A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
São José dos Campos
Eng. M. Guimarães-nova
Eugênio de Mello
...

ram. S. Paulo EFCB-1950
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2009
...
 
E. F. Central do Brasil (1951-1969)
RFFSA (1969-1996)
MRS (1996-2003)
ENG. MARTINS GUIMARÃES-NOVA
Município de São José dos Campos, SP
Ramal de São Paulo (variante) - km 381,668   SP-0301
Altitude: 559 m   Inauguração: 19.05.1951
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: c.1948 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: Em 1869, foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da linha da SPR no Brás, em São Paulo, e chegando até a Penha. Em 12/05/1877, chegou a Cachoeira (Paulista), onde, com bitola métrica, encontrou-se com a E. F. Dom Pedro II, que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial, constituída em 1855 e com o ramal, que saía do tronco em Barra do Piraí, Província do Rio, atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1,60m). A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas. As cidades da linha se desenvolveram, e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as "Cidades Mortas"... O custo da baldeação em Cachoeira era alto, onerando os fretes e foi uma das causas da decadência da produção de café no Vale do Paraíba. Em 1889, com a queda do Império, a E. F. D. Pedro II passou a se chamar E. F. Central do Brasil, que, em 1896, incorporou a já falida E. F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificar as 2 linhas. O primeiro trecho ficou pronto em 1901 (Cacheoira-Taubaté) e o trecho todo em 1908. Em 1957 a Central foi incorporada pela RFFSA. O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 1980, pois a construção da variante do Parateí, mais ao norte, foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 31 de outubro de 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha. O transporte de subúrbios, existente desde 1914 no ramal, continua hoje entre o Brás e Estudantes, em Mogi e no trecho D. Pedro II-Japeri, no RJ.
 
A ESTAÇÃO: Em 1951, a estação de Engenheiro Martins Guimarães foi desativada e colocada fora da linha, visto a construção e abertura de uma variante muito próxima a ela e que ligava as estações de São José dos Campos e Caçapava. Nesta variante, cerca de trinta metros ao norte da velha, foi construída uma nova estação com o mesmo nome - Engenheiro Martins Guimarães-nova

ACIMA: A estação de Martins Guimarães (Autor e data desconhecidos).
- situada a uns cem metros da velha. Esteve abandonada nos anos 1990, mas foi reformada pela MRS no final dessa década e funcionou com estação atendendo aos comboios da MRS por algum tempo. Depois foi novamente fechada e, no início de 2004, demolida. (Veja também ENG. MARTINS GUIMARÃES)
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; William Martins; Nelson Correa; Diario de Noticias, Rio de Janeiro, 22/5/1951; E. F. Central do Brasil, relatórios anuais, 1920-30; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 10/1992. Foto J. E. H. Buzelin

A estação por volta de 1999. Foto William Martins

A estação nova, ao fundo, em 30/05/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação nova, em 30/05/2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 01/10/2002. Foto Nelson Correia

A estação recem-demolida em 03/2004. Foto William Martins

A estação recem-demolida em 03/2004. Foto William Martins
   
     
Atualização: 21.06.2014
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.