. Paulo, 5/1/1926).
(Fontes: Vitor Hugo Langaro; Daniel Taschetto; Claiton Naisse; IPHAE: Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, 2002; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, c. 2000. Foto do livro Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, p. 250

A estação de Pinhal, em 04/2006. Foto Daniel Taschetto

A estação de Pinhal, em 04/2006. Foto Daniel Taschetto

A estação de Pinhal, em 04/2006. Foto Daniel Taschetto

A estação de Pinhal, em 2010. Foto Claiton Naisse

A estação de Pinhal, em 5/2015. Foto Vitor Hugo Langaro
     
Atualização: 12.02.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.