A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Linha do São Francisco:
Barracas
Mafra
Cruz Lima
...
Tronco Sul (a partir de 1963/1969):
Rio Negro
Mafra
Major Valentim
...

IBGE - 1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2008
...
 
C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1913-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
MAFRA
Município de Mafra, SC
Linha de S. Francisco - km 211,735 (1935) SC-0297
Altitude: 780,000 m Inauguração: 01.04.1913
Uso atual: Secretaria Municipal (2006) com trilhos
Data de abertura do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha do São Francisco teve o primeiro trecho entregue pela
E. F. São Paulo-Rio Grande em 1906, ligando o porto de São Francisco (hoje do Sul) a
Joinville. Em 1910, a linha foi prolongada até Hansa (Corupá), em 1913 até Tres Barras,
e finalmente em 1917 atinge Porto União da Vitória, de onde deveria continuar até atingir Foz
do Iguaçu, Este último trecho jamais foi construído. A linha se entronca com o Tronco Sul em
Mafra e com a antiga Itararé-Uruguai em Porto União da Vitória. O último trem de passageiros,
na verdade uma litorina diária, passou pelo trecho entre Corupá e São Francisco do Sul em janeiro
de 1991. O trem misto que servia à linha já não existia desde 1985. Depois disso, apenas alguns
trens a vapor turísticos da ABPF têm percorrido a linha, principalmente na região de Rio Negrinho.
O trecho entre Mafra e Porto União esteve durante anos abandonado, tendo sido recuperado
durante o ano de 2004, mas continua com o tráfego muito escasso. Já o trecho entre Mafra e São
Francisco tem grande movimento de cargueiros da concessionária ALL.
 
HISTÓRICO DA ESTAÇÃO: A estação de Mafra surgiu como
entroncamento da linha do São Francisco com o ramal do Rio
Negro
, em 1913. Mafra era, até o acordo de limites de 1917, parte
do Contestado, fazendo parte do município de Rio Negro, no Paraná
. Quando se fez a união das linhas na que seria a estação de Mafra,
em 1913, a E. F. São Paulo-Rio Grande anunciou que mudaria a
estação de Rio Negro, que ficava junto à cidade de Rio Negro, na
margem norte do rio, para a margem sul, bairro pouco povoado.
Houve protestos na cidade, e acabaram existindo duas estações -
a velha de Rio Negro e a nova, ao sul do rio. Por que não fecharam
a velha estação? Por causa dos protestos? Ou por causa da já
precária situação financeira da Brazil Railway na época? O nome
Mafra
, por sua vez, somente foi criado com o município, em 1917,
homenagem ao advogado Manuel da Silva Mafra, defensor da
questão do Contestado para o Estado de Santa Catarina. A
questão é: como teria se chamado esta estação entre 1913 e

ACIMA: As oficinas de Mafra, provavelmente por volta de 1940. A linha que sai para a direita é
a do tronco sul no sentido Lages, atravessando o que é hoje a Avenida Coronel José Severiano
Maia em Mafra, na frente da rodoviária, que na época possivelmente nem existia. Acima,
próximo às araucárias, a linha que vai para São Francisco do Sul. Os dois prédios pequenos
na foto no fundo, lado esquerdo, existem até hoje, são o almoxarifado mais ao fundo e o outro
era usado pela segurança do trabalho até o tempo da RFFSA. No almoxarifado, indo para a
esquerda, ia em direção ao PR na ponte de ferro que ainda existe e está abandonada, no traçado
antigo ainda da linha que passava no centro de Rio Negro (Acervo Ivan Antonio da Rocha).
ABAIXO: Estação de Mafra em 1927 (Ilustração Brasileira, 12/1927).

1917? Fui investigar em Mafra, e ninguém sabe. Nos Guias
Levi entre 1913 e 1922, o nome de Mafra não aparece como uma
estação. Apenas o nome de Rio Negro. Achei em 1932 aparece a
estação de Mafra nos guias, mas não tenho guias entre 1922 e
1931. Por que a RVPSC indicava oficialmente a data de abertura
da estação de 1913? Mistério não descoberto, pelo menos por
mim (o autor).
Em 1921, o relatório da RVPSC indicava que foram
feitas "modificações na estação de Mafra, para facilitar a
baldeação de passageiros e bagagens
". Também se sabe que em
15/12/1923 foi criado o posto fiscal da estação ferroviária de
Mafra
, pelo decreto 68 de Santa Catarina (Cronologia do
Contestado, F. Tokarski, IOESC, 2003
). A estação, então, já
existia nessa época. Hoje, a distância entre as estações de Rio
Negro
, no Paraná, e a de Mafra, em Santa Catarina, é muito
pequena: bastava o trem cruzar o rio. Originalmente, a cidade

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1913 a 1983. Ao lado, litorina que andou no trecho Mafra-São Francisco do Sul. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1948. Também paravam aqui trens do ramal de Rio Negro no mesmo período (Guias Levi).
de Mafra estava no Paraná e era apenas a parte além-rio Iguaçu
de Rio Negro. Com o acordo de limites conseqüente da Guerra do
Contestado, a cidade se tornou um município de Santa Catarina,
naquela região tendo como limite de Estados o rio Negro. Em 1963,
a estação de Mafra passou também a ser o ponto de saída da
linha Mafra-Lajes, na prática a continuação do antigo ramal do
Rio Negro
. Provavelmente nesta época foi que se substituiu o
velho prédio de madeira pelo atual de estilo moderno. E também
segundo antigos moradores de Rio Negro, nessa época, a estação
de Rio Negro já não existia, e todos, das duas cidades,
embarcavam e desembarcavam em Mafra. Hoje, Mafra faz parte
do Tronco Principal Sul, e dali, com a desativação da linha que a
ligava a Porto União, dali apenas se pode ir a São Francisco,
com os trens de grãos. A estação esteve abandonada; em 2006
foi reformada e transformada em sede da Secretaria Municipal
da Criança e da Ação Social.
(Fontes: Ralph Giesbrecht, pesquisa local; Alcides Goularti Filho; Nilson Rodrigues;
Jean C. Kuester; João Paulo Lemisz; Vilson Roberto Schapievski; Ivan Antonio da Rocha;
Maria da Gloria Foohs; Orandir Pannucci; Ilustração Brasileira, 1927; F. Tokarski:
Cronologia do Contestado, IOESC, 2003; RVPSC: Relatórios oficiais, 1933-56; RVPSC:
Horário dos Trens de Passageiros e Cargas, 1936; Guias Levi, 1932-80; IBGE:
Enciclopédia dos Municípíos Brasileiros, 1960)
 

A estação de Mafra, ao fundo. Na frente, o depósito. Ano - 1937. Foto do relatório da RVPSC

Estação de Mafra, anos 1930. Foto cedida por João Paulo Lemisz e Vilson Roberto Schapievski

Estação de Mafra, anos 1930. Foto cedida por João Paulo Lemisz e Vilson Roberto Schapievski

Estação de Mafra, anos 1930. Foto cedida por João Paulo Lemisz e Vilson Roberto Schapievski

A estação (à direita)de Mafra, provavelmente anos 1960, vista de Rio Negro. Acervo Maria da Gloria Foohs

Diesel na estação de Mafra, anos 1970. Foto cedida por João Paulo Lemisz e Vilson Roberto Schapievski

Pátio da estação de Mafra, em 1985. Foto Orandir Pannucci

Carro abandonado na estação de Mafra, em 2002. Foto Orandir Pannucci

Plataforma da estação em 12/2002. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 12/2002. Foto Nilson Rodrigues

A estação reformada, em 01/2007. Foto Jean C. Kuester

A estação em fevereiro de 2007. Foto Alcides Goularti Filho
     
     
Atualização: 14.10.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.