A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Banco do Pedro
Uruçuca
Serra Verde
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. de Ilhéus a Conquista (1913-1950)
E. F. de Ilhéus (1950-1964)
URUÇUCA (antiga ÁGUA PRETA)
Município de Uruçuca, BA
E. F. Ilhéus (ramal de Poiri) - km 56,000 (1960)   BA-0625
Altitude: 86 m   Inauguração: 16.06.1913
Uso atual: Câmara de vereadores (2005)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco Ilhéus-Itabuna foi aberta em 1910 em seu primeiro trecho, por investidores ingleses da The State Of Bahia South Western Railway Company Limited, com a idéia de alcançar Conquista (Vitória da Conquista). O primeiro ramal, o de Água Preta (Uruçuca), que partia da estação de Rio do Braço, foi aberto ao tráfego em 1914 e estendido até Poiri em 1931. Em 1918 um outro ramal tem iniciada a sua construção, estendendo-se até Itajuípe, aonde chegou em 1934. Foram as máximas extensões da ferrovia, que jamais se comunicou com outras do estado da Bahia ou com a Bahia-Minas, apesar de diversos projetos nesse sentido que jamais saíram do papel. Em 1950, os ingleses repassaram a estrada ao Governo, que mudou o nome para E. F. de Ilhéus. A estrada jamais chegou a Conquista, pelo que se diz, pelo fato de os ingleses já estarem satisfeitos com o que arrecadavam somente com a linha já existente. Em 1963, já estava decadentíssima a ferrovia, que em 1965 já não mais funcionava.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Água Preta foi inaugurada pela "O atual município de Uruçuca teve origem numa povoação formada em 1906 por Manoel Alves Souza, Miguel Gomes Baracho, João Macaúbas, Jorge Caetano dos Santos e Antônio Ferreira da Silva. Inicialmente recebeu o nome de Água Preta por serem de coloração escura as águas do rio que banha a localidade (...) Em 1º de janeiro de 1914 (nota do autor do site: a data contrasta com a data oficial de 1913, citada no cabeçalho) foi inaugurada em Água Preta a estação ferroviária, que teve como primeiro agente Afrânio Calasans Amorim. Um ano depois deu-se a inauguração da agência postal e Frei Lucas iniciou a construção da Igreja Matriz (...) Fazendo parte do distrito de Castelo Novo, que pertencia ao município de Ilhéus, o povoado de Água Preta, foi a 10 de agosto de 1922, elevado à condição de sede do distrito do mesmo nome (...) Em 1927 aconteceu a instalação da agência telegráfica, que teve como primeiro telegrafista Aristóteles Pinto. Nesse mesmo ano circulou pela primeira vez o semanário "O Ipiúna", cujo o redator chefe era Monteiro Lopes. (...) A 12 de agosto de 1929, por força da Lei Estadual n.º 2.212, o distrito de Água Preta foi elevado à condição de Vila e criado o Município. Sua instalação ocorreu a 20 de outubro do mesmo ano, por determinação do Decreto Estadual n.º 6.529, de 11 de outubro. (...) Em 10 de novembro de 1930, o Município de Água Preta foi extinto e seu território reanexado ao município de Ilhéus, fato que consternou a população (...) Finalmente, a 31 de dezembro de 1943 Água Preta passou a chamar-se Uruçuca e com este nome foi restabelecido o município pela Lei Estadual n.º 516, de 12 de

ACIMA: mapa do município de Uruçuca em 1958 (mapa da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume VI, 1958).
dezembro de 1952, ocorrendo a sua reinstalação a 7 de abril de 1955" (Texto extraído da publicação em três volumes, CIDADES DO CACAU, da CEPLAC, Ilhéus, Bahia, 1982). "Água Preta fica no urubu do mundo. (...) Água Preta tinha apenas um poste fincado na praça, onde aos sábados as tropas se juntavam para descarregar cacau e coisas da roça para suprir a feira. Na frente da estação da linha de ferro que ligava Ilhéus, Pirangi, Banco do Pedro, Castelo Novo e outros arruados que viviam do cacau e do gado, sangravam porcos e carneiros. (...) Nas portas dos armazéns, escancaravam caixas de bacalhau português, vendido e comido com farinha. Nesse tempo, Água Preta fervia com o movimento de tropas, especialmente quando o preço da arroba de cacau ia bater nas nuvens. O rio corria com sus águas limpas, mostrando o fundo com pedras, piabas e bagres que viviam em cardumes. Muitos tropeiros paravam para os animais beberem. (...) Vinham caixeiros-viajantes das grandes casas atacadistas de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. (...) E assim a vida ia passando. Sempre igual. Tenda do barbeiro se abrindo para os mesmos fregueses. A retreta tocando os mesmos dobrados, maxixes e cateretês, as mesmas valsas que faziam maior a saudade dos velhos. O trem chegava bufando nos mesmos horários. O canto da araponga da farmácia cortava Água Preta na hora silenciosa e mole da sesta. (...) Mas o progresso foi chegando no ronco dos caminhões. As tropas de burro, com os caçuás de cacau pesando nas cangalhas, foram ficando raras. E, um dia, viram que havia outra cidade chamada Água Preta. Ficava em Pernambuco. Era mais antiga. Então trocaram a de cá. Que tinha o nome de seu rio, por Uruçuca. Que diabo é Uruçuca? Ninguém sabe se é nome de cobra ou de formiga. Nem o menciona o sábio baiano Teodoro Sampaio, no seu livro O Tupi na Geografia Nacional. Nem lhe abona o nome o velho Aurélio. Mas hoje está entre as principais produtoras de cacau. Como Ilhéus, Itabuna ou Canavieiras. Seu campo de experimentação é conhecido no mundo inteiro. Assim, Água Preta foi apagada do mapa. Mas quem poderá apagá-las das páginas de alguns livros, da história da terra de cantores e compositores? (...) Ou da memória de seus poetas? Nunca se apagará da saudade daqueles que ainda se lembram de suas tropas. Do trem apitando na curva de chegada (...)" (Jorge Medauar, Globo Rural, 12/1989). Água Preta foi ponta de linhas até 1931, quando a ferrovia teve o tráfego aberto até Poiri. Hoje o prédio da estação desativado como tal em 1964 serve de sede para a Câmara de vereadores da cidade. Veja também os trens da E. F. de Ilhéus
(Fontes: Manoel Ursino Tenório de Azevedo Junior; Paulo Miled; Cidades do Cacau, CEPLAC, Ilhéus, 1982; Jorge Medauar: Globo Rural, 1989; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, 1958)
     

A estação de Uruçuca ainda em funcionamento. Provavelmente anos 1960. Autor desconhecido

A estação de Uruçuca, então já sede da Câmara dos Vereadores da cidade do mesmo nome. Foto Manoel Ursino Tenório de Azevedo Junior, em 2005

A estação de Uruçuca em setembro de 2010. Foto Paulo Miled
     
Atualização: 23.08.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.