A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Campinho
São José do Barreiro
Tibiriçá
...
 
 
E. F. Resende-Bocaina (1892-1928)
SÃO JOSÉ DO BARREIRO
Município de São José do Barreiro, SP
tronco - km 38,8   SP-2838
  Inauguração: 19.02.1892
Uso atual: sede de sindicato rural   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: anos 90 (século XIX)
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Resende a Bocaina foi aberta em 1877, em seu primeiro trecho ligando a estação de Suruby, RJ (mais tarde, Oliveira Botelho), no ramal de São Paulo da E. F. Dom Pedro II (depois Central do Brasil) à estação de Estalo. Somente nos anos 1890 é que atingiu a cidade de São José do Barreiro, SP, na serra da Bocaina (daí o nome da ferrovia), com bitola métrica, totalizando 39 km de linha. No final de 1928, ela foi desativada devido a enormes prejuízos e depois de várias tentativas para ser incorporada à Central. Foi vendida para a Usina Tamoio, da família Morganti, desativada e teve o material rodante, três locomotivas a vapor, transferido para a suas usinas em Piracicaba e Araraquara, SP. Hoje, oitenta anos depois, somente restam dela algumas pontes e a estação de S. J. do Barreiro.
 
A ESTAÇÃO: A estação de São José do Barreiro foi aberta na última década do século XIX, junto com o prolongamento que vinha de Formoso. Também era conhecida como estação do Barreiro. Era a estação terminal desde a sua inauguração, embora também fosse citada como terminal a estação de Tibiriçá, aparentemente uma pequena parada junto ao girador de locomotivas, pouco mais à frente. Desta, a ferrovia deveria seguir para Areias e chegar a Queluz e Itatiaia, enquanto outros dois ramais eram também previstos: um para Cruzeiro e outro para Paraty. Nenhum deles acabou sendo construído. O prédio da estação, depois de servir por muitos anos como Câmara Municipal, é hoje sede do sindicato rural do município. (Fonte: Marco A. Giffoni)
     

A estação, em 2001. Foto Marco Giffoni
   
     
     
Atualização: 21.02.2005
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.