A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
Indice de estações
...
Eduardo Araújo
Magno
Turiassu
...

...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Central do Brasil (1908-1965)
E. F. Leopoldina (1965-1975)
RFFSA (1975-1997)
Supervia (1997-)
MAGNO
(MERCADÃO DE MADUREIRA)
Município do Rio de Janeiro, RJ
Linha Auxiliar - km 16,117 (1928)   RJ-1299
Altitude: 28 m   Inauguração: 15.02.1908
Uso atual: estação de trens metropolitanos   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d
 
 
HISTORICO DA LINHA: A chamada Linha Auxiliar foi construída pela E. F. Melhoramentos a partir de 1892 e em 1898 foi entregue o trecho entre Mangueira (onde essa linha e a do Centro se separam) e Entre Rios (Três Rios). O traçado da serra, construído em livre aderência e com poucos túneis, foi projetado por Paulo de Frontin, um dos incorporadores da estrada. Em 1903, a E. F. Melhoramentos foi incorporada à E. F. Central do Brasil e passou a se chamar Linha Auxiliar. Ferrovias foram incorporadas a ela, assim como ramais construídos, dando origem à Rede de Viação Fluminense, que tinha como tronco a Linha Auxiliar, sendo tudo gerido pela Central. Na mesma época, o ramal de Porto Novo, que saía de Entre Rios, teve a sua bitola estreitada para métrica e tornou-se a continuação da Linha Auxiliar até Porto Novo, onde se entroncava com a Leopoldina. No final dos anos 1950, este antigo ramal foi incorporado à E. F. Leopoldina e a Linha Auxiliar passou a terminar de novo em Três Rios, onde havia baldeação. A linha, entre o início e a estação de Japeri, onde se encontra com a Linha do Centro pela primeira vez, transformou-se em linha de trens de subúrbios, que operam até hoje; da mesma forma, a linha se confunde com a Linha do Centro entre as estações de Paraíba do Sul e Três Rios, onde, devido à diferença de bitolas entre as duas redes, existe bitola mista. Nos anos 60, toda a linha passou para a Leopoldina. A linha da Auxiliar teve o traçado alterado nos anos 1970 quando boa parte dela foi usada para a linha cargueira Japeri-Arará, entre Costa Barros e Japeri, ativa até hoje, bem como para trens metropolitanos entre o Centro e Costa Barros. Entre Japeri e Três Rios, entretanto, a linha está abandonada já desde 1996.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Magno foi inaugurada em 1908, com o nome de Inharajá.

Em 1928 já tinha o nome de Magno.

Hoje em dia consta com o nome de Mercadão de Madureira, devido à sua proximidade com este mercado. Essa denominação é bem recente e não sei se é oficial.

"A história dessa estação e da Escola de Samba Império Serrano se confundem. A primeira quadra da Império Serrano era onde está atualmente o prédio do Mercadão. O Mercadão de Madureira é um lugar onde se vende de tudo no atacado. Após um tempo, a quadra dessa escola se mudou para o lado da estação (fica a direita da imagem abaixo). Certa vez um trem saiu dos trilhos e invadiu a quadra e o governo reconstruiu. e muito antigamente os componentes dessa escola usavam o trem de luxo, uso excluso p/ os foliões desfilarem na Praça Onze. Esse trem de luxo era pago, também há muito tempo atrás" (Anderson -, 03/2009).

ACIMA: "Os que habitam a cidade do Rio de janeiro, na sua grande maioria, ignoram que existe a dois passos da Avenida Rio Branco, aos domingos e feriados, uma feira de animais igual às que existem nos sertões brasileiros...... Ao fundo, vê-se um comboio na linha auxiliar na estação de Magno (Foto e texto de revista não identificada. Cessão: Fernando F. Leite).

(Fontes: Carlos Latuff; Anderson --; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Comunicação, 1928; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Magno em 1953. Foto de jornal. Autor e jornal desconhecidod.

A estação em 08/2003. Foto Carlos Latuff

Escadaria de acesso à estação de Magno, em 03/2009. Foto Anderson
     
     
Atualização: 07.08.2016
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.