A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Tijuco Preto
Biguá
Oliveira Barros
...

ramal de Juquiá-1980

IBGE-1956
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2013
...
 
Southern São Paulo Railway (1920-1927)
E. F. Sorocabana (1929-1971)
FEPASA (1971-1998)
BIGUÁ
Município de Miracatu, SP
Ramal de Juquiá - km 238,655 (1986)   SP-1004
    Inauguração: 03.05.1920
Uso atual: em ruínas   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal foi construído pelos ingleses da Southern São Paulo Railway, entre 1913 e 1915, partindo de Santos e atingindo Juquiá. Em novembro de 1927, o Governo do Estado comprou a linha e a entregou à Sorocabana, já estatal, no mês seguinte. O trecho entre Santos e Samaritá foi incorporado à Mairinque-Santos, que estava em início de construção no trecho da serra do Mar, e o restante foi transformado no ramal de Juquiá. A partir daí, novas estações foram construídas, e em 1981, o ramal foi prolongado pela Fepasa, já dona da linha desde 1971, até Cajati, para atender as fábricas de feritlizantes da região. O transporte de passageiros entre Santos e Juquiá foi suspenso em 1997, depois de 84 anos. A linha seguiu ativa para trens de carga que passavam quase diariamente, transportando enxofre do porto para Cajati, até o início de 2003, quando barreiras caíram sobre a linha na região do Ribeira. O transporte foi suspenso e a concessionária Ferroban desativou a linha, que o mato cobriu rapidamente.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Biguá foi originalmente inaugurada pela Southern São Paulo Railway em 1920. A quilometragem original era

ACIMA: Antigo posto de Biguá, que mostra o vagão usado como sede do posto telegráfico, antes da construção da estação. Na porta do vagão vêmos o agente Toline, o praticante Dias e o portador Nunes. Não se sabe em que época exatamente foi isto: se nos anos 1920, ainda pela SSPR, ou se no final dos anos 1930, já pela Sorocabana, antes da construção da nova estação (Fotografia publicada na revista Nossa Estrada em 1939; acervo Thomas Correa). ABAIXO: As chuvas de 1958 causam problemas na estação de Butiá, interrompendo o tráfego pela linha após a estação de Peruíbe (Folha da Manhã, 28/3/1958).

TRENS - Os trens de passageiros pararam nesta estação de 1940 a 1977 e de 1983 a 1997. Na foto, trem do ramal em Suarão (1956). Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1963 (Guias Levi).
147,000. A estação ganhou um novo prédio em 1938. "Era um lugar quente pra caramba, quando não estava chovendo estava sempre um forno" (Wanderley Duck, 02/2007). A estação está hoje completamente abandonada, sem telhado, portas ou janelas.

ACIMA: A linha, próxima à estação, já dentro do bairro, e os poucos casarões de Biguá. O do alto à direita é de 1940, conforme inscrição ao lado da porta (Fotos Ralph M. Giesbrecht em 14/7/2013).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht: pesquisa local; Wanderley Duck; Adriano Martins; David Paulo Magalhães; Folha da Manhã, 1958; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais, 1920-69; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1960; FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1986; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht
     

A plataforma da estação em 1960. Acervo David Paulo Magalhães, São Vicente, SP

Estação em 1986. Foto do Relatório de Instalações Fixas da Fepasa, 1986

A estação de Biguá em ruínas em 29/07/1998. Foto Ralph M. Giesbrecht

Interior da estação em 09/2003. Foto Adriano Martins

A placa da quilometragem, e, ao fundo, a estação em ruínas, em 09/2003. Foto Adriano Martins

A estação em 09/2003. Foto Adriano Martins

A estação em 14/7/2013. Foto Ralph M. Giesbrecht
   
     
Atualização: 17.08.2013
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.