A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Capão Preto
Água Vermelha
Araraí
...

ram.Água Vermelha-1935

IBGE-1960
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...

 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1892-1962)
ÁGUA VERMELHA
Município de São Carlos, SP
Ramal de Água Vermelha - km 39,107   SP-0890
    Inauguração: 01.04.1892
Uso atual: demolida   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1892 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal foi projetado pelos ingleses da Rio Claro Railway, e emtregue pela Cia. Paulista, partindo da estação de São Carlos, no tronco da Paulista, até Água Vermelha, com 63 quilômetros, em 01/04/1892, tendo sido prolongado até Santa Eudóxia, na fazenda do mesmo nome às margens do Mogi-Guaçu, onde chegou em 20/09/1893. O ramal acompanhava basicamente o curso do córrego dos Negros e o rio Quilombo por quase toda a sua extensão, e manteve a bitola métrica durante toda a sua existência. Em 12/02/1962, foi suprimido, retirando-se os trilhos do leito no final de 1964.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Água Vermelha foi aberta em 1892 como ponta de linha do primeiro trecho, tendo sido ela que deu o nome ao ramal. Em 1905, havia quatro estações pertencentes ao Banco da República que estavam à venda, todas na região da estação de Água Vermelha: Santa Maria, a 3 quilômetros, com 160 mil pés de café; Liberdade, a 5 quilômetros e 95 mil cafeeiros; Santa Paula, a 1 quilômetro e 100 mil pés de café; e finalmente Santa Emilia, a sete quilômetros e 40 mil cafeeiros (O Estado de S. Paulo, 7/8/1905). A estação funcionou até a extinção do ramal, em 12/02/1962. Um dos motivos para a paralização do ramal foi a inversão de horário (em vez de sair de Santa Eudoxia para São Carlos de manhã, como sempre havia sido, passou a sair à tarde e retornar para lá somente no dia seguinte) em fins de 1959. Uma forma da ferrovia forçar a queda de demanda e justificar a eliminação de um ramal já deficitário na época). Com a retirada dos trilhos, quase três anos depois, o prédio da estação virou uma fundição particular, que funcionava na sala principal e no armazém anexo. Em 1998, o pátio que um dia serviu de leito para os trilhos e

"Por ter morado em S.Carlos até julho de 1959, posso afirmar que, até essa data, a estrada de Água Vermelha não era asfaltada. Sei disso, pois tinha uma tia que era proprietária da Fazenda Macaúba, que ficava em Água Vermelha, e também mantinha uma casa em S.Carlos porque era uma aventura ir para a fazenda à noite. Quanto ao horário do ramal, enquanto eu morei em S.Carlos ele não deve ter mudado, pois sempre que íamos viajar pela Paulista (para S.Paulo, Rio Claro ou Visconde do Rio Claro) entrávamos na plataforma da estação de S.Carlos atravessando a plataforma de um dos carros de passageiros (de madeira) do trem de Água Vermelha que estava estacionado na gaveta daquela linha. Como as viagens que fazíamos eram sempre à tarde, o trem de Água Vermelha não estaria ali se já tivessem invertido seu horário (o horário mudou em fins de 1959). Infelizmente eu nunca andei no trem de Água Vermelha" (Carlos Augusto Leite Pereira, 6/5/2012).

Nesta festa, que ocorreu no início de outubro de 1948, nota-se que a CP não ofereceu trem especial, o que era relativamente comum nessa época. Por outro lado, se fosse usado o trem normal, não haveria como se retornar a São Carlos na madrugada. Então, o ônibus. Sinal de decadencia da ferrovia (Folha da Manhã, 1/10/1948).
desvios era um lamaçal, e sobre a antiga plataforma, havia sido construído um banheiro. O prédio tinha ainda as janelas originais. e estava localizado às margens da rodovia SC-329, a rua principal do distrito de Água Vermelha. Em janeiro de 2004, o prédio já não mais existia, havendo sido construído no seu local um galpão. Sobram ainda um ou outro armazém e um vagão ferroviário de madeira jogado num terreno, em péssimo estado, servindo como galinheiro (setembro de 2011).
ACIMA: Antigo armazém ferroviário em Água Vermelha, que sobrevive à demolição da estação. Outro armazém foi reformado e hoje é uma biblioteca (Foto Thiago Zacarin em 6/9/2011).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1892 a 1962. Na foto, o trem do ramal parte da estação de São Carlos para Santa Eudoxia nos anos 1950. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1948 (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Thiago Zacarin; Bê Caviquioli; acervo Biason; Filemon Peres; Folha da Manhã, 1948; O Estado de S. Paulo, 1905; Cia. Paulista: Álbum de 50 anos; Cia. Paulista: Relatórios anuais, 1872-1969; IBGE, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1918. Foto Filemon Peres

A estação, provavelmente anos 1950. Cessão Bê Caviquioli, acervo Biason

A estação em 1976, já desativada. Cessão Bê Caviquioli, acervo Biason

A estação em 24/10/1997. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 24/10/1997. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 24/10/1997. Foto Ralph M. Giesbrecht
     
Atualização: 09.02.2015
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.