A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Vinhedo
Valinhos
Samambaia
...

Tronco CP-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2000
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1872-1971)
FEPASA (1971-1998)
VALINHOS
Município de Valinhos, SP
Linha-tronco - km 30,603 (1958)   SP-2952
Altitude: 660,3 m   Inauguração: 31.03.1872
Uso atual: museu da cidade (2016)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1913
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco da Cia. Paulista foi aberta com seu primeiro trecho, Jundiaí-Campinas, em 1872. A partir daí, foi prolongada até Rio Claro, em 1876, e depois continuou com a aquisição da E. F. Rio-Clarense, em 1892. Prosseguiu por sua linha, depois de expandi-la para bitola larga, até São Carlos (1922) e Rincão (1928). Com a compra da seção leste da São Paulo-Goiaz (1927), expandiu a bitola larga por suas linhas, atravessando o rio Mogi-Guaçu até Passagem, e cruzando-o de volta até Bebedouro (1929), chegando finalmente a Colômbia, no rio Grande (1930), onde estacionou. Em 1971, a FEPASA passou a controlar a linha. Trens de passageiros trafegaram pela linha até março de 2001, nos últimos anos apenas no trecho Campinas-Araraquara.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Valinhos era a terceira parada na viagem inaugural da linha da Cia. Paulista, no trecho Jundiaí-Campinas, em 1872. Entretanto, o prédio que hoje está lá não é o original, tendo sido construído no final do século XIX e depois reformado em 1913. Porém, o prédio anterior da estação teria sobrevivido até hoje, e está a poucos metros da estação

ACIMA: Cargueiro da Companhia Paulista sendo puxado por duas LEWs, nos anos 1960 (Foto Cid José Beraldo). ABAIXO: Passagem de nível ao lado da estação de Valinhos nos anos 1960. Hoje ali há um viaduto (Acervo Vanderley Zago).
atual, tendo tido outras funções para a Paulista (ver VALINHOS-VELHA). Em 1955, "junto à estação (ferroviária) situa-se um entreposto de frutas onde, segundo nos informam, é mais fácil a aquisição do produto que nas próprias chácaras" (Folha de S. Paulo, 4/12/1955). Há mais de cem anos a atual fábrica da Unilever está a seu lado, junto ao centro da cidade. E a estação, desativada no final dos anos 1970, serve hoje como museu. O prédio da estação foi restaurado e pintado, com gosto bastante duvidoso, infelizmente, em 1996.

ACIMA: Novos tempos. Cargueiro da MRS estacionado sob a gare da estação de Valinhos em 6/6/2013 (Foto Daiane Kowaleski Miranda).
CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR A ESTAÇÃO VISTA DO SATELITE (gentileza Adalberto)
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Daiane Kowaleski Miranda; João Gabriel; Mauricio Torres; Leandro Guidini; Cid Beraldo; Hermes Hinuy; Vanderley Zago; Cia. Paulista: Relatórios anuais, 1872-1969; Filemon Peres: Cia. Paulista - Álbum dos 50 anos, 1918; Folha de S. Paulo, 1955; Almanak da Provincia de São Paulo, 1873; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

1918 - Álbum dos 50 anos da Paulista, Museu de Jundiaí

1918 - Álbum dos 50 anos da Paulista, Museu de Jundiaí

A estação em 1983. Foto Mauricio Torres

22/05/1996 - A estação em reforma. Foto Ralph M. Giesbrecht

22/05/1996 - A estação em reforma. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 19/06/2001. Foto Hermes Hinuy

A estação em 10/2010. Foto João Gabriel

A estação em 10/2010. Foto João Gabriel

Estação de Valinhos em 12/6/2014. Foto Leandro Guidini
     
Atualização: 31.01.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.