A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Inspetor Goulart
Benedito Ottoni
Leocádio Lopes
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...


Mapa da linha - 1940
...
 
 
V. F. Rio Grande do Sul (1930-1975)
RFFSA (1975-1996)
BENEDITO OTTONI
Município de Santa Maria, RS
Linha Porto Alegre-Uruguaiana - km 521,926 (1960)   RS-3250
Altitude: 139 m   Inauguração: 05.05.1930
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d (já demolida)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Porto Alegre-Uruguaiana foi aberta como empresa federal em 1883, ligando Santo Amaro (Amarópolis) a Cachoeira (Cachoeira do Sul). Para se ir de Santo Amaro a Porto Alegre utilizava-se a navegação fluvial no rio Jacuí. Em 1898 foi encampada pela Cie. Auxilaire, empresa belga, e em 1905 passou a ser a linha-tronco da VFRGS, ainda administrada pelos belgas. Em 1907, os trilhos atingiram finalmente Uruguaiana, na fronteira com a Argentina. Somente em 1911, a construção da linha Santo Amaro-Barreto-Montenegro possibilitou a ligação da longa linha com a Capital, utilizando-se parte da antiga linha Porto Alegre-Novo Hamburgo. Em 1920, a linha tornou-se estatal novamente. Em 1957 foi encampada pela RFFSA. Durante os seus anos de operação foram construídasalgumas variantes, para encurtar tempos e distâncias, eliminando algumas estações de sua linha original. Em 1938, a variante Diretor-Pestana-Barreto diminuiu a linha em 50 km. Em 2 de fevereiro de 1996, deixaram de rodar os trens de passageiros pela linha, que, hoje transporta os trens cargueiros da concessionária ALL desde esse mesmo ano.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Benedito Ottoni foi inaugurada em 1925. O nome foi homenagem a Cristiano Benedito Ottoni (falecido em 1896 e diretor da E. F. Dom Pedro II, depois Central do Brasil.

Os trens de passageiros deixaram de passar ali em 02/02/1996.

Segundo Daniel Taschetto, "dela aparentemente resta apenas a base de pedras, porem, esta é de dificil acesso, pois é necessessario atravessar uma propiedade particular para poder chegar até ela".

(Fontes: Daniel Taschetto;
Gazeta Mercantil, 1996; Eng. Ariosto Borges Fortes: VFRGS, suas estações e paradas, 1962; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guias Levi, 1940-81)
     
   
     
Atualização: 01.01.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.