A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
São Carlos
Babilônia
Floresta
...

ram.Água Vermelha-1935

IBGE - 1958
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1892-1962)
BABILÔNIA
Município de São Carlos, SP (veja o bairro)
Ramal de Água Vermelha - km 18,619 (1938)   SP-0230
    Inauguração: 01.04.1892
Uso atual: moradia   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1892
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal foi projetado pelos ingleses da Rio Claro Railway, e entregue pela Cia. Paulista, partindo da estação de São Carlos, no tronco da Paulista, até Água Vermelha, com 63 quilômetros, em 01/04/1892, tendo sido prolongado até Santa Eudóxia, na fazenda do mesmo nome às margens do Mogi-Guaçu, onde chegou em 20/09/1893. O ramal acompanhava basicamente o curso do córrego dos Negros e o rio Quilombo por quase toda a sua extensão, e manteve a bitola métrica durante toda a sua existência. Em 12/02/1962, foi suprimido, retirando-se os trilhos do leito no final de 1964.
 
A ESTAÇÃO: A cerca de oito quilômetros por estrada de terra da rodovia Washington Luiz, saindo de um lugar chamado Tangará, Babilônia é hoje um vilarejo de 10 a 15 casas, aparentemente abandonado, no meio de um pomar. A estação, inaugurada em 1892, está à entrada da vila, à margem esquerda da estradinha, já sem parte do telhado. As janelas de madeira foram retiradas e mesmo as paredes estão sendo demolidas aos poucos: havia pilhas de tijolos no chão. Até o piso, dentro da estação, está sendo retirado, com enormes buracos dentro dele. Nos áureos tempos, a estação de Babilônia recolhia, além do café da região, todo o leite da fazenda Babilônia e das outras próximas. Com a extinção do tráfego no ramal, em 12/02/1962, tudo isso acabou. Os trilhos foram terminados de ser retirados em 14/10/1964. Quando eu lá estive, em outubro de 1997, encontrei casas fechadas e ninguém no local, que aliás é belíssimo. "Meu marido nasceu na estação de Babilônia, em São Carlos, que era um vilarejo com um movimento grande, pois as fazendas em volta enviavam o leite para ser
A estação de Babilônia localizava-se no município de São Carlos do Pinhal. Permutava malas postais diariamente com a Administração de São Paulo. Ela saía da Estação da Babilônia e seguia até São Carlos pelo ramal de Água Vermelha da Companhia Paulista de Estradas de Ferro. Em seguida pela mesma Paulista até Rio Claro. Seguia, ainda pela Paulista até Jundiaí, de onde passava a ser transportada pela São Paulo Railway até São Paulo. À direita, selo com carimbo postal de 1899 da estação (Reprodução e texto: Márcio Protzner, 03/2009).
embarcado no trem. A família dele tinha uma farmácia, e cerca de 15 famílias mais ou
menos moravam na vila. Com o fim do trem, ela se esvaziou. Estivemos lá pela última vez em 1991, e a vila estava completamente abandonada e deteriorada. A estação estava de pé, mas em ruínas, e soubemos que pessoas costumam ir lá para roubar madeiras da mesma". (Elvia Nereide Cerri Jordão, 20/10/1997). Em 29/04/2002, nova visita a Babilônia, onde encontrei a estação reformada, pintada de roxo e descaracte-rizada, tendo ela se tornado uma fábrica de mortadela. No início de 2007, nota-se que a estrutura foi novamente descaracterizada com a construção de mais um "puxadinho" na lateral. Não é mais fábrica, é moradia.

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros pararam nesta estação de 1892 a 1962. Na foto, o trem do ramal parte da estação de São Carlos nos anos 1950. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1948 (Guias Levi).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local, 1997 e 2002; Filemon Peres, 1917; Elvia Nereide Cerri Jordão, 1997; relatórios oficiais da Cia. Paulista; André Martins, 2007; Marcio Protzner, 2009)
     

A estação em 1917. Foto Filemon Peres

A estação (24/10/1997), foto Ralph M. Giesbrecht

A fachada da estação de Babilônia (24/10/1997), foto Ralph M. Giesbrecht

Lado da plataforma da estação (24/10/1997), foto Ralph M. Giesbrecht

Como fábrica de mortadela, em 29/04/2002. Foto Ralph M. Giesbrecht

A antiga estação, já com o puxadinho, em 01/2007. Foto André Martins
     
Atualização: 22.12.2010
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.