A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Tronco Principal Sul:
Santa Tereza
Roca Salles
Corvo
...
Saída para a Linha de Passo Fundo:
Muçum
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
Viação Férrea do Rio Grande do Sul (1969-1975)
RFFSA (1975-1996)
ALL (1996-2010)
ROCA SALLES
Município de Roca Salles, RS
Tronco Principal Sul - km   RS-0269
    Inauguração: 16.02.1968
Uso atual: ALL   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1968
 
 
HISTORICO DA LINHA: O Tronco Principal Sul, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, foi entregue em partes: entre os anos de 1963 e 1965, uniu as cidades de Mafra e Lajes - daí o nome da linha Mafra-Lajes, e foi construída pelos 2o Batalhão Ferroviário. Esse trecho transportou passageiros até 1978. Entre os anos de 1967 e 1969, foram entregues os trechos ligando Lajes a Roca Salles, no RS, mas este sem o transporte de passageiros. O trecho entre as estações de General Luz e Roca Salles foi aberto aos poucos durante os anos 1960, como continuação do Tronco Principal Sul. Também passaram trens de passageiros entre Montenegro-Nova e General Luz, e mesmo assim, apenas até por volta de 1978. Hoje pela linha trafegam os cargueiros da ALL, que assumiu como concessionária as linhas do Rio Grande do Sul em 1996. Unido às linhas que vinham de Itapeva, em SP, via Pinhalzinho e Ponta Grossa, entregues na primeira metade dos anos 1970, essa linha toda ficou conhecida como Tronco Principal Sul e com isso praticamente toda a antiga linha Itararé-Uruguai da RVPSC acabou por ser desativada.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Roca Salles foi inaugurada em 1968, com viagem inaugural, sem maiores detalhes e passou a ser o entroncamento entre a linha Mafra-Lages-General Luz (Tronco Principal Sul) e a linha (Ferrovia do Trigo) que ligava esta à estação de Passo Fundo, na linha Santa Maria-Marcelino Ramos. Durante os estudos para construção do TPS, a estação era chamada de Barra do Jacaré. A Ferrovia do Trigo foi inaugurada em 1978. A cidade, antiga Conventos Vermelhos, teve o nome alterado em 1902 para Roca Salles em homenagem aos presidentes argentino (Julio Roca) e brasileiro (Campos Salles), que haviam trocado visitas dois anos antes. Tornou-se município em 1955. A estação fica a quatro quilômetros da cidade. Numa publicação da extinta Fepasa, "A Ferrovia Paulista", de junho de 1994, um texto descreve uma viagem feita em carros de passageiros atrelados a um trem cargueiro desta ferrovia que percorreu, em 1994, para uma reportagem da TV Globo, toda a ferrovia entre a estação de Amador Bueno, nos limites da Grande São Paulo, e Mendoza, na Argentina, passando pelas linhas da antiga Sorocabana e pelo Tronco Principal Sul até General Luz, depois pela velha Porto Alegre-Uruguaiana, onde atingiu e entrou nas ferrovias argentinas,

ACIMA: O trem Minuano em Rocca Salles em 1968. única vez em que um trem de passageiros passou por aí, já que a linha jamais teve trens de passageiros. Era a inauguração da linha (http://sevfrgs.blogspot.com.br).

seguindo até Mendoza. Eram 23 pessoas em seis carros de passageiros, dois leitos, um restaurante, um carro panorâmico,

TRENS - Jamais houve tráfego regular de trens de passageiros no trecho do Tronco Sul entre Lajes, SC e Montenegro, RS.
um gerador e um bagageiro, além dos vagões de carga. À medida em que o trem avançava, mais vagões cargueiros eram colocados. "Em Roca Sales embarcaram o prefeito da cidade e o escritor Assis Brasil. A conversa entre os dois mostrou, além da integração comercial, a cultural." (da reportagem do jornal citado). A citação mostra que a estação mantinha condições para o embarque naquela época. "Quando iniciei minha vida profissional (1982) trabalhei por um ano como veterinário sediado em Roca Sales. É uma cidadezinha que se encaixaria muito bem em um maquete ferroviária: a via férrea vindo de Corvo beirando o rio Taquari corta a cidade em um nível mais alto, sobre um talude, e cruza as ruas por sobre viadutos (são 3 se não me engano) e devido ao desnível do terreno a 4a. rua é que passa por sobre a ferrovia (mais ou menos atrás da igreja). Logo após, os trilhos desaparecem dentro de um túnel. A estação fica depois do túnel, longe da cidade. Lembro que no início eu acordava toda vez que passava o trem, depois a gente acostuma. Fazem mais de 10 anos desde a última vez que lá estive" (Kieling Franco, 09/2006). (Fontes: Alfredo Rodrigues; Kieling Franco, 09/2006; Gelson Gomes; Guilherme Citolin; http://sevfrgs.blogspot.com.br; Emanuel Marcos Cruz e Prado: Primeiro Batalhão Ferroviário Benjamin Constant - 142 anos de História; A Ferrovia Paulista, nro. 6, 1994)
     

A estação em 2000. Foto Guilherme Citolin

A estação em 2000. Foto Guilherme Citolin

Pátio da estação em 08/2006. Foto Gelson Gomes

Locomotiva da ALL no pátio da estação em 08/2006. Foto Gelson Gomes

A estação em 08/2006. Foto Gelson Gomes

A estação em 08/2006. Foto Gelson Gomes

A estação em 10/2/2010. Foto Alfredo Rodrigues
   
     
Atualização: 12.10.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.