A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Rocha Miranda
Honório Gurgel
Barros Filho
...
Entroncamento com o ramal de Deodoro: Deodoro
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: S/D
...
 
 
E. F. Central do Brasil (1905-1965)
E. F. Leopoldina (1965-1975)
RFFSA (1975-1997)
Supervia (1997-)
HONÓRIO GURGEL
(antiga MUNGUENGUE)
Município do Rio de Janeiro, RJ
Linha Auxiliar - km 19,521 (1928)   RJ-1301
Altitude: 13 m   Inauguração: 17.03.1905
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
HISTORICO DA LINHA: A chamada Linha Auxiliar foi construída pela E. F. Melhoramentos a partir de 1892 e em 1898 foi entregue o trecho entre Mangueira (onde essa linha e a do Centro se separam) e Entre Rios (Três Rios). O traçado da serra, construído em livre aderência e com poucos túneis, foi projetado por Paulo de Frontin, um dos incorporadores da estrada. Em 1903, a E. F. Melhoramentos foi incorporada à E. F. Central do Brasil e passou a se chamar Linha Auxiliar. Ferrovias foram incorporadas a ela, assim como ramais construídos, dando origem à Rede de Viação Fluminense, que tinha como tronco a Linha Auxiliar, sendo tudo gerido pela Central. Na mesma época, o ramal de Porto Novo, que saía de Entre Rios, teve a sua bitola estreitada para métrica e tornou-se a continuação da Linha Auxiliar até Porto Novo, onde se entroncava com a Leopoldina. No final dos anos 1950, este antigo ramal foi incorporado à E. F. Leopoldina e a Linha Auxiliar passou a terminar de novo em Três Rios, onde havia baldeação. A linha, entre o início e a estação de Japeri, onde se encontra com a Linha do Centro pela primeira vez, transformou-se em linha de trens de subúrbios, que operam até hoje; da mesma forma, a linha se confunde com a Linha do Centro entre as estações de Paraíba do Sul e Três Rios, onde, devido à diferença de bitolas entre as duas redes, existe bitola mista. Nos anos 60, toda a linha passou para a Leopoldina. A linha da Auxiliar teve o traçado alterado nos anos 1970 quando boa parte dela foi usada para a linha cargueira Japeri-Arará, entre Costa Barros e Japeri, ativa até hoje, bem como para trens metropolitanos entre o Centro e Costa Barros. Entre Japeri e Três Rios, entretanto, a linha está abandonada já desde 1996.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Honório Gurgel foi inaugurada em 1905, com o nome de Munguenguê, nome de um rio próximo.

O nome atual, existente desde pelo menos os anos 1920, homenageia um antigo intendente do município do Rio de Janeiro.

Nessa estação há um entroncamento com as linhas do ramal de Deodoro.

Também passam por ela algumas vezes cargueiros da MRS - além dos trens metropolitanos da Supervia - que ali manobram.

"A linha do canto, além de servir à Supervia, acessa a ligação com Deodoro e por ela a fábrica de cimento Holcim. A manobra da MRS é muito interessante: A composição deixa os vagões na estação de Rocha Miranda na linha do canto, acessada por um desvio entre HG e ela, desengata, anda +- 2 Km até a próxima (Mercadão de Madureira) onde passa atrás do shopping de Madureira lá há uma passagem de pedestres antes da MM e entre as duas a agulha do desvio próximo a curva. Volta pela linha do meio até HG e reengata nos vagões por trás e leva para a fábrica. A saída de vagões é semelhante" (Gustavo Santoro, 12/2006).

1932
AO LADO: Assalto na estação (O Estado de S. Paulo, 13/2/1932).
(Fontes: Gustavo Santoro; Carlos Latuff; Wanderley Duck; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928)
     

A estação antiga, foto sem data, cedida por Wanderley Duck

A estação em 08/2003. Foto Carlos Latuff

A estação em 2007. Foto Anderson
     
     
Atualização: 20.10.2018
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.