A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Ribeirão Preto-SPM
Usina
Evangelina-SPM
...

ramal de R. Preto-1950
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

 
E. F. São Paulo-Minas (1928-1964)
USINA
Município de Ribeirão Preto, SP
Ramal de Ribeirão Preto - km 71,512 (1960)   SP-2944
km 5,152 (de Ribeirão Preto)   Inauguração: 01.05.1928
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1928 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Ribeirão Preto, da São Paulo-Minas, foi inaugurado em 1928, pelos novos proprietários da linha, a Usina Metalúrgica Epitácio Pessoa, para transportar minérios entre Ribeirão Preto e Minas Gerais. O ramal se encontrava com a linha-tronco em Serrinha (depois Ipaúna). Em 1930, a usina faliu e a ferrovia foi desativada. Embora o tronco tenha sido reativado em 1934, o ramal somente o foi em 1944. Entre 1961 e 1964, o ramal foi cortado em dois pela variante Bento Quirino-Entroncamento, da Mogiana, e o trecho entre Ribeirão Preto e Evangelina foi desativado. O ramal passou a sair de Evangelina, agora uma estação nova na linha nova da Mogiana. Em 1968, a linha da SPM entre Bento Quirino e Ipaúna foi suprimida e o ramal passou a integrar a linha principal, administrada agora pela Mogiana. Em 1971, a Fepasa incorporou a linha, e extinguiu seus trens de passageiros em 1976. A linha ficou ativa para cargas até os anos 90, quando foi abandonada. Em fins de 2000, o trecho inicial entre Evangelina e Biagípolis foi reativado para cargas, mas o resto continua no mais completo abandono.
 
A ESTAÇÃO: Inaugurada junto com as outras estações do trecho Ribeirão Preto-Serrinha, em 1928, a estação de Usina se situava à frente da Usina Metalúrgica Epitácio Pessoa, que era, inclusive, a dona da ferrovia nessa época. A usina foi inaugurada em 1922 com a presença do então Presidente da República, Epitácio Pessoa. Já começou recebendo e exportando material por meio de um ramal da

ACIMA: Em vista aérea do Google Maps tomada em 2012, vemos que o ramal de Ribeirão Preto da SPM (em VERMELHO) não passava por dentro da usina, mas seguia direto pela atual Av. Thomaz Alberto Whatelly, e de frente para a usina saía um desvio que também servia de triângulo de reversão. É possível que em frente a esse triângulo a SPM tenha construído uma nova estação, ou uma parada, mas não se sabe sei dizer em que época isso feito ou se foi efetivamente construída. Seja como for, o prédio da estação original está de pé até hoje e foi mantido dentro da usina e razoavelmente bem conservado. Em AZUL, a linha de bitola métrica do tronco da Mogyana. Notar também no canto esquerdo inferior da vista aérea a ligação entre os pátios da Mogyana e da SPM (Google Maps, 2012). ABAIXO: Na foto aparece ao lado esquerdo o canto dessa estação e a usina à direita. Tudo no terreno da usina em fotografia tomada no dia da inauguração desta em 1922. Supõe-se que a estação construída pela usina tenha sido a mesma que serviu como tal para a São Paulo-Minas a partir de 1928 (Revista da Semana, 4/11/1922).

Mogiana que a ligava com a estação do Alto. Com a compra da ferrovia São Paulo-Minas pela própria usina, esta passou a ser ligada com a linha da SPM que foi inaugurada em 1928 e, na usina, montou uma estação de passageiros e carga que era alcançada por um pequeno ramal; Ou seja, o trem que vinha da estação da SPM

em Ribeirão Preto entrava e saía na usina para alcançar a estação e dali seguia para São Sebastião do Paraíso. Desaparecia assim o ramal da Mogiana que somente operou por 6 anos. No seu lugar tudo leva a crer que foi construída a atual avenida Petrópolis. A usina e a ferrovia faliram pouco antes da revolução de 1930. Isto

ACIMA: Vista da usina em 1956. Na época pertencia à Moinho Santista e chamava-se Usina Tanquinho. Vê-se a estação de Usina ao lado esquerdo dos prédios longos, à frente, e o trem da SPM saindo no sentido da linha principal do ramal. No canto esquerdo superior da fotografia, o que teria sido o antigo leito do ramal que se unia da linha da Mogiana na estação do Alto nos anos 1920 e

levou ao fechamento do ramal por quatorze anos. Após sua reabertura, em 1944, a estação, que passou a se chamar Usina de São Paulo, funcionou até o fechamento do trecho causado pela modificação da linha-tronco da Mogiana no ano de 1964. A estação teria sido demolida há anos, e hoje em seu lugar está o trevo da avenida Costa e Silva com a rua Thomas Whately, em frente à atual loja "Penha". Não há fotos. CLIQUE AQUI PARA VER O ÍNDICE DAS ESTAÇÕES DA SPM EM VÁRIAS ÉPOCAS
(Fontes: Dennis W. Esteves; Arquivo Público de Ribeirão Preto; Revista da Semana, 4/11/1922; E. F. São Paulo-Minas: Relatórios anuais, 1960-68; Mogiana: Relatórios anuais, 1968-70; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação da Usina em 1956. Arquivo Público de Ribeirão Preto
   
     
     
Atualização: 15.04.2012
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.