A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Homem de Mello
Tabarana
Vista Alegre
...

EFMA - 1935

IBGE - 1956
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2001
...
 
E. F. Monte Alto (1920-1956)
TABARANA
Município de Monte Alto, SP
Linha-tronco - km 24   SP-2905
Altitude: -   Inauguração: 29.12.1920
Uso atual: em ruínas (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1920
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Monte Alto (EFMA) foi aberta em 1908, ligando a estação de Ibitirama, no trecho de bitola métrica da Cia. Paulista, que a partir de 1930 tornou-se o ramal de Jaboticabal. Em 1917, a linha foi prolongada até Homem de Mello e em 1922 chegou até Vista Alegre, donde deveria seguir para Pirangi, encontrando-se com a E. F. Oeste de São Paulo, estrada que nunca chegou a operar, embora tivesse um trecho construído entre as estações de Taiúva, da Paulista, e a cidade de Taiaçu. Em 1/7/1938, por determinação do Governo do Estado, a ferrovia foi anexada pela E. F. Araraquara, depois de anos de seguidos prejuízos. A linha chegou a ter quatro trens diários, além de bondes (automotrizes) a gasolina que percorriam a linha, principalmente quando não havia cargas a transportar, pois todas as composições eram de trens mistos. Altamente inviável economicamente por seus trens lerdos especialmente no trecho de subida de serra num trecho total muito curto (cerca de 25 quilômetros), ela foi finalmente extinta pela EFA em 1956, tendo sido os trilhos retirados não muito tempo depois.
 
A ESTAÇÃO: Tabarana foi aberta como estação terminal da linha do prolongamento desde Homem de Mello, em 1920 (Nota do autor: há fontes que citam a data de 29/01/1921 como a da inauguração da estação). "No dia 29 do mês findo (dezembro de 1920), o presidente do Estado de São Paulo, Dr. Washington Luiz, que partiu para Monte Alto na véspera, às 19horas pelo noturno da Paulista, chegou àquela cidade às 7:45 da manhã, a fim de inaugurar o trecho da estrada de ferro da Companhia Melhoramentos de Monte Alto, que vai de Engenheiro Homem de Mello a Tabarana, com uma extensão de cerca de 10 quilômetros. A cerimônia teve lugar às 13:30, após o almoço oferecido ao Presidente do Estado, Secretário da Agricultura, pessoas de sua comitiva e convidados pelo Prefeito Municipal de Monte Alto, Sr. Raul de Medeiros. O Dr. Washington Luiz e demais pessoas que o acompanhavam, tomaram automóveis de linha para fazer o percurso do trecho inaugurado. Nessa viagem teve a comitiva a oportunidade de apreciar, do alto da serra de Tabarana, em um corte da estrada, interessantes fosseis apegados ao terreno (...) Após um longo percurso através de vegetações luxuriantes de cafeeiros, milharais, etc., chega a estrada à estação de Tabarana, ponto final do trecho inaugurado. Após rápida parada em Tabarana, seguiram os excursionistas para Vista Alegre, onde está a ponta dos trilhos, distante daquela estação cerca de 10 quilômetros. Esse trecho, que apesar de não inaugurado, foi percorrido pelos excursionistas (...) com tangentes superiores a dois e três quilômetros, principalmente a da chegada de Vista Alegre. (...) A volta para Monte Alto efetuou-se às 16:25, viajando o Sr. Presidente do Estado e comitiva em automóveis de linha. Acompanhando a comitiva presidencial, partiram antes de Monte Alto, para percorrer o trecho inaugurado, um trem especial conduzindo numerosas famílias da localidade e acionistas da Companhia Melhoramentos" (*Brazil Ferro-Carril, 15/1/1921).

Entre esta estação e a de Homem de Mello, a linha tinha um "N" para subir a serra, para atenuar a subida, o que fazia que o trem trafegasse muito devagar e subisse, depois descesse e voltasse a subir; conta-se que os passageiros desciam do trem e iam a pé até a outra perna do "N" para esperá-lo e voltar a embarcar... (Jobes da Rocha, Prefeito de Vista Alegre do Alto, 2001).

Tabarana
funcionou como estação até o final, em 1956.

Em 1998, depois de anos abandonada, foi restaurada parcialmente e uma solenidade com ferroviários aposentados a entregou a moradores que deveriam cuidar dela.

Em abril de 2001, já estava abandonada novamente. À sua frente, uma enorme figueira e várias casas (novas) de colonos da Usina Nardini, que plantava cana ali em volta. Estava fechada.

Em 2013, 12 anos depois de minha visita a ela, as moradias que existiam ao seu redor haviam sido todas demolidas, restando apenas e por enquanto o prédio da estação que já dá sinais do mesmo descaso em suas paredes.

Em setembro de 2016, estava em ruínas.
ACIMA: Ruínas da estação de Tabarana em 10/9/2016 (Fotos Saulo Cabral).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Saulo Cabral; Antonio Carlos Britto; Jobes da Rocha; E. F. Araraquara: Relatórios anuais, 1940-60; Eugenio Egas: Os Municípios Paulistas (M-Y), Seção de Obras do Estado de São Paulo, 1925; Brazil Ferro-Carril, 1921; Guias Levi, 1932-57; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Antiga estação de Tabarana, em 18/04/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

Antiga estação de Tabarana, em 18/04/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

Na parede da plataforma, uma placa fala sobre a homenagem de 1998 pelo Sindicato dos Ferroviários e outros órgãos. Foto Ralph M. Giesbrecht

Antiga estação de Tabarana, em 18/04/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 2009. Foto Antonio C. Britto

A estação em 19/5/2013. Foto Antonio Sergio Britto
     
Atualização: 16.09.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.