A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Cavalcanti
Engenheiro Leal
Eduardo Araújo
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...

 
E. F. Melhoramentos (1895-1903)
E. F. Central do Brasil - Linha Auxiliar (1903-1965)
E. F. Leopoldina (1965-1975)
RFFSA (1975-?)
ENGENHEIRO LEAL
Município do Rio de Janeiro, RJ
Linha Auxiliar - km 14,680 (1928)   RJ-2324
Altitude: 44 m   Inauguração: 01.11.1895
Uso atual: demolida   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1920 (demolida)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A chamada E. F. Melhoramentos foi construída a partir de 1892. Em 1895 foi aberta a linha entre a estação de Mangueira e a da atual Honorio Gurgel. Em março de 1898 foi entregue o trecho até Paraíba do Sul. Até Três Rios foi logo em seguida e em 1911 alcançou Porto Novo do Cunha, anexando o ramal deste nome, que teve a bitola reduzida para métrica, a mesma da Auxiliar. O traçado da serra, construído em livre aderência e com poucos túneis, foi projetado por Paulo de Frontin, um dos incorporadores da estrada. Em 1903, a E. F. Melhoramentos já havia sido incorporada à E. F. Central do Brasil e passou a se chamar Linha Auxiliar. No final dos anos 1950, este antigo ramal foi incorporado à E. F. Leopoldina. A linha, entre o início e a estação de Japeri, onde se encontra com a Linha do Centro pela primeira vez, transformou-se em linha de trens de subúrbios, que operam até hoje; da mesma forma, a linha se confunde com a Linha do Centro entre as estações de Paraíba do Sul e Três Rios, onde, devido à diferença de bitolas entre as duas redes, existe bitola mista. A linha da Auxiliar teve o traçado alterado nos anos 1970 quando boa parte dela foi usada para a linha cargueira Japeri-Arará, entre Costa Barros e Japeri, ativa até hoje, bem como para trens metropolitanos entre o Centro e Costa Barros. Entre Japeri e Três Rios, entretanto, a linha está abandonada já desde 1996.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Engenheiro Leal foi inaugurada em 1895 (cf. Horario dos Trens de Suburbios da E. F. Melhoramentos do Brasil, publicado pelo jornal Gazeta da Tarde do Rio de Janeiro em 1/11/1895). Seu nome era uma homenagem a um fiscal da antiga E. F. Melhoramentos por parte do Governo na época.

Max Vasconcellos (1928) cita a data de sua inauguração como sendo 13/02/1908. O Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, de 1960, cita esta mesma data como a de abertura da estação.

"Morei por mais de 20 anos às
margens da via, entre 1972 e 1996. Já na década de 1970, o prédio da estação de Engenheiro Leal já não mais existia, e quase nada que lembrasse que algum dia ali havia existido uma estação, a não ser pelos relatos de moradores mais antigos. Tudo que ainda se podia ver, era parte da antiga plataforma, com cerca de 1 metro de altura e, com relação ao comprimento, não era possível determinar, visto que parte já havia sido destruída. Hoje, o lixo e o mato estão cobrindo o que restou da plataforma" (Maurício Motta, 2006).

"A estação mais recente possuía uma plataforma muito grande e atendia aos trens elétricos, mas ela teria sido desativada porque o local (na época) era pouco habitado. Atualmente há uma favela e muitas residências neste bairro" (Anderson, 2007).

A estação não foi mais utilizada desde os anos 1960 e foi totalmente demolida, dela não tendo sobrado nem restos de plataforma. Houve pelo menos duas, uma mais antiga (mostrada na foto maior, abaixo) e outra mais recente (mostrada no mapa abaixo), uma próxima da outra.
Em 1960, a estação ainda funcionava.

1920
AO LADO:
A reportagem de 1920 fala de inauguração da "nova" estação, pois ela já existia desde 1895, foi realmente a abertura de uma segunda estação. Teria sido esta a de que se fala na foto colorida mais abaixo? (Correio da Manhã, edição de janeiro de 1920, dia ignorado. A Gazeta Suburbana, outro jornal, afirma que a estação foi inaugurada em 15 de janeiro de 1920)

1926
AO LADO:
Descarrilamento na estação de Engenheiro Leal (O Estado de S. Paulo, 6/11/1926).

1938
AO LADO:
Descarrilamento próximo à estação de Engenheiro Leal (O Estado de S. Paulo, 27/12/1938).

ACIMA: Localização da estação de Engenheiro Leal (Guia Levi - mapa dos anos
1940
).


ACIMA: Na primeira metade dos anos 1950, na estação de Engenheiro Leal, a rede elétrica aérea caiu sobre o trem de suburbios, incendiando pelo menos este carro (Arquivo última Hora, acervo Arquivo do Estado de São Paulo).

ACIMA: Um pouco mais adiante do viaduto (veja foto no pé da página, de 2005), situava-se a primeira estação de Engenheiro Leal. A imagem mostra o local do antigo pátio dessa primeira estação. Essa construção em ruínas possuía dois andares, tendo sido demolida pela prefeitura do Rio em 2006. Só restou isso. A linha está à direita (Foto Anderson em 2008).
ACIMA: No mapa recente do Rio de Janeiro, bairro de Cascadura, são mostrados os locais das extintas estações de Eduardo Araújo e das duas de Engenheiro Leal, todas bem próximas entre si (Guia do Rio de Janeiro).

(Fontes: Anderson __; Luiz Melech; Maurício Motta; O Estado de S. Paulo, 1923, 1926 e 1938; Correio da Manhã, 1920; O Jornal, 1919; O Globo, 5/5/1969; Gazeta Suburbana, 1920; Guia do Rio de Janeiro; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de 1919 aguardava inauguração: então, deveria haver ainda uma anterior. Foto O Jornal

Em 1969 - a foto é muito ruim, mas dá para ter uma ideia do estilo da estação nessa época - o prédio da estação de já estava abandonada (O Globo, 5/5/1969)

Tirada de um viaduto, região da segunda estação de Engenheiro Leal, vista para o lado contrário. Os trilhos da esquerda são os da MRS. Foto Anderson, 2005

Estação de Engenheiro Leal era por aqui. Notar os fixadores dos trilhos. Os trilhos mais à direita (pouco visíveis, além das duas linhas da Supervia) são dos cargueiros da MRS. Foto Anderson, março de 2007
   
     
Atualização: 13.06.2019
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.