A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Gopoúva
Vila Augusta
Guarulhos
...

Cantareira-1950

Guia Levi - 1964
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2001
...
 
Cia. Cantareira (1916-1941)
E. F. Sorocabana (1941-1965)
VILA AUGUSTA
Município de Guarulhos, SP
Ramal de Guarulhos-km 18,222 (1960)   SP-1677
Altitude: 752 m   Inauguração: 01.12.1916
Uso atual: moradia (2006)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1916?
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Guarulhos começou como um ramal da E. F. da Cantareira, que, aberto em 15/11/1910, saía da estação do Areal e atingia o Asilo dos Inválidos, no Guapira (depois Jaçanã). Somente em 1913 foi aberta a primeira estação intermediária, Tucuruvi, e aos poucos outras estações passaram a ser abertas na linha, que atingiu Guarulhos em 1915. Em 1947 a linha teve a bitola ampliada de 60 cm para 1 metro, quando esta já atingia o aeroporto militar de Cumbica. Em 31/05/1965, o tráfego do ramal foi suprimido, um ano depois de o trecho Areal-Cantareira ter sido suprimido. Os trilhos foram retirados logo depois e diversas estações foram demolidas.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Vila Augusta foi aberta em 1916 (algumas fontes citam a data como sendo um ano antes, em 24/12/1915), e desativada em 1965, com o ramal. O prédio ainda existe, mas já bastante modificado, na esquina da atual avenida Humberto de Alencar Castello Branco, antigo leito do ramal, com a rua Augusta. O prédio da esquina com a atual praça era o da estação; segundo Marco Antonio Xavier, morador vizinho da antiga estação, na parede face norte ainda se vê um semi círculo que indica que ali era a bilheteria. "Em 1945, em plena guerra, morávamos em Vila Augusta, em Guarulhos. Minha mãe dava aula dentro da fábrica da Companhia Melhoramentos de Papeis, em Caieiras. Coitada, ela levantava de madrugada, pegava o trenzinho da Cantareira (que passava em frente à nossa casa), tomava o bonde que subia a rua São Caetano, adentrava no trem de subúrbio da SPR e em Caieiras ia no trenzinho da fábrica. Fez esta loucura por um ano letivo. Algumas vezes eu ia com ela (eu tinha 2 anos)" (Coaraci Camargo, 01/2006).

ACIMA: Reportagem de 1928 sobre as grandes vantagens de se morar no bairro Vila Augusta (Folha da Manhã, 9/1/1928).

ACIMA: A antiga e já desativada estação, com portas lacradas com tijolos e a avenida recém-construída no lugar da antiga linha - claramente rebaixada, como se pode ver pela diferença de nível do velho prédio à direita. Ano: 1969 (Arquivo Histórico de Guarulhos). ABAIXO: Venda de lotes com "grande futuro" junto à estação de Vila Augusta em 1946. Notar que o anúncio fala em "bitola larga da Sorocabana", o que não é verdade: a bitola era métrica, como em todo o resto dessa ferrovia, então dona da Cantareira (Folha da Manhã, 7/7/1946).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Glaucia Garcia de Carvalho; Coaraci Camargo;Folha da Manhã, 1928 e 1946; Arquivo Histórico de Guarulhos; Sara Brasil, 1930; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Guia Levi, 1964; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Vila Augusta, supostamente na época da inauguração em 1916. Autor desconhecido

O pátio ferroviário de Vila Augusta era onde em 2001 já estava a avenida, à frente. Há duas casas: a branca...

...que só pode ser alcançada com a escada, por causa do rebaixamento do antigo leito da ferrovia para se fazer a avenida...

...e, mais ao fundo, uma outra casa, na esquina com uma travessa...

...cujo jardim à frente da avenida a esconde, nesta foto...

...mas que pode ser vista nesta foto. Esta era a estação; até poucos anos antes ainda se lia: "bilheteria". Fotos Ralph Giesbrecht, em 31/10/2001

A estação em 2009. Foto Glaucia G. Carvalho
   
     
Atualização: 11.03.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.