A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Andrada e Silva
Ezequiel Ramos
Quilômetro 367
...

Tronco EFS - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2001
...
 
E. F. Sorocabana (1919-1953)
EZEQUIEL RAMOS
Município de Avaré, SP
Linha-tronco original - km 373,178 (1924); km 360,914 (1934) (*)   SP-0339
Altitude: 718 m   Inauguração: 1919
Uso atual: fechada (2016)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: A estação foi aberta em 1919 como posto km 373,178, e em 1921 recebeu o nome de Ezequiel Ramos.

Em maio de 1926, foi elevado a estação.

Desativada em 1953, com a entrada em operação do trecho Rubião Junior-Juca Novais.

O prédio ainda existe, bastante descaracterizado, às margens da estrada de terra que em 2001 corria no leito da antiga linha da Sorocabana. As portas e janelas foram lacradas com tijolos e a plataforma foi demolida, mas é o mesmo prédio original.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1925 - Aquisição de pedreira junto à estação. 1926 - instalação mecânica para extracção e britamento de pedra na pedreira; Extensão dos desvios para 180 m


ACIMA: Mapa mostrando a linha nova e a velha da Sorocabana na região de Botucatu e de Avaré. Por ele dá para se ter uma idéia de como Ezequiel Ramos e outras saíram da linha e ficaram isoladas. A linha nova (estilizada, pois não mostra todas suas curvas) é a que está com barras (Acervo Ralph M. Giesbrecht).

ACIMA: A estação de Ezequiel Ramos, em 1945, a centro-direita do mapa, depois de uma grande curva em U da linha vinda de Avaré e próxima a um povoado de nome Santa Teresinha (Mapa do IGGESP, Acervo Ralph Mennucci Giesbrecht). ABAIXO: A grande curva após a estação de Ezequiel Ramos, sentido Avaré, que pode ser vista no mapa de 1945 acima, pode ser vista aqui em 2010 - já sem os trilhos (Google Maps, estudo Adriano Martins).


ACIMA: O interior da antiga estação em 2016 (Foto Valdemar Bicudo).







À ESQUERDA: Em 1948, a experiência de um maquinista em férias salva a Sorocabana de um provável desastre (Folha da Manhã, 29/7/1948).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Valdemar Bicudo; José Reinaldo da Fonseca; Antonio Carlos Santos; Adriano Martins; Folha da Manhã, 1948; Google Maps, entrada em agosto/2010; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1900-59; IGGESP, 1945; Mapas - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação, provavelmente anos 1920. Acervo Ralph M. Giesbrecht

A antiga estação, em 2001. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação em 2009. Foto José Reinaldo da Fonseca

A estação em 2014. Foto Antonio Carlos Santos
   
     
Atualização: 06.11.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.