A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Aracaçu
Vitorino Carmilo
Buri
...

ramal de Itararé-1935

IBGE-1956
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...

 
Sorocabana Railway (1917-1919)
E. F. Sorocabana (1919-1971)
FEPASA (1971-1998)
VITORINO CARMILO
Município de Buri, SP
Ramal de Itararé - km 283,200 (1931)   SP-2976
Altitude: 646 m   Inauguração: 1917
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1931-4 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Itararé começou a ser construído em 1888, partindo da estação de Boituva, mas somente em 1895 chegou a Itapetininga, com extensão de 65 km. Somente em 1905 as obras foram retomadas, e em abril de 1909, a estrada chegou finalmente a Itararé. Sempre crescendo em importância por causa de sua ligação com o sul, o ramal passou a sair da estação nova de Santo Antonio - hoje Iperó - em 1928, aproveitando as obras de retificação e duplicação da linha-tronco, diminuindo o trecho em 23 km. Em 1951, a linha foi eletrificada até Morro do Alto. Em 1960, até Itapetininga e não passou daí. Em 1978, o tráfego de passageiros no ramal foi extinto. Em 1973 foi construído, de Itapeva, um ramal para Apiaí, e desse, outro para Pinhalzinho, que encontrava a nova linha que vinha da região de Curitiba. O trecho a partir de Itapeva acabou desativado depois que o trecho paranaense até Jaguariaíva foi suprimido, nos anos 90. Entretanto, em 22/12/1997, o trem de passageiros, voltou a funcionar, desta vez entre Sorocaba e Apiaí. O trem, com algumas interrupções, funcionou até fevereiro de 2001. O trecho entre Itapeva e Itararé teve os trilhos arrancados em 2001. Hoje, apenas as estações de Tatuí, Itapetininga e Buri ainda funcionam para carga de mercadorias, sob a administração da ALL.
 
A ESTAÇÃO: Aberta em 1917 como "posto km 306", ganhou o nome definitivo de Vitorino Carmilo em 1921, e um prédio novo em 1934. Em 1934, foi classificada como posto telegráfico de categoria A (*). Em Vitorino Carmilo ocorreu, em 15 e 16 de agosto, o que

ACIMA: Tropas do exército getulista, na verdade voluntários pernambucanos, posam em frente à sede da Fazenda São Rafael, em Vitorino Carmilo, durante a revolução constitucionalista de 1932 (Revista da Semana, 1/10/1932).
alguns chamam de "a maior batalha da América do Sul", a Segunda Batalha de Buri, onde estavam, de um lado, 6 mil soldados federais de diversos Estados e de outro, 1.030 soldados constitucionalistas em 17 horas ininterruptas de combate. No segundo dia, a linha paulista foi rompida e a estação - definida na época como "uma estação ferroviária e quatro casas dispersas" - caiu definitivamente em poder dos federais. Entre as estações de Vitorino e Aracaçu partia um outro ramal lenheiro, mais curto que o de Buri e que findava nas terras de uma fazenda de posse da Família Matarazzo. Por fim, a estação histórica foi demolida, nada dela tendo sobrado, nos anos 1980. Memória e história, neste país, não valem nada, mesmo.

* Segundo o Relatório Anual de 1934 da EFS, "À categoria A ficaram pertencendo os diversos postos que funccionavam como si fossem estações de 4a classe, isto é, onde, além do serviço de trens, havia venda de bilhetes, despachos de encommendas, bagagens, mercadorias, animaes, valores e serviços telegraphico, em trafego proprio e mutuo, com os fretes calculados pela propria distancia".

(Fontes: Thobias Pezzoni; Revista da Semana, 1932; Hernâni Donato: A Revolução de 32, 1982; Fepasa: Relatório de Instalações Fixas, 1986; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1900-69; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     
     
     
     
Atualização: 07.07.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.