A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Sabará
Siderúrgica
Pompeu
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
E. F. Central do Brasil (1919-1975)
RFFSA (1975-1992)
SIDERÚRGICA
Município de Sabará, MG
Ramal de Nova Era - km 586,180 (1960)   MG-3422
Altitude: 722 m   Inauguração: 01.04.1919
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1918 (já demolido)
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de São José da Lagoa foi construído por uma tal Companhia Estrada de Ferro Espirito Santo a Minas, que em 1908 se chamava "Estrada de Ferro Sabará a Santa Bárbara". A Central não menciona a encampação em seus relatórios, fato ocorrido algum tempo depois, quando o ramal passou a ser chamado de Ramal de Santa Bárbara e depois de Ramal de Nova Era, seu ponto final mas também ponto de ligação com a E. F. Vitória a Minas, a partir de 1936. A EFVM começou a circular no ramal já nos anos 40, surgindo daí as intrigas entre as duas empresas quanto à questão dos limites de operação de cada uma. Nos anos 1980 a CVRD, dona da EFVM, iniciou planos para construir uma linha inteiramente nova entre Costa Lacerda e Sabará. Em 1982 iniciaram-se as obras de construção da primeira etapa desta variante, que, em 1988, foi inaugurada, fazendo o trecho de Sabará a Henrique Fleiuss da antiga Central ser totalmente erradicado pela RFFSA. No início dos anos 1990, a CVRD iniciou a segunda fase da construção da variante, entre o Pátio 6 (Henrique Fleiuss) e Costa Lacerda, aberta em 1996. O que assegurou definitivamente a preservação da linha nesse segundo trecho foi a iniciativa de preservá-lo para fins turísticos. MAIS INFORMAÇÕES
 
A ESTAÇÃO: A estação de Siderurgica foi inaugurada em 1919. O prédio já estava pronto em 1918.

Entre as estações de Siderurgica e de Gusa a linha foi desativada e os trilhos arrancados. A estação ficava junto à companhia Belgo Mineira (que atualmente se chama Arcelor Mittal), mas já não existe mais.

"O trecho de Belo Horizonte até Siderúrgica está abandonado mas ainda dispõe de trilhos. Dalí em diante, por onde andei, tudo foi arrancado" (Carlos Latuff, 8/2009).
ACIMA: Fotografia aérea da Siderúrgica Belgo-Mineira em 1953. Segundo Wanderson Magela Viana, a estação está à frene da usina, na linha do ramal, praticamente no centro da foto. Realmente, dá para se notar a existência de um prédio junto aos trilhos, numa linha entre a ponte sobre o rio no sentido norte da foto (Cessão e explicação Wanderson Magela Viana em 2009). ABAIXO: Trecho de linha entre o início do antigo ramal de Nova Era e a estação de Siderúrgica. Reparem que o trilhos está lá (à esquerda) (Foto Carlos Latuff, 8/2009).
(Fontes: J. E. Buzelin; Wanderson Magela Viana; Carlos Latuff; O Estado de S. Paulo, 4/5/1919; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     
   
     
Atualização: 06.02.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.